12Jul/14

Os piores dez minutos da minha vida!

POR: MirelaCATEGORIA: Confessionário, Dicas, Educação, Matheus, Papo de Mãe(99) COMENTÁRIOS

10 segundos, em questão de uns 10 segundos, meu filho que estava numa loja de eletrônicos comigo e com o pais correndo com a irmã na minha frente SUMIU!
De repente eu paro de escutar a gargalhada dele, e deixo de o encontrar no meu campo de visão onde ele estava até então.
Dez segundos foi o suficiente. Dez segundos!!!

No começo ainda achei que ele podia estar escondido atrás de alguma bancada, já que de ontem para hoje, a brincadeira da vez em casa é o esconde esconde.
Chamei por ele num tom normal e discreto. Nada!
Chamei de novo e vejo Amanda mas não o vejo!
Chamei novamente, um pouquinho mais alto e quando pergunto por ele para uma senhora que tinha acabado de falar com ele, ela me diz que o pai saiu com ele
O pai saiu com ele??? O pai estava do meu lado olhando para ele! Como assim o pai o saiu com ele???
Meu coração veio na boca e o sangue aqueceu. Num instante o meu passo acelerou e eu corri para fora da loja chamando Matheus um pouco mais alto do que o normal. Olhei meu marido que já tinha saído da loja para o procurar e vi os seus braços vazios. Ele não o achou. O corpo dele aparentava calma, os olhos não! Senti que ele estava ficando tão desesperado quanto eu, mas tentava manter a calma para não me desesperar e isso me fez tremer nas bases. Não era mais uma “brincadeira”. Matheus tinha desaparecido mesmo!
Provavelmente passaram apenas uns dois ou três minutos, mas eu sabia que esse tempo é suficiente para levarem meu filho pra longe e foi então que comecei a gritar pelo nome do Matheus e a olhar um monte de gente se aproximando e perguntando como ele estava vestido para facilitar a procura. Na mesma hora descrevi em alto e bom som repetidas vezes quase no ritmo cardíaco:
“Matheus, blusa verde, bermuda branca. Blusa verde, bermuda branca…” E fui repetindo e implorando para que fechassem o shopping, e achassem meu filho.
Não conseguia chorar, não tinha tempo para chorar. Sentia apenas o meu couro cabeludo fervilhando é a minha mente funcionando a mil ao mesmo tempo que um vazio e uma sensação de impotência começavam a dominar o meu corpo junto com a ideia de que poderia nunca mais voltar a ver o meu filho.
A imagem dele nascendo, dele chamando por mim com aquele jeito doce, o seu abraço, a sua brabeza e a minha vida dali pra frente sem ele me faziam perguntar repetidamente como aquilo tinha acontecido comigo!!! Como ele num instante tava na minha frente e no outro estava sumido?
Como ele saiu do meu campo de visão em tão pouco tempo??? Como eu fui capaz de piscar os olhos? Como eu fui capaz de olhar pro lado?
Porquê eu fui pro shopping com ele? Pra quê???
E em meio a tantos agoniantes questionamentos, continuei gritando pelo nome dele e descrevendo ritmicamente a roupa que ele estava!
Lembro que num determinado momento parei, olhei em volta e vi que o meu pânico tinha atraído uma multidão de gente e que toda aquela gente estava me olhando e sofrendo comigo. Vi mulheres chorando, olhando para mim e sentindo um pouco da minha dor e aquilo me deixou mais desesperada ainda!
Não, eu não podia ter perdido o meu filho!!! Eu não podia!!!
A minha vida era ele, o que eu faria sem ele? Aquilo era um pesadelo e eu precisava acordar logo!

Vi homens correndo de um lado pro outro ajudando meu marido a encontra-lo e ali joguei as mãos à cabeça e o chão fugiu dos meus pés.
Como eu ia viver sem ele???
Como eu ia contar pra minha mãe que tinha perdido o meu filho?
Como eu fui perder meu filho??? Como???
Não caí ali no chão morta porque as mãos de Deus me seguraram e uma força enorme apareceu para me voltar a fazer correr de um lado pro outro procurando pelo meu filho!
Nunca me senti tão perdida na minha vida! Nunca me senti tão desesperada, tão apavorada!
Olhava para a imensidão daquele shopping e me perguntava como eu o ia encontrar ali? E se alguém de fato o tivesse levado? Provavelmente se esconderia em qualquer canto e eu não o encontraria nunca!
Entre um chamado e outro, eu procurava o meu marido e quando os nossos olhares se encontravam eu não conseguia sustentar por muito tempo com medo de ver acusação no seu olhar. Olhava para os seus braços, via-os vazios e me batia mais desespero ainda!
Culpa… A culpa e o medo começavam a me consumir e eu estava com medo de que meu marido também me culpasse. Meu filho ia ficar sem os nossos cuidados, meu filho estava perdido sem mim no mundo e a culpa era minha que tinha arrastado todo o mundo para o shopping!!!
Aquilo não podia estar acontecendo comigo!

Alguém tentou em algum momento me segurar e pediu para eu o acompanhar junto com uma mulher fardada (julgo que segurança) e a mulher estava com os olhos cheios de lágrimas… Me apavorei de vez! Era o fim.

De repente alguém grita ao fundo “acharam” e me puxaram pelo braço.
Parecia cena de filme… A multidão foi se abrindo e ao longe vi Matheus sendo trazido por um homem de blusa vermelha e meu marido pegar nele. Não me lembro de agradecer por esse homem ter me devolvido a vida mas vou pedir que Deus o abençoe sempre e muito. Lembro apenas das minhas pernas voltarem a fraquejar e as lágrimas que estavam já é fúria para sair, se soltaram e desceram enlouquecidas pelo meu rosto. Peguei Matheus nos braços, e junto com o meu marido apertei-o bem forte e quando seguro no seu rosto para ver se ele estava bem, ele olha pra mim e fala “num chore não mamãe!”
Escutar aquela frase nunca me fez tão bem!
Matheus saiu andando da loja onde estávamos e estava no fim do corredor passeando como se nada tivesse acontecido!

Ta pensando que provavelmente está na hora de lhe dar-nos aquele famoso “susto” pra ver se ele aprende?
Pois saiba que já i fiz umas três vezes e de nada adiantou! A mania dele querer ser independente sequer o faz olhar para trás para ver se tem alguém conhecido por perto!

Não desejo a ninguém essa experiência.
A ninguém mesmo!
Escrevi com toda a intensidade e o mais detalhado que pude para que sintam um pouco do que senti e entendam agora o porquê do meu comentário no Instagram que dizia:
“Quem condena quem usa mochila com coleira, sabe de poha nenhuma”.
Hoje eu tive certeza que tem coisas que você insconscientemente acha que nunca vão acontecer com você, mas que a qualquer momento podem acontecer com QUALQUER UM!
NINGUÉM está livre das desgraças da vida gente, e se existem acessórios que podem facilitar a nossa vida e trazer mais segurança para os nossos filhos, não tenha dúvida de que são para ser usados #semvergonha!
Mochilas com coleira por exemplo foram inventadas para assegurar que a criança não fuja de perto dos pais, nem que fique com o braço levantado o tempo todo dando a mão para quem a segura, o que na minha visão deve até ser bastante incomodo. já pensaram como deve ser incomodo ficar o tempo todo de braço levantado com alguém apertando a sua mão e impedindo você de poder andar livremente?
O mundo inteiro já aderiu a esse acessório e quem não usa não condena o seu uso nem olha de lado quando vê. Só aqui se continua apontando o dedo para quem quer apenas garantir a segurança do seu filho! Porquê?
É melhor perder o seu filho no meio de uma multidão (porque não quer que achem que você trata o seu filho igual a um cachorro) e correr o risco de não o encontrar nunca mais do que deixar ele caminhar seguro, com a sensação de liberdade mesmo que limitada por uma guia?
Eu já era a favor dessas mochilas e hoje consegui convencer o meu marido do mesmo!
Só quem passa por tamanho pesadelo é que sabe como uma criança pode sumir em menos de DEZ segundos!

Temos sim que os educar a ficarem sempre perto de nós, mas as vezes não é tão fácil quanto parece nem é do dia para a noite. E tem mães que não contam com a ajuda de terceiros e precisam cuidar das suas coisas com os filhos a tiracolo, então nada mais válido do que uma ajuda extra, já que ajuda humana nem sempre está “à mão”.

Dez minutos foi o tempo que vivi sem meu filho!
Dez minutos!
Foi tempo suficiente para tocar na dor de quem perdeu e nunca mais recuperou um filho. Dez minutos. Tempo suficiente para mudar a minha vida!
Não queria nunca experimentar o sabor desses dez minutos!

     
    TAGS , , , , ,

    99 comentários

    99 Comentários

    Carolina

    13 de Julho de 2014 às 1:08Responder

    Sofri contigo! Concordo plenamente com sua opinião a respeito da mochila. Tenho dois filhos e muitas vezes tenho que sair sozinha com os dois, é complicado demais. Se vou ao mercado coloco os dois dentro do carrinho de compras, se vou ao shopping, coloco um no carrinho e grudo no braço do outro, mas é mesmo muito perigoso. 

      Eliane X. C. Albuquerque

      22 de Julho de 2014 às 21:32Responder

      Comment:Senti a sua angústia com os longos 10 minutos. Me emocionei ao ler o seu relato, e imagino o alívio que sentiu ao reencontrar o seu filho.

       

    nayanna.alice@gmail.com

    13 de Julho de 2014 às 1:53Responder

    Mirela… primeiramente Gloria a Deus que vc o achou!!! so em ler seu post eu imaginei um pouco o seu desespero e so em imaginar eu ja sofri. Deus seja louvado que voce o.encontrou!!! moro nos Estados Unidos e aqui eh super comum usar essas mochilas. e eu com certeza usarei quando meu filho.comecar a andar. Nao importa o que os outros falem ou pensem, o importante eh a seguranca dos nossos pequenos. tenho certeza q sua experiencia serviu pra alertar muuuuitas outras mamaes.
    muito obrigada por compartilhar conosco, mesmo num momento tao dificil. e principalmente.. sem medo de ser julgada.
    Voce eh uma otima mae, isso pode acontecer com qualquer uma de nos!!
    Que Deus abencoe muuuuuito a sua familia!!!

    Camila Cavazane

    13 de Julho de 2014 às 2:12Responder

    Mirela chorei e senti seu pânico tenho um menino de 4 anos que vivo e morro por ele e sempre fui a favor das mochilas com a guia, graças ao bom Deus esta tudo bem e o Matheus ta aí com vc …. Tremi com seu desespero 

    Patricia Ayrosa

    13 de Julho de 2014 às 4:13Responder

    Oi mirela,

    eu tenho a pulseira guardian! Vc já viu? É bem bacana! Veja no site: beluvv!

    fica a dica!

    bjs

    Thaina

    13 de Julho de 2014 às 4:21Responder

    Tenho uma filha de 3 meses e desde grávida estudo muito a maternidade e a criança. É incrível como não saber muito sobre as coisas e o porquê delas fazem com que muita gente tenham preconceitos e maus comentários, né? Não só nesse quesito da mochila coleira, mas no geral. Eu antes de ser mãe não achava necessário o uso, achava que as mães podiam dar conta segurando a mão do filho e no momento que ele soltasse ela ficar na cola dele, mas mãe também é gente e ninguém pode evitar essas mini distrações e pra poder ficar de maos dadas com o filho o tempo todo, vai do humor e personalidade dele… Uma ida ao shopping de passeio em família ia ficar muito mais estressante. Enfim, não tinha preconceitos, mas também não entendia o uso, e hoje depois do seu relato e de mais alguns conhecidos, sou TOTALMENTE A FAVOR e provavelmente futura adepta!! Para perder uma vida, basta ta vivo

    Aline Canuto

    13 de Julho de 2014 às 4:43Responder

    Eu não estava lá não vi e com seu relato posso dizer que vivi o seu momento e foi desesperador graças a Deus foi um susto mais realmente serve de lição. Eu sempre coloco meu filho no shoping para andar na minha frente e agora não o deixo mais correr pelo shoping e ele hj só obedece pq viu junto comigo uma reportagem sobre crianças desaparecidas no fantástico que o fez entender td o meu medo mesmo com apenas 6 anos ele me entendeu. . Bjs e obrigada por dividir conosco.

    Cris Bogers

    13 de Julho de 2014 às 5:06Responder

    Ai Mi, 

    Que sufoco viu. Ainda bem que o Matheus está bem e que vc se acalme do susto. Elise só tem 3 meses e com certeza a mochilinha com alça será a minha próxima compra. bom domingo pra vcs! 

    VIlmara

    13 de Julho de 2014 às 5:57Responder

    Nossa! Você descreveu tão bem que sofri e chorei lendo todo o texto. Ainda bem que o encontrou.

    Maria

    13 de Julho de 2014 às 6:27Responder

    Mal posso imaginar seu desespero. Só de pensar me da muita angústia ….. Nao consigo nem construir esse acontecimento, me colocando no seu lugar, pois bloqueia .Com certeza é um dos meus maiores pânicos .

    Gracas a Deus o final foi feliz meu Deus!!!!!! Mochilinha pode ser feio mas é útil, quem quiser que ache ruim!! O mais importante é garantir o máximo a segurança dos nossos filhos!!! Beijo é fique com Deus !!! Que Deus proteja ess família linda e feliz!

    Izabella

    13 de Julho de 2014 às 6:29Responder

    Na hora que você disse que não escutou mais a gargalhada dele, eu já comecei a chorar! Acho ridículo quem condena a mochilinha. Mas o povo sempre tem que achar motivo pra polêmica, assim que a Laura começar a andar já vou comprar uma.

    Vanessa

    13 de Julho de 2014 às 7:56Responder

    Nossa chorei desesperadamente lendo o seu texto!!! 

    Tenho gêmeos e quando fiz o enxoval a primeira coisa que comprei foi essa mochila guia!!!

    Podem me olhar torto, falar mal…o que for!!!! Mas o que eu não quero é perder o que tenho de mais precioso na minha vida!!!

    Marcela

    13 de Julho de 2014 às 8:06Responder

    Meu filho ainda nem anda! E já fiquei desesperada com seu texto!
    Aqui em casa tratamos voce e sua familia como conhecidos proximos!
    Falei pro meu marido ‘ce viu que Matheus perdeu no shopping?’ Como se fossem uma familia de amigos! Hehe
    Chorei até lendo esse texto! Desesperador!
    Beijos

    Karla

    13 de Julho de 2014 às 8:24Responder

    Sei exatamente o que sentiu,perdi minha filha por uns 2/3 minutos apenas e só de pensar que nunca mais poderia vê-la foi uma dor insuportável.Mas graças a Deus nossas histórias tiveram um final feliz.Fiquei dias pensando como essas mães que perdem seus filhos sobrevivem,só Deus mesmo.Beijos

    Elaine Violini

    13 de Julho de 2014 às 8:24Responder

    Bom Dia Myrela, 

    Consegui ler hoje. Obrigada por dividir esse momento tão sofrido, com um final feliz graças a Deus! 

    Euncomprei a mochila com alça, no enxoval da Valentina. Eu morei nos EUA, e trabalhei 3 anos com babá numa mesma família. E lá o filho do meio, era super rápido e super motor (vivia correndo e pulando). Os outros dois eram mais tranqüilos e bem mais calmos. Os 3 criados da mesma forma, enfim isso não bem ao caso agora. Só escrevi pra dizer, que comprei sim essa mochila, por acreditar que por questão de segurança , e por algumas crianças serem mais ativas que outras, eu concordo que seja necessário usar. 

    Muito obrigada mais uma vez.

    aproveitem o domingo em família. 

    Um beijo grande de uma nova seguidora e leitora aqui de SP. 

    Yeda

    13 de Julho de 2014 às 8:36Responder

    Que angústia , ler isso chega apertou o coração . 

    Gracas a Deus que Mateus está bem e em segurança . 

     

    Bju no ❤️

      Amanda Rós

      13 de Julho de 2014 às 13:07Responder

      Me emocionei com a história 

      não me imagino na mesma situação e nem sei o q faria

      mas graças a deus tudo terminou bem

    Jhana

    13 de Julho de 2014 às 8:47Responder

    Mirela, não consigo nem imaginar a sua dor, mas da pra chorar ledo esse post. Obrigada Jesus por ter devolvido Matheus são e salvo, eles sao a jóia preciosa que destes a nos para cuidarmos. Vou correr e comprar essa coleira hoje.

     

      mariana

      13 de Julho de 2014 às 14:57Responder

      Sinto muito que tenha vivido isso e sinto por tantas outras mães que tb já vivenciaram ou que infelizmente irão vivenciar algo semelhante, pois como vc mesma disse, pode acontecer com qualquer um e basta um piscar de olhos. Aconteceu comigo e em um Shopping tb, meu filho tinha 4 anos, e foi COMIGO, eu, que não tinha confiança de deixá-lo sair com NINGUÉM !!!

      Estava segurando a mãozinha dele até a entrada da loja ( shopping vazio terça-feira pela manhã) , soltei para entrarmos, eu entrei e ele seguiu reto pelo corredor. Quando virei pra trás ele não estava. Não sabia se tinha entrado ou não, procurei pela Loja, perguntei se tinham visto o menino que entrou comigo e me responderam que eu tinha entrado SOZINHA ! Como assim SOZINHA?! Não, eu tinha entrado com meu filhinho!!!!

      Pânico, meu coração parou, meus olhos ficaram impotentes para olhar tudo no tempo que eu precisa, minha voz não estava mais lá…. Saí da Loja , olhei para os lados e não o vi. Que nem barata tonta encontrei um segurança e minha voz saiu pela primeira vez pra dizer as piores palavras da minha vida: Perdi meu filho !!!!! Ele perguntou a roupa que ele estava vestindo, eu disse e ele passou a descrição pelo rádio. E me pediu que o seguisse até o subsolo para registrar a ocorrência. 

      Como assim descer até o subsolo???? Como assim parar de procurar meu filho????? EU o perdi, EU tenho que achá-lo !!!!! O segurança ficou insistindo que era preciso descer pra preencher sei lá o quê. A partir daí eu nem ouvi mais, deixei ele falando sozinho e saí andando como louca pelos corredores. E foi quando ao virar uma "esquina" vi meu filho sendo trazido pela mão por um moço. Também não me lembro de ter agradecido ao moço que, sem exagero nenhum, me devolveu a vida. Mas o agradeço em pensamento todos os dias e noites. 

      Mas me lembro dos olhinhos do meu filho, que chorava assustado, a me olhar. Lembro do seu rostinho encostado no meu, do seu coração a bater forte, do nosso abraço infinito, das minhas promessas em silêncio de que isso nunca mais aconteceria…. 

      Lembro de voltar com ele no shopping ( para que a experiência não o traumatizasse  )uns dias depois e ensinar algumas regrinhas de segurança ( tanto ele quanto eu aprendemos juntos com o que aconteceu ). Tipo o básico que a gente ensina mesmo, dar as mãos, ficar sempre perto da mamãe, mostrar quem são os seguranças, qd de mãos soltas andar sempre na minha frente, nunca atrás de mim, etc… 

      Claro que quando passamos por isso, aprendemos da maneira mais difícil que só esses cuidados não adiantam, que coisas acontecem independente disso tudo, independente de toda nossa atenção, toda nossa segurança… Hoje meu filho está com 8 anos. Hoje tenho uma bebê de 5 meses. Hoje já tenho no armário, prontinha para ser usada, uma mochila com guia, uma pulserinha que apita qd a criança se afasta, e terei tudo o mais que a tecnologia criar ! Nossas histórias tiveram um final feliz, mas qts outras não tiveram o mesmo desfecho…. Fique com Deus! Agarre e beije muito esse gostosinho do Matheus! bjs bjs 

      mariana ( sigo vc no Instagram como @opsmãedenovo )

       

       

    Gabi

    13 de Julho de 2014 às 8:49Responder

    Nossa… Meu coração veio na boca lendo isso. Senti literalmente seu desespero. Mas graças a Deus tudo está bem. Tbem sou super a favor da mochila. Fica bem.

    Laine

    13 de Julho de 2014 às 8:52Responder

    Mirela.
    Hj que consegui ler, e to chorando ainda, só de imaginar passar por isso, as coisas acontecem muito rápido num piscar de olhos , mais graças a Deus o anjinho da guarda sempre proteje nossos filhos…Qto a “coleira” se encontrasse compraria pq realmente não consigo manter o João Pedro ao meu lado quando saimos, ele quer correr pra todo lado e segurar sua mão é uma guerra , com três anos estão descobrindo o mundo.
    Que Deus continue abencoando e protegendo vcs sempre. E que vc nunca mais passe por algo parecido.
    Bjo grande !

    Mariana

    13 de Julho de 2014 às 8:52Responder

    Chorei ao me colocar no seu lugar… Louvado seja o nome do Senhor Jesus, por ter trazido Mateus de volta!!! Fique bem minha querida! 

    Paula

    13 de Julho de 2014 às 9:02Responder

    Mirela chorei lendo teu depoimento! Graças a Jeová Deus ta tudo bem… Nunca na vida quero sentir essa sensação!! Beijos

    Cynthia

    13 de Julho de 2014 às 9:08Responder

    Chorei do começo ao fim… Consegui sentir sua dor e desespero! Não sei se pq to sensível e com os hormônios a flor da pele por estar esperando minha primeira filha que está prestes a nascer, mas chorei muito! 

    Nunca condenei o uso da mochila cm coleira, mas não comprei! Comprei uma daquelas faixas que segura no pulso… Mas com certeza ela pode querer soltar! Vou comprar a mochila msm q é mais segura! 

    Graças a Deus vc achou o seu Matheus! 

    Deus abençoe vcs!!!

    Cynthia

    Taiane Brito

    13 de Julho de 2014 às 9:11Responder

    Deve ser uma angústia tamanha. Meus olhos se encheram d’gua ao ler esse texto. Que bom que ficou tudo bem Mi. Bjs

    carolina

    13 de Julho de 2014 às 9:16Responder

    Que desespero! Bernardo fugiu de mim dentro do meu trabalho uma vez, Mirela, e sei o que foi isso! É uma fração de segundos, só quem é mãe sabe o que eles são capazes. Sou completamente a favor das mochilas/coleiras. Uma colega que tem três filhos comentou uma vez que não sai sem ela, e que as crianças já Fizeram poucas e boas!

    Que bom que matheus está bem!

    Jessica de Jesus

    13 de Julho de 2014 às 9:17Responder

    Mirela querida!Imagino o tamanho do seu desespero. Certa vez Antonio sumiu cerca de 3" embaixo das roupas da loja.Só o fato de não conseguir vê lo já me bateu um desespero.Foi horrível! Graças a Deus terminou tudo bem pra vocês também ! Faça o que achar melhor para segurança do seu filhote sim, não se importe com  o que vão pensar, mãe sempre faz tudo unicamente por amor!Espero que tenha se recuperado do susto!Um beijo o seu coração.

    Daniela

    13 de Julho de 2014 às 9:18Responder

    Chorei….. Que dor horrível…. Graças a Deus tudo se resolveu e vc vai acordar com ele falando bom dia, não!
    Adoro seu ig. Tenho um filho de um ano e nove meses… Fiquem com Deus

    AnaLuiza

    13 de Julho de 2014 às 9:26Responder

    Nossa que angústia!!! Pra ser sincera  eu tenho dessas "coleirinhas" mas nunca levo pq sempre esqueço no carro, mas olha sabendo quem eu tenho vou passar a não esquece-la mais! Deus me livre desses 10 minutos !! Muito bom seu post, esclarecedor, aconselhador, e bem lembrado. Muita luz no teu caminho !

    Ana Beatriz

    13 de Julho de 2014 às 9:27Responder

    Nossa, que angústia.

    Cada palavra que lia , me imaginava no seu lugar e chorei ao ler cada parte, graças a Deus Matheus voltou. E isso serve como lição para todas nos, eu ainda mais que tenho dois pequenos. 

    Nao quero nem pensar. 

    Bjs 

    Luana

    13 de Julho de 2014 às 9:42Responder

    Senti sua dor lendo esse post Mi! Chorei aqui morrendo de medo de também acontecer com Helena!

    Deus abençoe vocês! 

    E sou super a favor da coleira de mão. Melhor usar do que perder meu bem mais precioso !

    Alessandra gangnuss

    13 de Julho de 2014 às 9:46Responder

    Mirela,EU PASSEI POR isso recentemente,meu filho sumiu de mim POR SEGUNDO's ,sei exatamente o q VC sentiu nesses 10 min.E sim,EU TENHO a mochilinha ja algum tempo,'e bem comum AQUI nos EUA o SEU USO…e meu filho nao SE importa c as limitacoes q esses acessorios lhe causam! Vale a Pena…Abracos,Al

    Cynthia

    13 de Julho de 2014 às 9:48Responder

    Tenho gêmeos. Sempre usei esse acessório q aqui em casa chamaamos de coletinho.
    Quase apanhei na rua duas vezes por usa-los. Respondo grosseiramente qm me condena.

    É duro ver um país como nosso ser tão atrasado nessas questões de segurança.

    Q bom q vc encontrou seu peqieno.

    Andreia

    13 de Julho de 2014 às 9:51Responder

    Cheguei a derrama lágrimas pois mim vi na sua vez ate porque tenho dois filhos e do quatro já que ser assim independente !!Deus conforta teu coração isso foi mais que uma lição pra todas as mães !!

    Natalia

    13 de Julho de 2014 às 9:58Responder

    Lógico que chorei, né? Meu filho ainda é bebê, mas quando começar a andar usará a tal mochila. Sempre vi e achei sensacional. Quem condena não faz parte da minha vida e não paga minhas contas então que se danem. Graças a Deus o Matheus ta bem, e que Ele permita que eu nunca sinta isso que vc sentiu.

    Bruna

    13 de Julho de 2014 às 12:38Responder

    Acho que o preconceito já começa no nome… Coleira é usada no pescoço do cachorro, como um colar! Essa mochila tem apenas um cordão que a mãe consegue saber onde o seu filho está indo! Se fosse assim aquelas pulseiras que algumas mães usam deveriam chamar algemas!!! Sou super a favor!!!!

    Ainda bem que acabou tudo bem. Deus proteja vocês!!!

    Fernanda

    13 de Julho de 2014 às 12:40Responder

    Passei por isso Mirela! Chorei lendo o seu relato porque foi exatamente como eu me senti quando perdi a Isabela no shopping. Estavamos tambem numa loja e foi o tempo de eu pegar uma roupa na arara e olha em volta e ela sumiu. O pai estava na porta da loja e nao a viu passar. Foi horrivel!  Gracas a Deus voce, assim como eu, encontrou o seu Matheus! Beijo enorme

    Ana

    13 de Julho de 2014 às 12:52Responder

    Nossa chorei lendo! Senti seu desespero! 

    Aqui usamos a mochilinha e ela ajuda muito! Adoro ela! 

    Raianny

    13 de Julho de 2014 às 12:56Responder

    hMirela meu nome e raianny tenho 18 anos, e não tenho filhos, te sigo no insta a um bom tempo e ontem fiquei aflita quando vc disse que iria contar algo sobre ter perdido Matheus tentei entrar ontem e não consegui, acabei de ler o post e como vc deve imaginar chorei como uma criança, eu acho que vc passou pelos minutos mais terríveis da vida e graças a Deus que foi um susto e ele está bem, sou a favor sim da guia mesmo não tendo filho acho que e melhor vc ser jugado por usar ela do que ficar sem seu filho p smp bjos e que Deus abençoe mto sua família.

    Daniela Aguiar

    13 de Julho de 2014 às 13:00Responder

    Qua angústia. Chorei só de imaginar a sensação de por 1 segundo não ver nunca mais o seu filho. 

    Kamila

    13 de Julho de 2014 às 14:02Responder

    Mirela li e me emocionei tb com sua experiencia. Sempre tive medo de acontecer isso comigo e tenho certeza que não foi fácil para vcs passarem por isso. Imagino que esses dez minutos pareciam ser eternos; mas gracas a Deus que o encontros. Também apoio o uso da mochila. Sempre quis comprar e agora através da sua experiencia me mostrou o quanto e necessário. Deus abençoe vcs! Abraço

    Carol

    13 de Julho de 2014 às 14:10Responder

    Oi, Mirela! Chorei lendo o seu relato. Não sou mãe ainda, mas nunca me esqueci de algo que vivi qdo tinha apenas 7 anos. Minha família sempre passava as ferias de fim de ano no Guaruja, na praia de pitangueiras. Quem conhece sabe que aquilo vira um formigueiro maluco no fim de ano. Enfim, eu tinha 7 anos e minha irmã caçula 2 aninhos. Eu estava brincando c ela na beira do mar e de repente ela sumiu. Meus pAis estavam de olho em nós, mas tb não sabem em q momento ela se perdeu. Eu lembro da sensação de desespero q eu senti, com apenas 7 anos. Fiquei completamente apavorada e triste. Minha mar gritava por ela. Meu pai não sabia pra qual lado ia. Enfim, li seu relato e td isso veio a tona. Qdo tiver filho tmb vou usar dos acessórios necessários para evitar isso. Ainda bem q vc encontrou seu filho! E minha irmã foi achada 20 minutos dps. São 2 histórias c finais felizes, ainda bem! Q nunca mais vc passe por isso, pq é um desespero sem fim msm! Beijo enorme pra vc e pra ele! 

    Paloma

    13 de Julho de 2014 às 14:15Responder

    Nossa, Mirela!
    As lágrimas vieram nos olhos, ainda não tenho filhos.
    E o meu maior sonho é ter um, espero que não demore! Tenho um sobrinho de 8 anos e um que não tem nem 01 mês e está na UTI, eu ainda só o conheço por foto, mas sei que já o amo demais e faço de tudo para que ele saia com vida e saúde!
    Vamos orar por ele Arthur da Mota ♡

    Micharli

    13 de Julho de 2014 às 14:32Responder

    Todos os pais tem colocar em seus filhos, isso se chama cuidado, minha filha não sai sem sua mochila e eu segurando atrás. Adotem pais…

    Vanessa

    13 de Julho de 2014 às 14:36Responder

    Nossa Mirela me emocionei. Deus me livre isso acontecer comigo. Gracas a Deus deu tdo certo.

    Lidiane Domingues

    13 de Julho de 2014 às 14:44Responder

    Não tem como ler e não chorar.

    chorei. Senti angústia ao me colocar no seu lugar. 

    Sempre fui a favor destas mochilas com guia e com certeza vou usar no Murilo. 

    Bjim e fiquem com Deus

     

     

    thata

    13 de Julho de 2014 às 14:52Responder

    JESUSSSS….chorei do inicio ao fim…tenho dois filhos..uma ainda nao anda…mas usei com o primeiro e usarei com certeza com a pequena essa mochila coleira…que se danem os comentários. .o importante é a segurança dos meus filhos e a minha paz.

    Daniela

    13 de Julho de 2014 às 14:59Responder

    Nossa, chorei aqui de agonia… Graças a Deus tudo deu certo. Quando eu era pequena me perdi dos meus pais na praia, chorava horrores e só sabia dizer que minha mãe estava com um maio verde de flores vermelhas, graças a Deus também uma senhora me "guardou" com ela na barraca enquanto o marido foi procurar quem tinha perdido uma menina, nossa, lembro claramente de quando vi minha mãe, choramos horrores, e isso tem 30 anos, eu tinha 3. Meu pai e meu irmão, na época com 8 anos, ficaram com bolhas nos pés de andarem na areia quanto da praia lotada me procurando. Sou super fovaravel a mochila, meu filho tem 3 anos e adora brincar de se esconder nas araras das lojas, fico desesperada quando some da minha visão. Graças a Deus tudo deu certo. Ainda existem pessoas boas no mundo.

     

    Milena Melo

    13 de Julho de 2014 às 15:15Responder

    Graças a Deus o susto passou. Já aconteceu comigo e esses minutos parecem eternidade. A partir desse fato Tb passei a ser a favor da mochila.

    Andrea

    13 de Julho de 2014 às 15:16Responder

    Mirela, me emocionei e chorei muito com seu post! Eu já estou a procurar a tal mochila/coleira pra minha filha de um ano e seis meses, porque ela está com o hábito de se soltar da minha mão e correr desfreadamente. Ando com pavor de sair com ela, especialmente se ela puxou a mãe (eu). Quando era pequena, perdi a conta de quantas vezes me perdi da minha mãe, exatamente por me sentir independente tal como descreveste teu Mateus. Certa vez, fiquei sumida por 2 horas numa praia em Recife (minha mãe é de recife e costumávamos passar as de tias por lá) que estava LOTADA! Eu tinha 3 anos e ela me encontrou por milagre! Está foi uma das incontáveis vezes q me perdi, e não desejo nem um minuto deste desespero pra ninguém. É uma fase e vai passar. Um dia Matheus não vai mais se esconder ou sair de sua vista, mas até lá use e abuse da mochila e se souber onde vende, posta pra gente comprar também! Beijos e mais beijos no Matheus!!!

    Cíntia

    13 de Julho de 2014 às 15:18Responder

    Meu Deus, cheguei a ficar arrepiada e com os olhos cheio de lagrimas! Graças a Deus acabou tudo bem.

    WÂNIA

    13 de Julho de 2014 às 15:25Responder

    Mirela, em abril durante minhas férias, num shopping em Fortaleza. Estavamos escolhendo nosso almoço, meu marido, minha mãe e minha filha de 3 anos. Eu parei num restaurante e meu marido tbm e minha mãe continuou andando para ver outro e minha filha seguiu com ela. O que para mim tudo bem. Quando meu marido decidiu o que queria e eu iria pedir e pagar, ele falou: cadê a Fernanda? Respondi: com a mãe. E ele disse vou ver e saiu. Eu continuei na fila, fiz o pedido, paguei e fui procurar lugar numa boa. Quando encontro com ele e a Fer chorando, pensei que ele tinha chamado a atenção dela ou coisas do tipo. E ele me revela que viu minha mãe sem ela e quando a questionou, ela nem tinha percebido que a criança tinha seguido junto. Eles começaram a correr e chamar, quando um senhor disse que tinha visto uma menina chorando do outro lado da praça. E ele a encontrou. Eu sofri só de ouvir e me senti péssima porque enquanto eu estava tranquila escolhendo o que comer, minha filha estava perdida, sabia que estava perdida e por isso chorava de soluçar. Ela me abraçava tão forte. Graças a Deus não aconteceu nada. Mas a lição ficou e trouxe um medo bom para ela de não querer sair de perto de nós em lugares cheios. Graças a Deus que com Matheus tbm acabou bem. Abraço forte!
     

      Rita Garola

      16 de Julho de 2014 às 19:33Responder

      Nossa chorei com vc….tenho gêmeos e na parte da mochila me identifiquei muito pq isei com eles e via a cara das pessoas me olhando torto….falar que criança não é cachorro, até dar uma resposta pra uma que se fosse um filho dela q se soltasse sem querer e fosse a rua e outro pra outro lado vc salvaria qual? Muito facil ser jungada quando não se passa na pele…hj eles estão com 6 anos…nunca me deram um susto assim mais cho que morreria….

    Camilla Verdan

    13 de Julho de 2014 às 15:25Responder

    Nossa…
    Não consigo nem imaginar como deve ser perder o filho. Sensação péssima.
    Só sei que chorei horrores lendo o post. Imaginando a sua dor e me pondo no lugar.
    Graças a Deus tudo acabou bem com você e o seu Matheus.

    janusse

    13 de Julho de 2014 às 16:01Responder

    Chorei aqui só de ler , que angústia, que desespero !! Que Deus continue abençoando vcs.

    Aline

    13 de Julho de 2014 às 16:01Responder

    Mirela,

    As lágrimas em meus olhos foram brotando a medida em que fui lendo o seu relato! Fiquei imaginando o seu desespero… E como mãe tb imaginei o aperto no peito!!! Graças a Deus tudo acabou bem!!! 

    Tenho um filho de 1a5m que tb é minha vida!! E está numa fase que não quer andar de mãos dadas. Uso a mochila as vezes pq ele tb não gosta. Mas a partir de hj vou usar sempre!!

    Adoro seus conselhos e especialmente os vídeos do Matheus!!

    beijos no coração

     

    Danielle

    13 de Julho de 2014 às 16:04Responder

    Isso ja aconteceu comigo e posso entender perfeitamente sua dor. Levei alguns dias, ate semanas pra me recuperar do susto. Acordava assustada no meio da noite pra ficar olhando pro Davi, e muitas vezes imaginava que ele poderia não estar ali. Graças a Deus, eu e vc encontramos nossos pequenos, mas sempre me pego pensando na dor das mães que não encontram seus filhos nunca mais. Só Deus pra dar força e consolar.

    Kathiuska

    13 de Julho de 2014 às 16:07Responder

    Eu vivi algo parecido, dias atrás, mas nem se compara pois não foi em lugar grande e lotado de pessoas como um shopping, foi na padaria, sim, meu filho conseguiu desaparecer dentro da padaria… ele simplesmente resolveu passear na cozinha de lá, qdo eu já estava quase enfartando e achando que alguém o tinha levado, a balconista vem com ele e me chama pra mostrar onde ele estava… Não foram nem cinco minutos, mas foi o suficiente para ficar desesperada tb.
    Chorei ao ler o seu relato, chorei muito, pois tb não sei viver sem o meu maior amor, mas fico muito feliz por ter acabado tudo bem. Isso tudo me fez pensar em tb comprar a mochila, ele fará três anos em dezembro, mas acho que aproveitará bastante.
    Beijos e fiquem com Deus!

    Thaís Diniz

    13 de Julho de 2014 às 16:10Responder

    Nossa Mirela, arrepiei!!!!!! 

    Ana

    13 de Julho de 2014 às 16:38Responder

    Não gosto nem de imaginar uma situação dessas! Chorei de ler a sua angústia!
    Bjs

    Viviane Rogati

    13 de Julho de 2014 às 16:40Responder

    Mi,

    Chorei litros lendo tudo isso, passou como um filme, Graças a Deus acabou tudo bem.
    Agradeça muito a Deus por esse momento, sofri muito com você lendo tudo isso.
    Desejo a vocês tudo de melhor.

    Um grande beijo, que Deus abençoe muito a família de vocês.

    Carla Lauz da Silva

    13 de Julho de 2014 às 17:20Responder

    Mirela sei bem como foi a tua dor pq senti o mesmo quando fui a um evento com meu marido minha sogra e meu sogro. Meu marido já estava cansado de tanto andar pra lá e pra cá com meu filho e eu falei que ficaria com nosso filho pra ele descansar,quando ele sentou e eu fui na direção do meu filho aí minha sogra me disse, – Carla olha aquele menino ali, acho que ele esta procurando por alguém.  Quando olhei o menino estava com carinha de choro fui na direção dele com o meu filho ao lado e perguntei , ele me respondeu,- estou procurando meu pai.  Aí chamei meu marido e falei pra ele levá-lo ao auto falante e chamar o pai dele,meu marido veio e perguntou onde esta o Pedro Henrique ? Eu respondi, esta aqui e olhei pro lado enquanto meu marido saiu pra levar o menino eu não achei mais o nosso filho, caramba meus sentimentos se acemelhavam com o teu, entrei em desespero sai a procurar e pedindo ajuda fui ao pessoal das crianças perdidas e não adiantava nem chamar no autofalante pq ele tem 2 anos e 7 meses e não ia atender. Fui ao palanque pra ver se enchergava ele mas era um mar de gente e eu imaginei td o que tu imaginou. Enquanto eu fazia td isso meu marido saiu a procurá-lo ,foi quando olhei em meio a multidão meu marido vinha com ele nos braços, sai em desparada ao encontro deles e quando cheguei peguei meu filho nos braços e só sabia era chorar de desespero e de alívio, quando ele me falou, – não chora mais mamãe !! Eu falei, – meu filho não sai mais de perto da mamãe, não sai mais, e ele me disse,- também mamãe eu não saio mas não chora mais. Fora os 10 minutos mais longos da minha vida, por isso sei bem o que tu passou e tbm não desejo isso pra ninguém. Foi a minha sogra quem o achou, ele estava no escorrega infalível e tinha até pedido pra moça tirar os sapatos dele pra subir no escorrega. O pior foi escutar meu sogro falando que eu tinha que ter mais cuidado e atenção com ele, minha vontade era de explodir e falar um monte de coisas pq a minha sogra e meu marido estavam a 3 metros de nós e tbm não viram ele sair, ele estava do meu lado. Se pudesse tbm teria esta mochila pra usar nele sim.

    Cecilia

    13 de Julho de 2014 às 17:33Responder

    Nossa… Sei bem o que sentiu, perdi minha enteada num shopping também nessa mesma fração de segundos… É aterrorizante!!! Deus te proteja e a Matheus sempre!!! Estava grávida e naquele momento já comprei a famosa coleirinha para minha filha… Estou só esperando ela aprender a andar. Bjs

    Flávia

    13 de Julho de 2014 às 17:34Responder

    Ufa, que nervoso! Chorei…

    Graças a DEUS deu tudo certo!!!

    Sou a favor e uso sim a mochila… Beijo e da muitos beijos nele por nós!!!

    Dani

    13 de Julho de 2014 às 17:47Responder

    Mirela; Nao sou mae ainda, mas sigo o seu instagram pq sou apaixonada por criancas e o Matheus e o Pepeu sao uma graca!! Morro de amores pelos dois… assim como vc ja passei por uma situacao dessa,mas com a minha afilhada na epoca com 1ano e 11meses, pra mim nao tem nem palavras pra descrever os sentimentos… foram os piores minutos da minha vida, foi em um shopping tbem, na epoca de Natal, estava com uma amiga a irmazinha dela de 4anos e minha afilhada, as duas iam na frente e voltavam repetidas vzes, mas teve uma vez q foram as duas e so voltou uma delas.. passaram milhares de pensamentos, sentimentos ao msmo tempo, fiquei. TOTALMENTE DESESPERADA!!!! O que eu ia falar pra mae dela???? Corri pelo shopping chamando por ela e descrvendo como ela estava pra quem eu conseguia, me lembro ate hje calça jeans e blusa rosa, e de maria chiquinha no cabelo.. hje entendo q foi Deus q me direcionou pra sair do shopping e procurar do lado de fora, pois ela estava TOTALMENTE perdida no estacionamento… foi Deus q abencoou para q nao acontecesse nada com ela, para q ninguem a levasse.. A senssacao de encontra-la foi de alivio, mtooo alivio, o amor q tenhu por ela e de mae, nao sei oq faria da minha vida carregando o peso de te-la perdido… mas graças a Deus, acabou tudo bem!

    Sanvai

    13 de Julho de 2014 às 20:00Responder

    Meu Deus que medo… sou super a favor da mochila com guia.

    Graças a Deus o susto passou

    Talita

    13 de Julho de 2014 às 20:34Responder

    Posso imaginar seu desespero, com toda certeza os filhos são nossos maiores tesouros! Sou totalmente a favor da "guia", assim quem minha filha esteja andando irei usar, sem medo de olhares e apontamentos de pessoas ignorantes que infelizmente ainda existe aos montes.

    Graças a Deus, a N. Senhora e ao Anjo da Guarda do Matheus que acabou tudo bem, todas nós que amamos seus posts iríamos "morrer" junto com vc se algo tivesse acontecido!

    Dayane

    13 de Julho de 2014 às 21:03Responder

    Realmente a dor é imensa, o mesmo aconteceu comigo no caixa do mc donalds, qdo fui pegar o cartão na bolsa e olho pro lado cade? Não precisa nem de 10 segundos… Ja larguei td e comecei a procurar tb foi horrível, desesperador, a sensação de perder e o sentimento de culpa é incalculável!!! Foram meus 10 piores minutos da vida tb!!!! Eles querem independência, é inacreditável que um serzinho de 3 anos acha que ja pode tudo, ele tb estava no final do corredo principal, onde fica os carrinhos pra aluguel, que tinha acabado de devolver pra irmos comer… Só Jesus pra nos guardar e livrar… Graças a Deus Miguel e Matheus estão bem hoje com as suas mamães!!!!!

    Lua

    13 de Julho de 2014 às 21:53Responder

    Ai Mirela que Angústia ler isso, fiquei com aperto no coração e os olhos cheios de lágrimas, meu filho tem 1 ano e quase dois meses e uso a mochila, ele começou a andar cedo então já deixo no carro, qnd vou ao shopping já uso, vejo alguns olhando de lado mas sempre achei mais certo que errado a segurança em primeiro lugar e se deus quiser nunca vamos passar por isso! 

    solange silva

    13 de Julho de 2014 às 22:15Responder

    ROi Mirella boa noite eu posso imaginar a sua angústia pois passei por isso em uma loja no supermercados meus dois filhos do meu lado tenho um de 7 e outro de 2 anos eles estavam do meu lado e de repente o menor sumiu, e fiquei desesperada e meu marido saiu pra pedir alguma informação sobre um produto e eu comecei a.chamar por ele e perguntei pro maior cadê cadê…e ele olhava pra mim e falava não sei mãe e comecei a gritar gritar andando pelos corredores e nada, e eu pensava um segundo meu Deus, e nada de repente entrou no corredor estava ele brincando com as bolas todo entretido, ele é doído por bolas, e antes passamos por elas, e ele queria parar lá pra brincar com elas mas eu não parei, olha uma sensação horrível, nunca mais espero passar por isso, se tem acessórios que ajudem a gente temos que aderir!!!

    carol

    13 de Julho de 2014 às 22:18Responder

    Nossa que desespero! Tenho muito medo disso acontecer, Júnior e igual Matheus, acha que é super independente. Senti seu desespero nas suas palavras. E como já disseram graças a Deus ele está com você sã e salvo!

    Natalia

    13 de Julho de 2014 às 22:28Responder

    Mirela, Maria e José também perderam Jesus quando voltavam de Jerusalém, ficaram desesperados e voltaram imediatamente. Depois de tanto procurar encontraram! Não se culpem.. As crianças cegam os pais! Que Deus os abençoe. 

    Francilene

    13 de Julho de 2014 às 23:07Responder

    Danielle

    13 de Julho de 2014 às 23:29Responder

    Passei o mesmo que vc neste sábado. Meu marido/sogra e tia e a irmã perderam minha filha de 2 anos e 11 meses enquanto eu fui numa loja. Foram os piores 5 min da minha vida. E serviu de alerta para meu esposo. Agarrei minha pequena e a carreguei por umas 2 hs no colo sem parar. Graças a Deus nossas riquezas estão bem. Bjs

    Jacqueline Scarparo

    13 de Julho de 2014 às 23:51Responder

    Uma vez vi um casal usando a mochila em uma menina… Achei um absurdo!! Onde já se vi?? Mas o JP era pequeno… Bebezinho… Quando ele começou a andar e dar aqueles bailes (graças à Deus ele nunca sumiu) em shoppings e super mercados mudei minha opinião… Acabei não comprando a mochila mas nunca mais julguei… Graças a Deus deu tudo certo com vcs… Que Ele continue abençoando e protegendo vcs… bjs

    Beatriz

    14 de Julho de 2014 às 0:01Responder

    Eu tenho verdadeiro PÂNICO de meus pequenos sumirem!
    Mas o meu pânico não é de que eles se percam…. É de um maluco sumir com eles, os levarem….
    Sempre uso aquela velha história do “homem do saco” que os coloca dentro e some com eles para sempre. E que nunca mais verão o papai e a mamãe!
    Sim! Eu coloco terror!! E já fui criticada até por familiares por fazer isso! Colocar medo na cabeça das crianças… Mas o “homem do saco” não existe?? Claro que existe!! Não desta forma, talvez… Mas existe!! Não os deixo soltos nem ma garagem do prédio… E vou continuar colocando terror sim!!!
    Melhor pecarmos pelo excesso!!
    Beijo no Matheus!

    Amanda

    14 de Julho de 2014 às 0:36Responder

    Ja Vivi exatamente essa dor minha filha sumiu no shopping foram 30 min mais longo de toda minha vida e eu gravida de 8 meses como eu sofri . no mesmo dia comprei a mochila . nao saiu sem Ela e nao dou bola p quem critica só eu sei q passei

    kathleen campos

    14 de Julho de 2014 às 10:33Responder

    Chorei ao ler seu post. Fico feliz em saber que Mateus esta em teus bracos a salvo. Isto que te aconteceu infelizmente é muito comum. Ha cerca de 1 ano estava em uma loja de brinquedos e presenciei uma cena dessas. Mirela, o tom da viz de uma mae a procyra de um filho desaparecido é angustiante. Nao consigo esquecer aqueles minutos de angustia. Me lembro que gritei pro meu marido que estava na fila a pagar para que corresse pra fora da loja pra ajudar o pai da criança na procura. Enquanto isso a dor na voz da mae me fazia chorar com meu filho nos braços. sentia toda sua angustia. E por fim entra na loja o pai com segurança do shopping trazendo a crianca. A mae desabou… e eu aos prantos…. fomos embora do shopping, mas o ocorrido me tocou e aprendi com a dor alheia uma lição que nunca quero passar e nem desejar a qualquer mae.

    Danielle

    14 de Julho de 2014 às 10:44Responder

    E termino de ler chorando.
    Graças a Deus.

    Daniela

    14 de Julho de 2014 às 13:13Responder

    Menina, chorei lendo seu post! Acho q este e o maior medo de uma Mae! Sou completamente a favor da mochila coleira, e nao estou nem ai pra opiniao dos outros! Fico paranoica so de pensar em lugares cheios, tipo praia lotada, shopping, etc! Gracas a Deus so foram 10 min, suficientes pra desesperar! E as criancas, inocentes, nao aprendem nao!

    Cibele

    14 de Julho de 2014 às 13:23Responder

    Chorei imaginando vc. Graças a Deus tudo deu certo. Faça con seus filhos o melhor. Não se preocupe com o que os outros acham e compre mesmo a mochila.

    vanessa

    14 de Julho de 2014 às 14:03Responder

    Que desespero. .. Deus me livre… chorei lendo…
    Comprando a mochila em 3..2..1

    Paula

    14 de Julho de 2014 às 15:54Responder

    Nossa! Deus me livre. Vc tem toda razão. Senti tudo que vc escreveu. Deus me livre. Que bom que está tudo bem. Que bom. Ufa.

    Camila Lima

    14 de Julho de 2014 às 17:39Responder

    Nossa, consegui chorar junto… Acredito que as pessoas que condenam as mochilas são akelas que ainda não são pais… Sei que nunca conseguiremos agradar a todos… Julgamentos são comuns. Façamos as nossas escolhas de proteger nossas crianças e pronto! Phodam-se as opiniões alheias que nem sempre sugerem opções melhores…

    Marleide

    14 de Julho de 2014 às 17:46Responder

    Que angústia Mirela! Chorei! Graças a Deus está tudo bem!!' Bj

    Marcella

    14 de Julho de 2014 às 19:12Responder

    Mirella, perdi minha filha uma vez numa loja de outlets nos EUA. Ela estava ao meu lado vendo as araras e de repente não estava mais. Foram os piores minutos da minha vida, parecia q ia morrer, não conseguia nem respirar!!!! Reconheci cada sentimento q vc descreveu, q angústia né.

    No caso da minha, q já era maior, tinha 7 ou 8 anos, ela tinha ido ao banheiro, acredita? Chorei e abracei ela tanto!!!!!! Que dor achar q ela ia se perder para sempre!!!!

    graças a Deus tudo acabou bem, no meu caso e no seu!!!! Não se culpe, crianças cegam mesmo!!!

    um grande bj para vc

    Erica

    14 de Julho de 2014 às 21:48Responder

    Angustiante ler tudo. Lembra o momento em q eu e meu marido passamos por isso dentro de um mega supermercado. Foram os 5 minutos mais terríveis da minha vida. E tbm não desejo isso a ninguém. É como morrer e continuar respirando, é como gritar num sonho e ninguém ouvir, é como descer lentamente de um precipício e ficar imaginando a dor da queda. É triste! Entendo perfeita e desesperamente cada segundo.

    Rafaella

    14 de Julho de 2014 às 23:17Responder

    Imagino a sua angústia. Tenho 2 filhos pequenos uma de 3 e outro de quase 2. Tenho muito medo de acontecer algo, e ando sempre grudada. Não os levo em shopping qdo vou olhar algo, pois o risco de  é grande. Prefiro prevenir! Não uso a mochila, mas não vejo problema algum de usá-la caso necessário. Segurança dos nossos filhos em primeiro lugar, o mundo hj em dia está muito perigoso, existem pessoas ruins onde menos imaginamos. Antes que falem que sou neuróticas, já explico… Já passei por um desespero enorme com minha irmã mais nova, estava com minha avó na praia, e minha irmã num piscar de olhos 'desapareceu'. Graças a deus teve um final feliz, mas poderia não ter sido. Então.. Cuidado mamães!!!

    Leticia Vega

    15 de Julho de 2014 às 0:42Responder

    Senti um aperto muito grande no coração e chorei ao ler seu relato que serve de alerta a todas nós. Tenho gêmeos de 2anos e 1 mês e NUNCA consegui sair sozinha com os 2, sempre tem uma outra pessoa para ajudar , seja pai, avó, tio ou baba e mesmo assim tenho as mochilas. Ainda não precisei usar com a 'guia' , uso apenas para segura-los pela alça qdo ameaçam 'fugir', além de eles mesmos poderem carregar sua garrafinha/copinho de água e uma cartão com nome e telefones. Confesso q antes de ser mãe julguei quem usava essas 'coleiras', mas hj acho uma segurança necessária. Graças a Deus seu filho foi encontrado rapidamente e em segurança e que nem vc – nem ninguém – sinta esse desespero. 

    Wanessa

    15 de Julho de 2014 às 4:22Responder

    Mirela,

    Ainda nao sou mãe mas sou facinada pela maternidade, leio seu blog e te sigo no instagram a bastante tempo. Sempre tive vontade de dizer umas coisas, e depois desse texto resolvi falar.

    Acho como você aborda o assunto da maternidade em todos os angulos incrivel! Sem falar de como nós, leitoras, nos sentimos próximas de Mateus como se fossemos realmente conhecidas!

    Logo quando escreveu a historia sua e de seu marido eu já tinha concluído, e você também, que deveria escrever um livro sobre o romance. Mas sinceramente deveria levar isso a serio!

    Você aborda e desenvolve muito bem suas historias, seus temas… Tem O dom!Parabéns!

    obs.: gracas a deus tudo ocorreu bem com Mateus!

     

    Abracos

    Raisa

    16 de Julho de 2014 às 18:45Responder

    Mirela, lendo o seu relato eu senti junto com vc o seu desespero! Aconteceu comigo com minha sobrinha de 6 anos! Ela estava comigo brincando em um daqueles brinquedos infláveis num lugar grande com um gramado, em segundos ela sumiu! O amiguinho que estava com ela não sabia dela, eu com um barrigão de quase 8 meses, sai a procura dela passou tudo isso por minha cabeça também! E uns amigos que também procuravam ela, ver nos olhos deles o medo de não encontrá-la me angustiava ainda mais! 10 minutos de desespero e encontrei Alice que tinha ido encontrar uma amiguinha que tinha acabado de conhecer! Pq os pais da menina não deixavam ela sair dali! Achei um absurdo! Como dois adultos não fazem nada? Acharam que uma criança de 6 anos ia estar lá no parque sozinha??!!!

    Graças a Deus, deu tudo certo! 

    Daniela Schalge

    16 de Julho de 2014 às 22:56Responder

    Meu filho acabou de fazer 4 anos e ainda ñ perdeu a mania de sair andando sem ao menos olhar para trás. Não sabemos mais o q fazer para ele não sair de perto da gente. Tá difícil. Quem tiver alguma dica eu agradeço.  

    Fabi

    17 de Julho de 2014 às 17:47Responder

    Poxa Mirella que susto!!! Realmente imaginamos que certas coisas nunca acontecem com a gente, e de repente puftttt acontece! Mas graças a Deus que no final deu tudo certo, que não passou de um grande susto e que devemos aprender com esses acontecimentos. Quanto ao uso da mochila coleira, eu não via com bons olhos, achava meio estranho, mas há algum tempo já mudei de ideia, e agora é que sou totalmente a favor mesmo. 

    Um GRANDE beijo pra vc e p seu príncipe.

    Magali

    22 de Julho de 2014 às 18:15Responder

    Eu tenho essa mochila coleira e quando preciso uso…

    Lorena Manoelita

    11 de Agosto de 2014 às 13:56Responder

    Ola Mirela, lendo esta historia, meu coração apertou, minhas lagrimas só não cairam porque estava no meu serviço. Mas imagino o quanto estes 10 minutos foram muitos para voce. Tenho um filho de 8 meses e nao me vejo sem ele nunca. Irei providenciar a mochila pra ontem. Adoro seu blog e instagran no entanto te adoro tambem. Um abraço e tudo de bom!

    Fabiane

    14 de Setembro de 2014 às 1:57Responder

    Chorei lendo do começo ao fim… Tenho um filho de 2 anos e por sinal muito parecido com o Matheus, perdi ele da mesma maneira, foi coisa de segundos, quase enlouqueci, e depois de dez minutos em pânico total encontraram ele no colo de uma senhora, a fala dele quando me viu foi a mesma ” não chola mamãe”.
    Não desejo para ninguém passar por isso! Uma dor sem explicação!!
    Grande beijo

    Adriana

    23 de Setembro de 2014 às 9:12Responder

    Nossa Mirela… Não acredito q vc passou por isso… mãe nenhuma devia passar… chorei ao ler.. qq um choraria.. principalmente quem é mãe. Obrigada por compartilhar isso com certeza prestarei mais atenção…. Vou ensinar algumas dicas pro meu filho pra minimizar os problemas e atras de algum dipositivo q auxilie pq agora alem do meu filho de 4 anos estou com um bebê de 2 meses e estou bem atrapalhada com os 2.

    Beijos obrigada

    Nizi

    31 de Março de 2015 às 16:18Responder

    Socoroo Miii, chorei junto! Que desespero, que dor, que pavor!!!
    Graças a Deus foi só um susto!
    Super concordo com o uso da bolsa.

    Deus abençoe e guarde SEMPRE!!!

    Beijo beijo

    Lucas lopes

    7 de Junho de 2015 às 21:49Responder

    Mirela, vamos fazer um trato! Eu passo 1 semana com meus pais e 1 semana com vocês. Eu acho que me identifiquei “um pouco exageradamente” com seus posts e até com seu sotaque e com suas mirelices. Curta bastante sua viagem dai que eu curto aqui no instagram kkkk

    Deixe um comentário