29Jan/14

Você deixa o seu marido ser pai?

POR: MirelaCATEGORIA: Dicas, Papo de Mãe(0) COMENTÁRIOS
É super compreensível que um pai se sinta frustrado e acabe não participando tanto quanto gostaria dos cuidados com o bebê se a mãe ficar fazendo críticas, mesmo que sutis ou delicadas, o tempo todo. 
Tipo, o pai se oferece para dar banho no bebê e a mãe, super protetora como é, geralmente fica cheia de receio e dá os pitacos: Cuidado com a água no ouvido, verifica a temperatura, não faz assim, ele gosta mais assim. 
Eu entendo, sou mãe e também fiz isso.
O nosso primeiro instinto é nos assumirmos como a principal responsável pelo bem-estar do bebê. É uma posição até natural da mulher (a mãe cuida, o pai "ajuda" de vez em quando), mas com isso, o pai vai ter uma reação óbvia "Então não vou fazer e pronto" e terminamos fazendo com que o pai não queira tão cedo dar o banho no bebê. 
Esse é só um exemplo. Fazemos isso com muitas outras coisas né?
Não deixamos os pais serem livres para tomarem certas atitudes e até decisões com relação ao nosso bebê.
Tendemos a ser protetoras demais e terminamos cometendo um erro sem nem nos apercebermos e os afastamos da sua cria.
Pois é mamães. Muitas vezes reclamamos que os maridos não ajudam com nada, mas talvez nós tenhamos parte da culpa.
Estimule o seu marido a participar mãe.
Peça para ele dar o banho, trocar a fralda, colocar o bebê para arrotar ou até para dormir.
Chame-o com carinho, mostre que você o quer por perto. Mostre acima de tudo que você confia nele e que ele É CAPAZ de fazer praticamente tudo o que você faz.
Deixe que ele aprenda a ser pai também por ele mesmo.
Garanto que nada de mal vai acontecer ao bebê.
[essb-fans style=flat cols=4]
 
TAGS , , , , , , ,
7Out/13

Preparando o quarto do bebê, para o bebê!

POR: MirelaCATEGORIA: Antes, Decoração, Papo de Gestante, Papo de Mãe(10) COMENTÁRIOS

Dentro das muitas coisas que a mulher pensa quando engravida uma das primeiras sem duvida, é o quarto do bebe! Ah como eu sonhei com o quarto do meu filho! No entanto eu acho que fui diferente do “normal”. Não queria nada provençal, nada muito “relaxante” como vejo por ai. Queria algo alegre, com cor, arrojado até. Resumindo, eu não queria um quarto para mim! Queria um quarto para o meu filho!

Muita gente pensa que quarto de bebê tem que ser com tons pastel, algo nada agitado para o bebe não ser estimulado demais e tal. Já eu penso o contrário. O quarto do bebe, para mim tem que ser quarto de criança, com cor, tem que ter o mínimo de estimulo sensório-motor, e ter espaço para novas adaptações!

Pense comigo Se você fosse um bebê, qual dos dois quartos você escolheria?

Quarto A ou B?

imagesQuarto A

486110-Quarto-de-bebê-unissex-dicas-fotos-13  Quarto B

 

Quarto A

Trata-se de uma proposta ousada: um quarto de acordo com os princípios do método Montessori, para criar um ambiente rico e estimulante. Tudo é concebido para o benefício do bebê, não para a conveniência dos adultos. Por isso o chão é forrado com tatame ou tapete e o berço foi substituído por uma cama de chão, além da escolha das cores serem mais atrativas para o bebê.

Pode não parecer prático para logo que o bebê nasce, mas a grande maioria das mães coloca o bebê para dormir os primeiros meses junto de si. Caso queira que o seu beb durma desde logo no seu quarto, pode substituir o colchão no chão por um berço de viagem nos primeiros meses (ou se quiser, no berço comum mesmo) e quando o bebê passar a fase de menos cuidados, guarda o berço de viagem (muito mais fácil de guardar do que um berço de madeira) e substitui por um colchão no chão ou uma cama baixa (como eu fiz aqui). Matheus passou para a cama com um ano e um mês.

Se optar por um colchão no chão, não se esqueça de colocar almofadas em volta e um tapetinho (pode ser e borracha) até que ele se acostume ao espaço que tem e não caia.

Quarto B

É realmente encantador, mas do ponto de vista dos estímulos sensório-motores é um ambiente pobre. O bebê fica o tempo todo encarcerado no berço, e tem sua visão encoberta por protetores acolchoados.

O que o seu pequeno consegue ver quando está no berço? Apenas o teto e a roupa de cama, que ainda por cima, traz tons pastéis (nada estimulantes).

 

Você sabe quanto tempo esse quarto vai ficar com essa decoração e vai valer o que pagou nele? Acho que no máximo uns 4 meses. Porque depois, você já começa a querer comprar brinquedos, começa a procurar tapete para o bebe ficar no chão brincando (se é que já não comprou no enxoval). Dai ele cresce, e num instante, muito mais rápido do que você imagina, ele está sentando e você quer que ele tenha o espaço dele, mas o espaço dele é sem graça, porque não tem “cor” nem espaço, e nessa hora, bate o arrependimento.

Chega a altura que ele começa a querer ficar de pé em tudo que encontra pela frente, quer engatinhar, quer brincar, e você mais que nunca, quer um espaço “clean” de móveis para poder solta-lo sem medos e ele poder ficar num canto e brincar sem se machucar e nessa hora você vai querer um tapete de pvc, e coloca onde? Em principio no quartinho dele, para ele se jogar à vontade no chão, brincar solto, e você poder sentar com ele sem medo de ser feliz. Mas a quantidade de moveis que “recomendam” que compremos é tanta, que você quando vê, não tem espaço para nada. Daí faz o quê? Invade a sala! E assim chega o dia que você se estressa porque sua casa nunca mais soube o que era estar arrumada. Acredite, Matheus brinca muito na sala, mas só enquanto eu estou perto. Quando termina a brincadeira, os brinquedos voltam para o quarto dele e a sala volta a ficar arrumada. Até porque acho que a criança não pode ser confinada a um só lugar da casa, tem que brincar em todos os cantinhos, mas ele tem que saber onde é o SEU cantinho, e sentir-se lá bem!

Todas sabemos que vamos errar e exagerar na gravidez, achando que estamos fazendo tudo certo seguindo o “modelo” que os outros seguiram, mas se pensarmos com mais atenção (e escutarmos a opinião dos maridos que geralmente são mais lógicos que nós kkk) os erros serão muito menos!

Montem o quartinho com simplicidade, mas com alguma cor! Você vai ver que não tem como fugir porque o que não vai faltar por lá é muitaaa cor (é só começarem a entrar os brinquedos).

Evitem comprar cômodas com puxador que o pequeno possa escala-los (Matheus escalou).

Se o quarto for só para o bebê, pense se a cama de apoio é realmente necessária. Se não for, poupe esse espaço que no futuro vai lhe fazer muita falta.

Pense assim: “Se eu fosse bebe como gostaria que meu quarto fosse?”

Fica a dica

Seguem as fotos do quarto do Matheus

IMG_3266

Quarto do Matheus Antes

IMG_9131

Quarto do Matheus Depois (olha a poltrona ali encaixada de maneira que não ocupe espaço. Pense na raiva! E o quarto é relativamente grande)

IMG_9129Detalhe dos puxadores da cômoda que falei.

[essb-fans style=flat cols=4]
 
TAGS , , , , , , , , , ,
24Set/13

TOP 30 – Os desejos mais loucos das mamães

POR: MirelaCATEGORIA: Confessionário, Papo de Mãe(2) COMENTÁRIOS

Pedi para as mamães que me seguem no instagram  contarem  qual o desejo mais louco que gostariam de pedir ao gênio da Lâmpada caso ele existisse.

Morri de rir com os desejos que chegaram por lá.

Segue o top 30

1.       Que eu recebesse um salario grande para ficar em casa só cuidando do meu bebê.

2.       Eu pediria um par de seios para o papai… Apesar de AMAR amamentar, assim revezaria com ele nas madrugadas!!!

3.       Que eu conseguisse lidar sabiamente com todas as fases difíceis de um bebe/criança/adolescente.

4.        Que minha filha ficasse para sempre bebê.

5.       Paciência infinita para o meu filho e para o meu marido.

6.       Que meu filho me respeite e obedeça sempre e em tooodas as ocasiões, sem birras e sem questionamentos.

7.       Que meu filho durma das 20h às 9h e acorde "seco" sem vazar xixi

8.       Que meu marido conseguisse ficar com o nosso filhote um dia todinho sem reclamar!

9.       Que minha filha nunca adoecesse!

10.   Queria que a bebida alcóolica fosse tipo vitamina C. Para de vez em quando relaxar enchendo a cara e amamentar jurando que faria um bem danado para o bebê!

11.   Queria ter uma varinha mágica para resolver problemas tipo, quero tirar a chupeta de vez: PLIM – Quero fazer o desfralde: PLIM – Quero que ele desmame de um dia para a noite: PLIM

12.   Quando minhas filhas dormissem, eu bateria duas palminhas e toda a casa ficasse limpa e arrumada!

13.   Que as chupetas tivessem um íman e tivessem botão “liga e desliga”… Para quando meu filho a deixasse cair durante a noite, ela voltasse para a boquinha dele automaticamente. De dia desligava o íman.

14.   Uma lancheira mágica de onde saíssem refeições saudáveis.

15.   Que cada ano de vida do meu filho, demorasse 5 anos pra passar!

16.   Que minha filha nunca sentisse dor!

17.   Que meu filho durma da sexta para sábado e do sábado para o domingo das 22hs à 11 horas da manhã.

18.   Queria ter um robô para cuidar da casa 24h por dia, e quando não pudesse vê-lo pela frente, desligava-o.

19.   Que as vacinas fossem todas de gotinha!

20.   Que o bumbum dele fosse “auto limpante”!

21.   Um  controle remoto igual ao daquele filme Clic. Para na hora de namorar tranquilo ou tomar banho demorado, fazer compras ou simplesmente dormir… Era só pausar e depois voltar de onde parou! Sem perder nenhum lance

22.   Um vale compras infinito para artigos infantis, fralda, leite, frutas, legumes, lenços, roupas, brinquedos…

23.   Que meus filhos virassem estátuas por uma 1h sempre que eu precisasse.

24.   Um dia da semana sozinha. Sem marido, sem filho, sem babá, sem empregada, sem trabalho, sem sogra… Um dia só meu. Sem me preocupar com nada.

25.   Pediria um dia com 50 horas!

26.   Com certeza pediria o meu clone! Uma de mim ficaria cuidando do filho, e outra iria trabalhar!

27.   Desejaria que minha filha gostasse e comesse todos os tipos de comida, igual a um pedreiro, mas que isso não a fizesse ser gordinha nem agora nem no futuro.

28.   Que os bebes nascessem num passe de mágica sem a mãe sentir dor alguma e sem cortes.

29.   Que a minha filha não chorasse nunca

30.   Que depois da gravidez, meu corpo ficasse magro e sarado automaticamente!

 

[essb-fans style=flat cols=4]
 
TAGS , , , , , , , , , , , , , , , , , ,
20Set/13

No casamento, aparência pode não significar nada

POR: MirelaCATEGORIA: Vida de Casal(32) COMENTÁRIOS

Este é um tema que faz teeempo que eu quero vir conversar com vocês aqui!

Mas antes de mais, quero dizer que, FELIZMENTE nem todas se vão identificar com este texto, e talvez não acreditem, nem concordem com o que eu vou falar a seguir, mas eu tenho certeza que muitas mais do que eu mesma imagino, vão se identificar e compreender perfeitamente.

Lanço vários temas no instagram, para as mamães ficarem conversando entre si, partilhando experiências e compartilhando dicas, e sem duvida, o tema que mais faz as mamães falarem é casamento.

Parece que quando abro portas para o desabafo, sutilmente uma comenta, depois outra comenta também, e quando vejo já está o post cheio de comentários, quase conversa de comadre sabe?

Mas eu do lado de fora e do lado de dentro, sempre consigo observar coisas que provavelmente muitas de vocês também observam e nunca  falam (também nunca abri portas pra que falassem).

Sempre tem umas mães, que dão a sensação de terem tido a benção de receber o marido perfeito! Sabe como é?

O marido que ajuda sem reclamar? Que sabe cuidar? Que compreende, apoia, participa de tudo? Aquele que é companheiro, amigão, que não briga com nada, e para ele tudo está sempre bem, contando que a mulher esteja feliz…Um marido que simplesmente não dá trabalho nenhum! Sabe?

Pois é, eu vou confessar para vocês:

Eu duvido que esse marido seja só qualidades. Todos os maridos tem qualidades E defeitos.

Tenho certeza que muitas se sentem frustradas e infelizes, porque o marido não está sendo como ela sonhou um dia que ele viesse a ser, e quando lê outra mulher contar que existem outros maridos que se revelam "aparentemente" melhores  que o dela,  aí é que a frustração bate de verdade.

Gente, olha só, vocês já ouviram falar daquela historia de que no facebook todo o mundo parece feliz? Então… isso é a mais pura das verdades!!!

Infelizmente, a grande maioria dos homens da nossa sociedade não foi criado como nós gostaríamos ou achávamos que ele tivesse sido, e provavelmente, nós, mães de filhos homens, também podemos errar nessa educação, e transformar nossos filhos na réplica dos nossos maridos.

Vou falar por mim tá?

Eu comecei por ver esses comentários de mulheres com maridos “perfeitos” e a ficar chateada! Cada vez que via um comentário desses, a tendência era cobrar mais do meu marido, que até ali, estava tentando ajudar o mais que conseguia, só que o nível do meu stress, normal para uma mulher que havia acabado de ter um filho, estava alto demais e me impedia de ver isso!

Então, o fato de ver outras pessoas tendo o que naquele exato momento eu estava precisando, me deixava irritada, exigente e frustrada.

Fechava os olhos para as outras milhares de qualidades que o meu marido tinha e tem, e focava apenas no que eu queria que ele tivesse naquele momento, e que estava longe de ter. Nossa como isso era frustrante, stressante e desgastante!

Daí, um dia um casal, que eu admirava demais, que achava o exemplo dos exemplos como casal, e que havia acabado de ter um filho lindo, separou-se! Simples assim! Separou-se… Nossa como aquilo foi para mim um soco no estomago!

Mas acho que deve ter sido culpa da lua, porque depois desse, mais uns 3 se separaram. Casais que eu achava que tinham tudo o que na minha cabeça era essencial para o bom funcionamento de um casamento. O ultimo deles, foi para mim a maior surpresa! Casal lindo, família, vida, historia, tudo lindo, e do nada…  um final triste demais!

Sabe o que tudo isso me fez pensar?

Que o meu casamento, com todos os erros e acertos, todas as brigas e os desentendimentos, com todos os defeitos um do outro… o meu era o único casamento que eu deveria olhar, e acreditar que era exatamente o que me fazia e faz feliz! Eu só não estava conseguindo valorizar o que de fato valia a pena!

Se eu mudaria algumas coisas no meu marido? Lógico que sim, senão também não tinha graça, mas não mudaria a essência dele.

Passamos por crises? Ô se passamos! Principalmente depois que Matheus nasceu! Hoje brincamos um com o outro dizendo que sobrevivemos quase que por milagre, mas que foi super importante passarmos por tudo o que passamos, pois reforçou demais os nossos laços.

Foi desgastante demais. Eu queria porque queria que ele me ajudasse em coisas que ele simplesmente não tinha o menor jeito. Eu queria que ele se transformasse em alguém que eu, no fundo, sabia não ser o meu marido, e não conseguia enxergar que tudo o que estava acontecendo naquele momento, não era culpa dele, e sim “culpa” de uma nova fase da nossa vida, que como todas, precisam de um tempo para se ajustar e adaptar ao “novo”.

Vejo tantas mães reclamando… e tenho certeza que viajam nos pensamentos quando leem os comentários das “sortudas” de plantão que casaram com os “príncipes encantados”… Consigo até vê-las, fervendo de raiva porque davam tudo  naquele preciso momento, para ter o dom de transformar pessoas sem ter que se chatear, neste caso o marido, apenas com o estalar de um dedo.

Gente… dentro de 4 paredes, TODOS, todos mesmo temos os nossos problemas, e acredite, eu não estou com esta conversa, perdoando "os maridos" menos participativos. Eu estou apenas tentando mostrar para vocês, que muitos, muitos casais mesmo, passam por essa fase, só que alguns não conseguem ultrapassar porque se focam nos defeitos, esquecem as qualidades e começam a se cobrar o tempo todo… e não ha casamento que resista a tanta cobrança. 

O seu marido não está te ajudando como você precisava que ele estivesse? Você já tentou de tudo mas não conseguiu fazer com que ele mudasse? Esquece… Começa a lembrar porquê você casou com e saiba que, o fato dele cuidar mais ou menos do seu filho, não faz dele melhor ou pior pai! Tem pai que nunca trocou uma fralda, nunca acordou de noite para ajudar a mãe, mas com certeza tem outras qualidades como pai que você, se ainda não descobriu, vai descobrir em breve, quando o seu filho tiver um pouco maior e socializando mais. Essa primeira fase do bebê é mais para a mãe do que para o pai, e nem todos os pais sabem lidar com ela.

Uns tem problemas com umas coisas, outros com outros, e acreditem “o meu problema vai ser sempre pior e maior que o teu… simplesmente porque é O MEU problema!”

O problema, é que nem todo o mundo mostra isso e você fica fazendo novelas na sua cabeça, que só te vão fazer ficar pior do que você já está… mas tudo por culpa de quem? Do seu cérebro que insiste em fazer um conto de fadas de 10 mil páginas apenas com uma simples fotografia ou com um simples comentário.

Lembre-se sempre disto:

Fora de casa todo o mundo parece ser sempre feliz! Você já viu alguém “normal” querer mostrar ao mundo que tem o pior casamento de todos?

Vivemos numa era terrível… onde todos querem ostentar qualquer coisa… nem que esse algo que não seja verdadeiro, e isso faz com que, aquilo que temos pareça pouco para o que achamos que gostaríamos de ter.

Nós NÃO queremos aquilo que os outros têm… tenho certeza que se tivéssemos o que os outros têm, teríamos novos problemas, e quem sabe seriam bem piores problemas do que temos “hoje”.

Mas prometo que em breve escrevo um post para os pais… vou TENTAR fazer com que eles entendam o que tanto precisamos e eles tanta dificuldade encontram para entender e nos dar… 

Mas temos que admitir… parece fácil lidar com mulher, mas não é assim tanto! Somos complicadas por natureza.

Por hora, vale a pena pensar no que vos falei!

E dica: Quanto mais você cobra, mais eles tendem a se afastar e a fazer pior… é a natureza deles. 

Existem outras maneiras de tentar "ensina-los" a ser o que estamos precisando que eles sejam.

Não adianta você ler no comentário de alguém "eu eduquei ele a ajudar-me logo desde o começo" tal como se fosse uma mãe educando seu filho, porque para o marido dela funcionou, mas para o seu pode surtir efeito totalmente contrario viu?

Não brigue de cabeça quente, nem diga coisas que mais tarde possam fazer voce se arrepender. 

Quer um truque?

Quando tiver com vontade de brigar com o marido, encha a boca de agua e só engula quando se sentir mais calma! 

A água vai ocupar a sua boca e por incrivel que pareça, distrair a sua mente.

Quando se sentir mais tranquila, engula a agua, respira fundo, segura na mão de Deus e vai! 

 

 

[essb-fans style=flat cols=4]
 
TAGS , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,
17Set/13

A mãe que sonhei ser… mas não sou!

POR: MirelaCATEGORIA: Diversos, Educação, Papo de Mãe(55) COMENTÁRIOS

Antes de engravidar, eu levava a vida sonhando com a maternidade.

Ser mãe foi um sonho que começou cedo. Conta a minha mãe, que quando me perguntavam o que eu gostaria de ser quando crescesse, a resposta sempre era a mesma:

“Mãe, eu quero ser mãe!!

Ao longo da minha vida, esse sonho me acompanhou. Aguardava ansiosa, a pessoa e a hora certa para tornar real o meu maior desejo, mas enquanto nem a pessoa nem a hora certa chegava, eu vivia sonhando e fazendo planos para o meu "futuro" filho #quemnunca.

Nossa como era fácil ser mãe em sonhos… Ser mãe do filho dos outros então… Era fácil demais.

Eu vivia sonhando com os exemplos que iria dar, vivia imaginando o que faria, e o que não faria….  

Depois que casei e liberei para engravidar, foi uma loucura! Eu sofria a cada mês esperando pelo meu positivo. Não via a hora de ver o meu sonho tornar-se realidade! Levei quase um ano para engravidar, e quase enlouqueço tudo e todos que estavam a minha volta, por causa dessa minha obsessão! Mas isso é um post a parte. Quando engravidei outro post a parte foi uma loucura! 

Um novo mundo de sonhos invadiu a minha vida, e eu comecei a criar expetativas comigo mesma, quanto a essa nova Mirela que estava prestes a “nascer” junto com o Matheus!

Na minha cabeça, quando meu filho nascesse, eu iria amamenta-lo até ele ter 2 anos, seria bem rigorosa com a rotina dele, e nunca, jamais não iria permitir que ele substituísse uma refeição por besteiras. Nunca deixaria que ele me levantasse a mão… Gritar comigo então, nem pensar. E fazer birra??? Eu sabia exatamente o que iria fazer no caso de birra, para que nunca mais ele repetisse a "dose" (Quando via alguma criança fazer birra, eu sempre achava que aquela mãe não estava sabendo lindar com algo “tão simples” e na minha cabeça, sempre havia o "pitaco certo").

Meu filho iria entrar na natação aos 7 meses, iria ver muito pouco ou quase nada TV/Ipad/Celular, teria apenas os brinquedos essenciais para o desenvolvimento dele, nunca iria comer comida industrializada, etc etc etc…. (alguém se identificando com a quantidade de “iria e não iria”)

Ahhhh gente, o que eu mais repetia, quase esqueço! 

Meu filho NUNCA na vida iria se acostumar a dormir na minha cama, ou melhor, eu dizia mesmo, que filho meu nunca iria dormir na minha cama! Criança tinha que saber exatamente onde era o seu espaço e o casal precisava manter a intimidade intata.

Por fim, meu filho NUNCA teria uma babá!

Pois ééé…

Meu filho nasceu, e a maternidade fez com que eu quase ficasse sem língua de tanto que a mordi!

Expetativas muito altas antes e durante a gravidez, nos fazem sentir piores mães do que aquilo que achamos que somos quando o bebe nasce, sabiam?

Você constrói na sua cabeça uma mãe, que não existe! Você lê num blog um tipo de mãe, lê em livros um outro tipo, em novelas mais um, isso sem deixar de contar que você tem o maior exemplo, que é a sua própria mãe. E ai o que você faz? Mistura todas as mães que conhece, e monta a mãe perfeita.

Por aqui não foi diferente!

Eu queria ser a mãe perfeita!

Eu queria ser aquela mãe que começaria por tentar um parto normal, que chegando em casa, o filho dormiria logo no seu próprio quarto.

Eu queria ser aquela mãe que todo o dia faz a papinha para o filho, e que tem sempre uma refeição caseira fresquinha, pronta para levar quando fizesse uma refeição fora de casa.

Eu queria ser aquela mãe, que sabe o que fazer na hora de um escândalo. Aquela que acorda feliz no meio da noite, amamenta sentada sem nem piscar os olhos, e volta pra cama mais feliz do que quando levantou.

Eu queria ser a mãe cujo filho nunca a iria ver irritada, muito menos sem paciência! 

Queria conseguir levar todo o final de semana o meu filho para uma atividade cultural, para estimula-lo a gostar de coisas intelectuais no futuro, e isso desde que ele fosse bem novinho, tal como sair todo o sábado de manhã para a hora do conto da livraria perto de casa!

Eu juro que queria ser a mãe que todo o santo dia conta uma historia na hora de dormir para o filho, que sempre sabe falar num tom baixo, firme e meigo para orienta-lo nas crises de birra…

A mãe que acostumou o filho a tomar banho e a dormir todo o santo dia nos mesmos horários…

A mãe que está sempre arrumada para o marido, e que sempre está disposta a brincar com o filho!

A que se vira nos trinta e consegue fazer mil e quinhentas coisas bem feitas, que nunca teve que colocar o filho para dormir sacolejando o pobre até quase seus braços caírem com o peso do pequeno, tudo porque não conseguiu acostumar o filho a dormir sozinho… 

Queria ser a mãe que depois que o filho dorme, deixa de ser mãe e passa a ser mulher!

Eu juroooo que queria!!!! Mas não sou!!!

Eu sou uma mãe como tantas outras que conheci. Eu sou uma mãe comum!

Sabe aquela mãe que perde a paciência com o choro sem motivo do filho? Que fica desesperada quando sabe que ele esta com dor mas não pode fazer nada?  Que se desespera na hora que o pau pega de verdade e a única coisa que tem vontade é se sair correndo, gritando desesperada com os braços no ar?

Eu sou o tipo de mãe, que quer gritar palavrão quando tá irritada e morde a língua pra não falar na frente do filho, mas assim que o filho não está por perto, solta até os que a língua portuguesa desconhece!

Eu sou aquela mãe que colocou o filho pra dormir na sua própria cama, para poder amamenta-lo no meio da noite quase sem acordar e que no dia seguinte lembrou que não colocou ele para arrotar… e se colocou, não lembra!

Eu sou aquela que, na hora que o filho faz birra, se sente a pior mãe do mundo, porque a única coisa que tem vontade é de dar umas palmadas, e como não quer nem pode dar, fica sem saber qual a solução mais rápida e acha que nunca vai conseguir acertar na educação do filho!

Sou a mãe que amamentou o filho olhando no celular ao mesmo tempo, que liga a TV e coloca uma galinha pintadinha só para poder descansar e ficar de bobeira!

Sou a que até o filho andar, soube enrolar ele pra mantê-lo pelo menos entre quatro paredes brincando, mas num ato de desespero e exaustão deu um aumento à secretária para que ela começasse a ajudar com as coisas do pequeno, e hoje se arrepende mas não consegue mais voltar atrás!

Já falei que sou a mãe que deixou seu filho dormir mais vezes na sua cama do que no berço, até ele ter um ano? Pois é… sou eu!

Esta sou eu… eu Mirela, mãe do Matheus.

Muitas vezes me sinto péssima!

Me sinto falhando na minha tão esperada missão, embora ainda seja muito cedo… mas tem hora que não sei se vou conseguir me sair bem!

No entanto, de uns tempos para cá, descobri que ser mãe é isto mesmo!

Matheus recebe todo o amor que consigo dar, recebe toda a minha atenção e o máximo da minha dedicação.

Matheus tem limites, escuta nãos, e muitas vezes escuta um pouco mais do que merecia, mas também estou aprendendo a impor limites, e, meu Deus, como isso é difícil!

Se pensarmos bem, sou mãe tem pouco tempo. Tudo é novidade… afinal, sou mãe de primeira viagem e não estou treinando um robô. Estou educando um ser humano, que a cada dia que passa, revela ter gostos e vontades próprias. Ser humano esse, que a cada dia que passa, aprende uma nova forma de testar meus limites, sejam físicos ou emocionais. Ser humano esse, que foi gerado no meu ventre, tem meu sangue, e teu meu coração!

Se humano esse, que por ter meu coração, me faz oscilar entre a razão e a emoção a cada segundo que passa e por isso se torna tão difícil aplicar nele, todas as teorias que antes me pareciam tão obvias e fáceis de aplicar no filho dos outros!

Sabe o que eu concluo?

Concluo que eu sou a melhor mãe que consigo ser, e errar tentando acertar já é muito bom!

Tenho certeza que meu filho quer que eu seja, exatamente a mãe que o meu coração está me ensinando e a que eu estou conseguindo ser!

 

[essb-fans style=flat cols=4]
 
TAGS , , , , , , , , ,
13Set/13

UberBag – A Bolsa das mães modernas

POR: MirelaCATEGORIA: Dicas, Eu testei, Mamãe se cuida, Moda, Papo de Mãe(1) COMENTÁRIOS

Gente, no outro dia eu conheci a Uberbag e fiquei louquinha!

Encomendei uma na mesma hora e chegou ontem… não via a hora de vir aqui apresentar ela para vocês!

A Überbag chega com a promessa de deixar tudo mais fácil, sempre à mão e com muita personalidade.

Prática e bonita, tem muitos compartimentos para levar as coisas da mãe e do bebê.

Sabe aquela história de andar com 2 bolsas atrás?
A bolsa do filho onde vai um mundo de coisas dele, e a bolsa da gente, porque, merecemos nao perder a identidade completamente, e lá jogamos mais um mundo de coisas nossas!

Pois é, eu descobri que podemos andar com os dois mundos de coisas numa unica bolsa!

São as UberBags.

IMG_1898

Seu interior é feito todo de nylon, contém vários bolsos de diferentes tamanhos, alças que permitem conforto e a praticidade e 2 portas-mamadeiras térmicos e uma mini necessarie que leva um trocador. É ou não é über

?IMG_1893

Gente, é das tais ideias de gênio sabe?

Adoro coisas bonitas e praticas!

Eu escolhi o modelo Nina, achei ele mais a minha cara.

IMG_1897 IMG_1899

Tem outros modelos igualmente lindos, que vocês podem ver no site da Raquel Manzatti.

Tenho certeza que vão se apaixonar como eu!

Foi ou não uma ideia fantástica?

ass1

 

 

 

 

[essb-fans style=flat cols=4]
 
TAGS , , , , , , , , , , , , ,
13Jun/13

Hoje o papo é sobre Diarréia!

POR: MirelaCATEGORIA: Papo Profissional, Pediatra(1) COMENTÁRIOS

i183550

A diarréia é caracterizada pelo aumento do numero e alteração do aspecto das evacuações.

O quadro pode ser acompanhado de febre e vômitos caracterizando uma gastroenterite, ou não.

Quando ocorre sangue ou muco (catarro) nas fezes ela é considerada um quadro infeccioso, e quando é apenas liquido não existe a necessidade de tratamento do agente infeccioso, geralmente um vírus.

A diarréia é tratada com a reposição de líquidos e sais minerais perdidos nas fezes, isso pode ser feito com reidratantes orais específicos e também com o aumento da ingestão de líquidos diversos, não contando como liquido refrigerantes e leite integral. O quadro dura entre 3 e 7 dias e provoca uma perda de peso que não deve preocupar os pais, pois é rapidamente recuperada com a melhora do quadro. Quando a criança está doente a alimentação deve ser normal, apenas evitando os excessos de leite e gordura. Se o quadro se prolongar pode ser retirado algum alimento da dieta, mas sempre com orientação do pediatra.

Se for percebida a presença de sangue nas fezes, é necessária uma avaliação e provavelmente um tratamento com antibióticos.

Já existe uma vacina contra o rotavírus, que é uma das causas de diarréia em bebês e crianças.

A vacina oferecida pelo ministério da saúde tem cobertura menor que a oferecida nas clínicas de vacina.

O grande problema da diarréia é a desidratação que ela pode provocar. Os sinais de desidratação são: diminuição da quantidade de urina, ou urina muito concentrada; olhos fundos; pele seca e perda de peso rápida (1 kg/dia). Se houver sinais de desidratação a criança deve ser levada para avaliação médica o quanto antes.

[essb-fans style=flat cols=4]
 
TAGS , , , , , , , , ,
7Jun/13

Hoje é um dia especial!!!

POR: MirelaCATEGORIA: Diversos, Educação, Papo de Mãe(0) COMENTÁRIOS

Banners_Nestlé_Blog (2) (1)

Genteeeee, tou super feliz!!!

Recebi o convite da Nestlê para escrever um post sobre crianças e tecnologia. Fiquei super feliz e empolgada gente, e me lancei no desafio.

Clica aeee na imagem para entrar no Blog Vida de Mãe e ler o que escrevi sobre o tema.

Espero que gostem.

Bjosss

[essb-fans style=flat cols=4]
 
TAGS , , , , , , ,
6Jun/13

A arte de saber cortar as unhas do bebê

POR: MirelaCATEGORIA: Dicas, Diversos, Papo de Mãe(0) COMENTÁRIOS

jh

Gente, vou confessar aqui, este era o meu maior medo! Quase pânico, e eu tinha motivos para isso, quando a minha irmã nasceu, eu resolvi cortar as unhas dela e arranquei um pedaço do seu dedinho, tive pesadelos com isso e tudo kkkkk e quando Matheus nasceu, eu não cortava as unhas dele nem sob tortura, até que me senti segura para tal e hoje ultrapassei o trauma kkkkk também dei sorte, ele facilita demais o meu trabalho, fica só olhando e nem se mexe, parece que sabe! Sabendo que há mais mamães com o mesmo medo, resolvi colocar o passo a passo.

Não tem como fugir! As mamães precisam se preparar para o corte das unhas dos seus filhotes.

A dica é manter a calma e seguir conselhos de quem entende do assunto.

– Esteja segura para este momento, fique tranquila, não deixe que a criança perceba que você é novata neste caso

– Ache o momento da criança, cada criança tem o seu

– Procure fazer isto durante o dia e em local de muita luminosidade

– Ache um lugar confortável, pegue apetrechos para distrair a criança

– Lave bem as suas mãos

– Tenha um cortador ou tesourinha de ponta arredondada exclusivo para esta função

– Os acessórios para cortar as unhas deverão estar bem limpinhos

– Segure bem firme o pezinho ou a mãozinha e em seguida, pegue com firmeza o dedinho da criança separando-o dos demais

– Concentre-se em um dedo por vez

– Empurre a ponta do dedo para baixo deixando a unha (parte branquinha) mais acessível

– Corte sempre reto, sem mexer nas laterais

– NUNCA cutuque os cantinhos das unhas

– Cuidado para não cortar muito, pois o local incomodará a criança

– Deixe o dedão sempre por último. Pode ser que seja mais complicado

– Se algum acidente acontecer, lave imediatamente o dedinho da criança com água corrente em abundancia e sabão.

E pra piorar o nosso pesadelo, unha de bebe ENCRAVA!!!  "Muitos bebês já nascem com unhas dos pés encravadas e, se não for realizado um corte correto, sofrerão sempre com o problema. Isso acontece porque um pedacinho de unha incrusta na pele aí já viu… Isso acontece porque a pele forma uma barreira ao seu crescimento e, como a unha não para de crescer e é mais dura, ela penetra na pele podendo causar dor e ate inflamação.

Quando não trazem a unha encravada do útero, um momento bastante propício para o aparecimento delas é quando os bebês começam a engatinhar. Aí é atrito pra cá, atrito pra lá: lascam, quebram e ferem as unhas. Outras estripulias do bebê também podem ocasionar o problema. Chutes no berço e carrinhos podem gerar pequenos traumas que venham a se transformar em uma unha encravada.

Mamães podem ter sua parcela de culpa na história: macacões com pezinho ocasionam traumas e meias e sapatos apertados costumam ser vilões. A genética também pode influenciar. Nas unhas da mão é muito mais difícil acontecer. Quando acontece pode ser por problema de má formação, corte incorreto ou acidentes.

O que fazer se o pequeno está com o esse "probleminha"? Primeiro, é necessário identificar o porquê daquela unha encravada. Observe se o sapatinho está apertado, se o macacão com pé está pequeno e fazendo pressão nos dedos, se as meias têm costuras grossas ou se o corte está incorreto. Massagear os dedinhos utilizando um creme ou óleo pode ser uma excelente opção. Isso dá um alívio na pressão do dedo sobre a unha, fazendo com que aquele momento seja muito prazeroso para a criança. A massagem deve ser feita com cuidado, bem de leve, com movimentos circulatórios ou escorregando os dedos para cima e para baixo. Nunca massageie com força em cima da unha pois, como a criança está em fase de crescimento, pode ser que afete a formação da mesma.

Fontes:

enfermeiramariana.blogspot.com.br

Bau da criança

[essb-fans style=flat cols=4]
 
TAGS , , , , , ,
21Mai/13

Hoje o tema é Refluxo

POR: MirelaCATEGORIA: Papo Profissional, Pediatra(0) COMENTÁRIOS

Como-fazer-o-bebê-arrotar

Muitas mães entram em pânico quando seu filho golfa pela primeira vez e sempre tem alguém para dar o diagnóstico de refluxo.

Você sabe o que é refluxo?]

Refluxo gastroesofágico é o retorno do conteúdo gástrico para o esôfago. Isso é um evento fisiológico que ocorre por imaturidade dos músculos da cardia (região do estomago). E porque todo mundo tem medo do refluxo?

Quando este refluxo é muito intenso pode representar uma doença, a doença do refluxo gastroesofágico. Isso sim merece tratamento. E como saber se o refluxo do seu filho é fisiológico ou doença?

No refluxo fisiológico o bebê fica bem após as golfadas, mesmo que elas sejam enormes, ganha peso e se desenvolve normalmente. Na doença do refluxo o bebê não ganha peso adequadamente ou pode apresentar uma irritação muito intensa que pode ser confundida com cólicas.

O mais importante é que as medidas posturais resolvem a maioria dos casos. Após alimentar seu bebê deixe a cabeça elevada por até 20 ou 30 minutos, nunca deite o bebê imediatamente após as mamadas. Não coloque roupas ou fraldas apertadas na região do abdome. Evite oferecer mais comida que o necessário, nem todo choro é fome.

Em alguns casos reservados podem ser utilizadas medicações, mas sempre por indicação médica. O refluxo melhora com o tempo. A criança fica mais tempo sentada, come comidas mais consistentes e tudo vai melhorando.

Se você tomar um copo de 2000ml ( 2 litros) de leite e deitar, o que você acha que aconteceria? Essa é a proporção de leite que um bebê toma!!!!

Pense sempre nisso antes de tentar resolver com remédios….

Por Dra. Marina Rocha Azevedo

[essb-fans style=flat cols=4]
 
TAGS , , , ,