9Out/18

Quando a auto responsabilidade chegou

POR: Mirela AciolyCATEGORIA: Diversos(0) COMENTÁRIOS

Quando criança, eu escutei muito dos meus pais, frases como: “Você nunca presta atenção em nada”, “você nunca faz nada bem feito”, “você vive com a cabeça na lua”, “você é uma desorganizada”, “você é uma teimosa”, “você é desobediente”, “você é irresponsável” e entre muitas outras…
Eu não sabia, e meus pais que as falavam, muito menos sabiam que naquelas frases estavam sementes que quando germinadas, se transformariam em crenças, as minhas crenças.
Meus pais, tal como a grande maioria, falavam o que falavam porque acreditavam que dessa forma eu seria diferente. O que acontece é que o cérebro, principalmente dos 0 aos 12 anos é uma esponja e ele não entende as “boas intenções” das palavras dos outros.
Na verdade, ele entende apenas o que os outros falam e as guarda como VERDADES para si.
Então veja o que eu guardei por anos como verdade para mim: Eu nunca presto atenção a nada, eu nunca faço nada bem feito, eu vivo com a cabeça na lua, eu sou desorganizada, sou teimosa… e por muito tempo repeti com os meus filhos, o que os meus pais fizeram comigo. Mas o autoconhecimento chegou e junto chegou também a auto responsabilidade.
Com o autoconhecimento eu descobri que aquilo que o meu cérebro acreditava, NÃO ERA a VERDADE sobre mim. Era sim, uma verdade que tinham colocado em mim. E com a auto responsabilidade eu decidi parar de me sentir vítima dos meus pais e decidi me ver apenas como vítima de OUTRAS vítimas. Os meus pais fizeram o melhor que puderam com tudo o que com os pais deles eles aprenderam.
E agora, sabendo disso eu tenho duas opções: Continuar fazendo com os meus filhos, o melhor que posso com o aprendizado que tive, seguindo assim o ciclo de fazer mais “vítimas de outras vítimas”, OU acolher todo o aprendizado, agradecer por ele mas encerrar o ciclo da vitimização.
Adivinha… Eu escolho não querer mais ser vítima e muito menos seguir fazendo vítimas porque eu sou responsável pelo que faço com os aprendizados que tive e tenho que ser responsável também pelos ensinamentos que passo.
As palavras têm MUITO poder!

Ps – Te amo mãe, te amo pai e que fique claro: Sou muito grata a vocês por terem tentado ser o melhor que puderam.

[essb-fans style=flat cols=4]
 
TAGS

0 comentários

Deixe um comentário