27Mai/14

Dizendo adeus a um filho que não cheguei a ter

POR: MirelaCATEGORIA: Antes, Depois, Diversos, Papo de Gestante, Papo de Mãe(54) COMENTÁRIOS

Este mês sem duvida foi um mês cheio de emoções para mim e este é um dos posts que maior dificuldade tive para conseguir escrever, pois quero passar os meus sentimentos para palavras e a palavras estão fugindo de mim, tudo porque nunca pensei um dia ter que escreve-lo.
Dia 6 de Maio, dia que a escola do Matheus escolheu para comemorar o dia das mães, eu descobri que estava grávida!
Sim, eu engravidei e não contei logo aqui para vocês porque queria ter certeza de que tudo estava bem para poder vir contar tranquila, desculpem a “traição” mas eu precisava me resguardar e aqui em casa achamos melhor esperar mais um pouco ate contar para toda a gente. Apenas os nossos familiares souberam desta noticia.
Foi o melhor presente de dia das mães e de aniversário que eu poderia ter recebido, mas desde que meu marido fez o primeiro ultrassom (marido é médico radiologista) que ele dizia não estar com bons feelings, e eu senti também que algo não estava certo.
Devido a minha menstruação ser extremamente irregular, eu não fazia ideia de quanto tempo estava e terminei descobri muito cedo, por isso não conseguimos ver nada no ultrassom durante 3 semanas. Na ultima semana (dia do meu aniversário) eu fiz um Beta e deu que eu estava com quatro semanas. Pense num presente bom. Mas como estávamos com maus feelings, três dias depois eu refiz o exame de sangue e para minha tristeza ele subiu muito, muito pouco o que fazia as suspeitas do meu marido se confirmarem, mas ainda assim, como a minha médica falou que gravidez não é matemática, eu mantive a esperança.
Saulo no segundo ultrassom achou que o saco gestacional estava vazio, que talvez a gravidez não evoluísse, pois meu endométrio estava muito espessado e o saco gestacional além de aparentar estar vazio, estava um pouco irregular e numa posição que aparentava estar se direcionando para sair. Ou seja, a chance de eu menstruar era grande.
Como devem imaginar, foram dias de muita tensão. Queria ficar feliz por estar grávida, mas ao mesmo tempo, além de um turbilhão de emoções e medos que invadiam constantemente a minha cabeça, eu tinha um feeling de que algo não estava bem e isso não me deixava ficar feliz como esperado.
Queria que os dias passassem e a quinta feira chegasse para que eu pudesse voltar a fazer o exame de sangue, e saber se o beta tinha aumentado ou não, mas ontem a minha semana começou com uma surpresa nada agravável:
Minha menstruação deu as caras por aqui, e eu ontem perdi a minha segunda gravidez.
Não posso sequer falar que perdi o meu bebê porque não cheguei a ver feto nenhum, mas posso garantir que perdi um pouquinho de mim.
Apesar dos avisos e do meu marido ter com jeitinho me preparado para isso, nunca consegui me preparar para passar por um aborto e isso me deixou extremamente abalada, triste e com sentimentos um pouco confusos e estranhos para mim.
Sei que tudo na vida é para o nosso bem. Sei também que Deus sabe sempre o que é melhor para nós e que nada acontece por acaso, mas desta vez, todas essas justificações não estão conseguindo justificar o porquê de eu ter perdido a chance de ter tido este filho.
Na minha cabeça, se eu engravidei é porque era para engravidar.
Era porque um espirito estava prontinho para vir e ser gerado por mim… Mas a ultima da hora desistiu, teve medo, ou eu o assustei, não sei! Sei que parece loucura pensar assim, mas é como eu penso e isso não dá para mudar muito.
Sei que não devemos questionar os desígnios de Deus, mas neste momento é mais forte que eu. Um sem numero que perguntas me fazem ficar zonza.
Hoje mesmo eu estava falando para uma amiga minha que não adianta falarem pra mim que talvez tenha sido melhor assim, que Deus sabe o que faz e blá blá blá… é a mesma coisa quando estamos tentando engravidar. Mil pessoas vão dizer que só engravidaremos quando relaxarmos, mas quem está tentando engravidar não tem o poder de ligar e desligar o botão. É o emocional que fala mais alto e por muito que queiramos parar de pensar e seguir em frente com a vida, o cérebro não consegue. Não por agora.
Preciso fazer o meu luto. Preciso digerir muito bem tudo isto. Nunca me imaginei passando por tal situação… Nunca sequer me vi vivendo um luto por “alguém” que eu sequer vi, mas a verdade é que a partir do momento que vi o teste dando positivo, o meu mundo ganhou ainda mais cor e mais sentido e no meu coração, sem eu nem perceber, um espaço novo se abriu e algo o preencheu, tal como aconteceu quando engravidei de Matheus.
Apesar de ter estado muito pouco tempo grávida, apesar de já estar sendo preparada para este fim, esta gravidez foi muito esperada e muito desejada e obviamente a esperança foi a ultima a morrer e confesso que ainda estou aqui, tentando me enganar. Querendo acreditar que este sangramento não está levando o meu filho embora… mas eu sei que está.
Engraçado que eu era louca para ser mãe, e engravidar do Matheus foi a realização do maior sonho da minha vida, mas engravidar de novo, por incrível que pareça me fez sentir todas as emoções como se eu nunca as tivesse sentido.
A verdade é que eu já me sentia mãe de Dois. Já me via com mais um menino (sim eu posso jurar que seria outro menino), e em menos de três semanas eu visualizei um mundo todo novo para mim, para a minha casa, para minha vida e confesso que esse mundo me assustava um pouco, mas ao mesmo tempo me entusiasmava.
Sinto culpa… Acreditem ou não, eu sinto culpa.
Sinto culpa porque no começo da gravidez do Matheus eu rezei mais para protege-lo, porque de Matheus eu me cuidei mais, e não tive medos. Deste eu tive.
Matheus ocupa um espaço tão grande na minha e na vida de tanta gente que tive medo deste novo filho não conseguir ocupar espaço igual.
Durante estas semanas, enquanto estava deitada com Matheus e Saulo na cama, dava por mim pensando como iria colocar ali mais uma criança. Dei por mim me questionando se era uma boa ideia ter mais um filho… Se daria conta de ter dois filhos, mas eram medos julgo comuns a toda a mãe de segunda viagem e eu sabia que tudo não passava da insegurança que o desconhecido sempre trás, mas ainda assim eu queria não ter pensado em nada disso. Queria ter rezado mais, queria ter me cuidado mais, queria ter pensado diferente… Mas agora é tarde.
Espero conseguir ter em breve uma nova oportunidade. Mas por agora eu preciso mesmo é de repousar o corpo e a mente, me isolar um pouco junto com a minha família e aos poucos me recompor para poder voltar para vocês com a mesma alegria de sempre.
Muitas de vocês, não faço ideia porquê, esses dias disse que eu estava com cara de grávida (espero que elogiando rsrs) e cada vez que lia um comentário falando isso, uma nova luz de esperança se acendia em mim e me fazia continuar a acreditar de que talvez a minha gravidez pudesse vingar.
Ficava me segurando para não vir contar aqui para vocês essa novidade, e só Deus sabe como me custou segurar esse “segredo”, mas sem duvida assim foi melhor. Confesso também ter cogitado não contar sobre este desfecho, mas achei que seria injusto para com quem sempre tanto carinho e amizade demonstra ter por mim, e iria um pouco contra a minha já conhecida sinceridade para com vocês, até porque muitas que me seguem já sofreram essa perda e eu precisava mostrar que hoje, mais que nunca eu entendo essa dor.
Ontem o meu bom dia foi especial… O post que dizia “Calma que Deus ta caprichando” foi de mim para mim, mas ainda assim eu não consegui interiorizar as minhas próprias palavras.
Estas coisas só sabe quem passa, e não vale a pena tentar compreender porque só se entende mesmo vivenciando tudo na própria pele.
Ninguém morre por conta disso, até porque isso é mais comum do que a gente imagina, mas o fato de acontecer frequentemente e com mais gente não invalida a minha dor e nem me faz sentir melhor… a verdade é essa.
Vai passar, eu sei que vai, até porque foi muito pouco o tempo que me senti mãe de dois, mas ter que devolver um dos melhores presentes de dia das mães e de aniversário que recebi na vida não foi fácil…

Boa noite meninas, e obrigada pelo carinho, amizade e compreensão de sempre.
Um beijo do tamanho do mundo no coração de vocês!

     
    TAGS , , , , , , , , , , , , ,

    54 comentários

    54 Comentários

    Liliane

    28 de Maio de 2014 às 4:29Responder

    sinto muito viu?! e essa história de caber mais um na cama, sempre cabe! na minha cabem 3….. bjos se cuida e tudo se ajeita!

    Amanda

    28 de Maio de 2014 às 6:24Responder

    Passei por situação parecida esses dias também. Tenho Davi com 2 anos e 8 e sonhei com meu outro menino, desejei e infelizmente não pude gera – lo como desejei. Dói…. Muitos questionamentos surgiram, mas nada pude fazer além de amar e desejar aquele pequeno como se ele já fizesse parte de minha vida. Que Deus te abençoe.

    jamile

    28 de Maio de 2014 às 6:29Responder

    Oi mirela, eu sei bem o que eh isso, perdi meu primeiro filho, mas ja estava com 9 semanas. Mas como seu post dizia, Deus estava caprichando e 2 meses depois engravidei de minha princesinha, que hj esta com 1 ano e 4 meses. Calma que sei nenem vira, e com certeza depois disso vc tera um novo olhar pra gravidez e pra o segundo filho. Acho que Deus nao faria nada que nao fizesse sentindo, so precisamos descobrir o que ele esta querendo dizer com isso. Boa sorte, viva mesmo o seu luto para que esse sentimento nao a acompanhe depois. Boa sorte e calma.

    Adriana Roberta

    28 de Maio de 2014 às 7:32Responder

    Mirela, rezo para que Deus te de força para este seu momento, viva seu luto sim, é estranho dizer isto, mas fará bem este luto! Sei tmb que é comum dizer que a dor vai amenizar, mas vai…e qua.ndo for pra ser, será! Será uma ótima mãe de dois!! E não tenha medo de ter medo, é normal, o medo faz vc pensar! Quando engravidei do meu segundo filho ( 12 anos depois do primeiro) fiquei com tanto medo, tanta coisa me passava na cabeça, mas a principal era: como vai caber mais alguém na minha vida? Será que vou conseguir amá-lo como amo o primeiro? Mas sim!!! Coração de mãe é infinito, o amor é igual pelos dois!!
    Esses dias sonhei com vc, que éramos amigas de verdade rsrs!!
    Fique com Deus! Tudo vai se acalmar e vc voltará com sua alegria de sempre!!
    Beijos no coração

    Adri

    Juliana

    28 de Maio de 2014 às 7:40Responder

    Força Mi, Deus está contigo! Não busque respostas ou culpados a hora é de tentar aceitar essa nova realidade e seguir! Vai parar de doer embora vc nunca esquecerá! Tente pensar que Deus está preparando seu corpo para seu grande momento que não tarda a chegar! Tenha fé!

    Camila

    28 de Maio de 2014 às 7:40Responder

    Mirela, imagino a sua dor, mas nunca passei por ela. Peço a Deus que acalente o seu coração e que em breve Ele capriche e traga o seu tão sonhado "presente". Mas não poderia passar por aqui e não comentar sobre os seus medos de mãe de segunda viagem (estou com 24 semanas) e agradecer por nos mostrar que é super normal sentir insegurança e ter mil pensamentos sobre não dar conta do segundo. Mesmo num momento difícil vc consegue passar tranquilidade com suas sábias palavras. Obrigada, obrigada de coração por ser Mirela e nos aceitt em sua vida.

    Raphaella

    28 de Maio de 2014 às 8:18Responder

    Mirela você é uma pessoa muito iluminada e com certeza Deus está caprichando mesmo! Nada acontece por acaso, entendo que a nossa emoção se sobreponha a qualquer racionalidade em momentos como esse, pois perdi minha mãe com 14 anos e até hoje (com 30) não consigo entender o porquê! Claro que sei que Deus sempre sabe o que faz, mas ainda não tive a sabedoria e a elevação espiritual necessária para somente aceitar… Espero sinceramente que você se recupere logo, pois apesar de ainda não ser mãe, te sigo e todo dia vejo teus posts e mostro pra todos o lindão do Mateus e o fofo do pepeu, além claro, da família linda que você tem…linda principalmente porque é de verdade, com suas dores e suas delícias… Sinta-se abraçada por essa sua seguidora que te admira muito! Um beijo.

    Luana Najjar

    28 de Maio de 2014 às 8:31Responder

    Mirela querida que Deus conforte seu coração! Só quem passa sabe o quanto e difícil passar por isso, seja com 2 semanas ou 10. Mas agora você tem um anjo no céu pra te abençoar e proteger ainda mais ! Que os dias passem e seu coração fique sereno! Obrigada por partilhar conosco, deve ter sido o texto mais difícil que você escreveu! Conte comigo sempre! Um abraço apertado em você! 

    Aline Alencar

    28 de Maio de 2014 às 8:40Responder

    Mirela, que Deus em sua infinita sabedoria lhe ajude a passar por esse momento tão difícil. Que ele abençoe você e sua linda família. Te desejo o melhor que a vida pode oferecer. Um abraço bem apertado.

    Ulli

    28 de Maio de 2014 às 8:55Responder

    Mirela querida, que deus conforte seu coraçao! Nada como um dia apos o outro pra acalmar seu coraçao e trazer a mente sã de volta! Se conforte com seu pequeno e marido no seu melhor cantinho e eu espero que logo vc esteja mae de 2 novamente do jeitinho que sonhou!! Vai ser sempre uma delicia te acompanhar e ver as criancas crescendo! Um forte abraço

    Erika Kashivazaki

    28 de Maio de 2014 às 9:04Responder

    Mirela, 

    Ontem mesmo pensei em vc, pensei em você por que, minha filha Gabi tem idade próxima do Matheus e vc me ajudou muito e ajuda até hoje. Pensei em vc, pois pra mim parece que nos conhecemos e que vc é parte da família. Por isso, do fundo do meu coração, sinto muitíssimo, pela sua perda. Que Deus conforte o seu coração, e se eu pudesse iria aí pra te dar um abraço bem apertado, como não posso, receba este abraço virtual e muitas energias positivas. 

    Força amiga! Beijo

     

    Giselly Rodrigues

    28 de Maio de 2014 às 9:18Responder

    Mi conheço exatamente essa dor. .. e sei o quanto é dificil as pessoaa entenderem.
    Em 2011 fiz um beta e veio positivo, positivo mesmo de 5 semanas.
    Como ja queria engravidar ( embora proa médicos de forma natural fosse impossível)
    Ele tava la e eu ja o sentia.
    No mesmo dia, veio um pequeno sangramento….
    Que na manhã seguinte ja estava bastante e com mta cólicas.
    Mas foram aa piores colicas e dores do mundo.
    Realmente não adianta ninguem falar nada.
    Mas tenho certeza que o papai do céu vai te confortar e te envolver nos seus braços.
    Tenho fé que logo vc vai sentir essa emoção.
    Que deus te abençoe.

    Luana

    28 de Maio de 2014 às 9:32Responder

    Mirela, não deve ser fácil mesmo mas assim como vc postou Deus está caprichando e logo vc terá uma nova benção, apesar de as vezes desconfiarmos Deus nunca nos abandona. E tenha certeza que nessas semanas vc foi a melhor mãe de dois que podia ser. Dúvidas do desconhecido sempre temos, mas tenha certeza que seu babu ae sentiu querido nesse tempinho que esteve aí! Se cuida e melhoras! Estou aqui ansiosa pelos seus bom dias!!! Bom dia SIM!! 

    Bjo

    Natália

    28 de Maio de 2014 às 9:36Responder

    Engravidei da minha segunda filha quando minha primogênita tinha 1 ano e 10 meses e também ficava me questionando se amaria tanto minha 2a filha como amei a primeira, em como ia "encaixar"minha segund filha na nossa rotina, no nosso dia a dia…

    Todas essas dúvidas e questionamentos foram embora quando escutei o coraçãozinho dela pela primeira vez! O amor me invadiu de uma forma inexplicável! 

    Foi uma grstação muio atribulada… Quase perdi minha bebê e as vezes tbm pensava se tinha sido por minha culpa, por culpa dos meus pensamentos no início….

    Mas creio que Deus sabe de todas as coisas e o nosso tempo, não é o tempo dEle!

    Melhoras! Um beijo!

    Aline

    28 de Maio de 2014 às 9:39Responder

    Mirela te acompanho pelo íntegra e do vi ontem vim ver seu blog. Estou vivendo o mesmo momento que vc. Tenho dois filhos e nos " pegamos" grávidos de surpresa. Sei exatamente como vc está se sentindo , pq no meu caso, apesar de não ter planejado este terceiro filho a partir do momento que vc descobre-se gravida, vc já quer este bebe.Tb acredito que Deus sabe o que faz…

    So vim aqui dizer que estou solidária a vc, tenho os mesmos sentimentos de culpa que vc cita. Tenho as mesmas confusões de sentimentos que vc tb diz.

    Mas tb tenho certeza que sairemos mais fortalecidas de tudo isso. …

    beijos gdes.

    aline 

     

     

    Luciane

    28 de Maio de 2014 às 9:45Responder

    Oi Mirela, tudo bem?

    Sei bem pelo que está passando, sofri o mesmo só um pouco diferente, fiz uma FIV e tinha tanta certeza no coração que daria certo que no mesmo dia me senti gravidissima, passei duas semanas em repouso, saia da cama segurando a barriga, comia tudo que fosse bom pro bb, conversava com Deus agradecendo essa chance de gerar meu anjo. No dia que fiz o beta, abri o resultado com 100% de certeza do positivo! para minha surpresa tinha dado 2. Fui da alegria à profunda tristeza e revolta em 1 seg. Isso faz 1 mês amanhã e ainda não me conformei e não aceitei o pq não consegui gerar esse filho. Pq Deus fez isso? Era minha única chance e agora não tenho mais nada. Agora nos resta levantar a cabeça e seguir em frente. Ame muito seu pequeno e seu marido, isso ajuda a voltar a vida normal. Boa sorte. Beijo

    Natália

    28 de Maio de 2014 às 10:15Responder

    Mirela, vc não chegou a dar a luz, mas seu filho ja tinha alma e agora está no céu intercedendo por vc e sua família. Que Deus dê a vcs toda a força que precisam para superar essa dor. Bjs

    Foco na Magreza

    28 de Maio de 2014 às 10:16Responder

    Nossa! Comentei lá no instagram, mas lendo aqui consigo imaginar a sua dor sim, já que sabia desde o início o risco. 

    Sabe, eu creio que essa criança não desistiu de você não, não tem porque ele/ela desistir de vir ao mundo através de uma mãe maravilhosa como você. Sabe, eu tenho lidado com muitas coisas negativas desde que engravidei do meu marido, tive meu filho de 2 anos. Não é por ele, jamais. Que é a maior alegria de nossas vidas. Mas pela energia dos amigos e parentes próximos.

    Infelizmente não nascemos numa família que nos quer bem, tanto eu quanto meu marido, que só nos procuram quando precisam e quando é ao contrario, quando precisamos de apoio todos viram as costas. Acho que seja destino, punição, karma, ou para nosso aprendizado, evolução, não sei. Só sei que sempre foi assim desde crianças, de antes de nos conhecermos. E as máscaras caíram finalmente após o nascimento do nosso filho, diante das dificuldades e desavenças, quando precisamos realmente, porque antes disso éramos mais úteis para "eles" e não precisávamos tanto deles, e por isso mantinham as máscaras de bonzinhos e de "boa família", tanto a minha quanto a dele.

    Pois é. Tive tantos problemas desse cunho familiar na primeira gravidez que meu primogênito (que tem a idade do Matheus) nasceu prematuro. Aí que foram elas.

    E apesar de todo abandono, fofocas, intrigas e conversas fiadas por parte da nossas famílias de origem, sempre nós mantivemos fortes, indo a missa, com fé, e lutando sem desistir momento algum. E mesmo eles nos desejando mal, quando eles precisavam nós dois que sempre socorríamos. 

    Então, fim do ano passado passamos por muitas provações, que tanto o meu lado e tanto o lado dele poderiam ter sido mais caridosos e porém foram alheios. Deixamos pra lá, afinal caganeira não dá uma vez só e logo nos procuraram pedindo ajuda, e como sempre não viramos as costas, apesar de todo o mal que nos fazem sempre os ajudamos. 

    Porem decidimos que logo que passasse essa tempestade iríamos planejar uma gravidez, porém desta vez iríamos viver nossas vidas e afastar dessas pessoas que infelizmente quase causaram a morte do nosso filho mais velho. 

    Então no Réveillon paramos de usar camisinha, passei a tomar Ácido Folico e na ultima menstruação que foi meados de Janeiro eu tomei "Saúde da Mulher" (semelhante a Água Inglesa), e com 1 semana de atraso menstrual em Fevereiro já procurei o medico. Porém não quis fazer Ultrassom, pelo simples fato de não querer abalar a minha FE, já que não daria para verbo feto, somente o saco gestacional. Então marquei a primeira US com 10 semanas, para justamente já dar pra ouvir o coração e vê-lo. Eu e meu marido NÃO CONTAMOS PARA ABSOLUTAMENTE NINGUÉM (principalmente os nossos familiares, do meu lado e do dele), e decidimos contar SOMENTE APÓS DESSE PARA VER O SEXO. E assim fiquei, na "escuridão". Não rezei o tanto que rezei na minha primeira gravidez, mas desta vez me afastei de todos que sabíamos que não queria o nosso bem. E por incrível e maravilhoso que DEUS É, essas pessoas brigaram entre aí e se entenderam e nos ligaram aos berros sei lá porque, não entendemos nada, porém falando que não queriam nos ver mais (desde o Natal não encontrávamos – já uns 4 meses),dois desgastante mas foi a melhor intervenção divina depois da gestação. Desde então eu e meu marido temos tido PAZ, sem nenhuma fofoca, intriga, armação, absolutamente nenhum mal a nossa volta. 

    Bom, quando demos a notícia a alguns amigos logo eles souberam, mas graças à Deus continuamos a ter paz! 

    Por isso e outros motivos meus perfil "fitness" é anônimo. 

    Infelizmente há muitas pessoas ruins que se fingem de amigas, pessoas até do mesmo sangue que nós, que ficam próximos a nos só para rir da nossa desgraça, e não suportam ver nossa alegria, e se afastam/revoltam com nossas vitórias. 

    Independente de religião, espíritas e católicos recomendam o mesmo, já que crêem na bíblia e em Cristo que é um só: não conte a absolutamente ninguém. Nem para irmãos. Na bíblia Caim matou Abel, existem muitas pessoas próximas que só estão próximas pra rirem de nos quado nós verem chorar, assim infelizmente é a vida. Nem todo mundo é bom, nem todo mundo nos deseja o bem, mesmo tendo o mesmo sangue que nos, mesmo sendo parecidos que nos, mesmo sendo mais ricos que nos. Porque muitas vezes o que nós temos que intriga a inveja dos menos evoluídos é justamente um dom de Deus, alegria, dom de ser boa mãe, ter um marido fiel, ter um filho obediente, tranquilo e bonzinho (que as vezes nem é culpa minha, ele nasceu assim e pronto, Deus o fez assim), e causa inveja. Sabe, esse mal é o pior dos males, pois desconhecidos não nos invejam, normalmente são os mais próximos, mais amigos e do mesmo sangue. 

    Talvez o que afastou esse anjinho de encarnar no seu ventre foram a inveja dos que gostariam de ser mãe como você é, que souberam da notícia no início. 

    Resguardar não tem meio termo. Aprendi tanto com a minha primeira gestação e com essas "famílias" que eu e o marido temos que até assusto com os conselhos e ajuda que as vezes dou. 

    Uma amiga passou o mesmo que você, ela é alto astral, alegre e super positiva, mas não sabia que por trás das máscaras alguns familiares desejavam não só que não tivessem filhos (ela e o marido), quanto desejam a separação do casal. Ela fez sigilo total após ter tomado esse "saúde da mulher" e ácido Folico, e depois de 5 meses me ligou contado que havia sumido pq conseguiu, por a placenta estava prévia e agradeceu demais, e depois as máscaras caíram e ela me agradeceu denovo pelo alerta, pois ela nunca esperaria essas coisas ruins de pessoas do mesmo sangue. 

    Deus é contigo! Essa criança não afastou de ti, continua esperando como você  a oportunidade de encarnar e trazer toda alegria, novas cores, não só no seu mundo, mas no do Matheus também. Pois o espaço que irá abrir não é só no seu coração, as novas cores e todo esse sentimento e amor, não é só seu de mãe, e uma experiência maravilhosa que o Matheus vai viver também. Espaço tem sim, no seu coração e no dele, e do marido. 

    Desejo muita luz e paz nesse momento! 

     

    Thays Tavares

    28 de Maio de 2014 às 10:16Responder

    Mirela, primeiramente parabéns pelo Matheus, ele sem dúvida alguma é uma criança abençoada por Deus! Acompanho sempre vocês pelo instagram, sempre me pego rindo dos vídeos e das histórias engraçadas! Estou tentando engravidar também, a pouco tempo me casei ( 4 meses) e não vejo a hora de sentir um fruto do meu amor com meu marido dentro de mim! Mas realmente a tensão é tão grande que realmente sinto que posso estar me atrapalhando! Na verdade não é tanta ansiedade por engravidar apenas, é ansiedade por engravidar e ter a certeza de que esta tudo bem com a criança! Apesar de nunca ter passado pela situação desagradável e triste que é o aborto, ao meu redor muitas mulheres já passaram por isso, não da minha família, mais eu vi a dor que elas sofreram por perder algo tão esperado! De certa forma ver tais sofrimentos me fizeram desenvolver um trauma de engravidar e abortar! O que quero dizer é que te compreendo msm nunca tendo passado por isso! O que posso dizer pra acalmar seu coração é que tenhas fé! Que tudo tem a hora certa! Todos os dias rezo pra Deus mandar um filho para mim, mas acompanhado desse pedido complemento: Se for da vontade dele! Beijos querida! E repolse bastante pra você estar preparada quando o Senhor agir! 

    Tatiani

    28 de Maio de 2014 às 10:29Responder

    Mirela, que Deus conforte seu coracao. Bjsss

    Danielle

    28 de Maio de 2014 às 10:57Responder

    Ola. é a primeira vez que leio seu blog, e fiz porque uma amiga postou o link no facebook e me interessei porque achei voce parecida com uma colega que ha muito tempo nao via. Mas quando vi, voce nao era a pessoa que eu imaginava, mas as suas palavras me tocaram e achei que deveria escrever um pouquinho. Pode ter certeza que voce ja é uma mãe e uma pessoa melhor, pois esses acontecimentos que nos marcam tão profundamente sempre nos modificam. Quando você engravidar de novo, vai ter mais forças, vai repousar e vai rezar muuuito pra que a gestação corra bem, e isso só vai fazer com que tudo dê certo. Dê tempo ao tempo. Um grande abraço (a melhor das terapias).

    Mariana

    28 de Maio de 2014 às 10:58Responder

    Mirela, nunca comentei em nada por aqui mas sigo vc dia a dia. Sei q não eh fácil mas verbalizar o q vc sente já eh o princípio. Vc eh especial pois torna a vida de muitas mães mais leve e normal. E por vc ser especial eh que eu tenho certeza q vc será abençoada novamente em breve. Força. 

    Renata

    28 de Maio de 2014 às 11:06Responder

    Mirela,

    ainda não sou mãe mas este é um sonho que estou planejando realizar. Acompanho seu blog e insta por muito tempo e me emociono com o seu jeito de falar da maternidade. Você coloca amor e sinceridade em tudo o que faz e por isso, tenha certeza, sua vida se enche cada dia mais de felicidade.

    Como leitora me sinto sua amiga e o que posso te dizer é que todas nós, mulheres, estamos aqui com você. Sinta-se abraçada. Leve o tempo que precisar chorando esta perda mas tenha certeza de que você não tem culpa do que aconteceu. 

    Deus está cuidando sempre de você e da sua família e Ele vai te confortar nesta hora. 

    Um grande beijo 

    Tabata

    28 de Maio de 2014 às 11:33Responder

    Mirela,

    Acredite, eu sei como dói, e só a pessoa que estava gerando entende a dor e a frustração desse momento. Já passei por isso 3X, hoje tenho um filho de quase quatro anos e esto esperando uma menininha

    Não costumo comentar em blogs mas vi seu post do insta e achei q a minha historio pudesse te confortar.

    Começando pelas minhas duas gestações interrompidas que aconteceram antes do meu primeiro bebê, essas talvez na hora tenham me parecido a pior dor do mundo, mas aconteceram cedo, meu progesterona não subia e na quarta ou quinta semana eu perdia. Quando eu engravidei pela terceira vez, troquei de medico e consegui diagnosticar o problema, meu filho está aqui lindo  e amado. Mas o pior era a sensação de impotência que se criou até o terceiro mês dele, eu tinha medo até de espirrar, e muita vergonha do julgamento de todos achando q eu nao era capaz de gerar uma criança. Coisas da minha cabeça.

    Quando o Diogo fez dois anos decidimos que podíamos tentar de novo, meu medico garantiu q o problema do progesterona provavelmente nao se repetiria. E eu menstruava a cada 28 dias, tinha meses que tinha certeza q tinha rolado, mas era uma decepção cada vez q descia.

    Meu marido é político então no fim do ano passado decidimos tentar parar com as tentativas ate o fim das eleições para nao correr o risco de nascer no meio do momento em que ele estaria mais ausente. Saimos para tirar  férias com toda a Familia dele Miami, Cancun e Orlando. 

    Chegando lá, minha menstruação atrasada e eu não me dei conta na hora, percebi 5 dias depois, em cancun na beira da praia, sai correndo comprei o exame e fiz no quarto do hotel. Grávida!!! Contei para o meu marido na beira da praia, ele comemorou muito, contou na hora para toda Familia, incluindo nosso filho e sobrinhas. Falei com meu medico por WhatsApp e perguntei do progesterona e ele me disse para relaxar.

    Saindo dali fomos para Orlando e Miami, comprei muitas coisas, tudo neutro pois não sabia o sexo, mas trouxe uma grande mala de coisas.

     

    Isabelle Marinna

    28 de Maio de 2014 às 11:54Responder

    Comment:Mirela, acalma teu coração, Deus esteja contigo!

    Conheço bem essa dor, já passei por isso. Tive uma gravidez ectópica e tive q fazer um tratamento (metrotecsat) para preservar minha trompa e mesmo com o coraçãozinho do meu bebê batendo forte ele não poderia demorar mais no meu ventre, para não romper minha trompa e eu vir a perder as chances de ter outro.

    A dor é enorme, mais temos que ser fortes, outras vidas virão.

    Hoje tenho uma princesa!

    Tabata

    28 de Maio de 2014 às 11:55Responder

    … Continuação 

    chegando no Brasil, a primeira coisa que fizemos foi a eco, e lá estava o saco gestacional, sem noticia do bebe nas eu estava grávida.

    A medica que fez a eco não parecia muitofrliz, me mandou refazer em 10 dias, no nono dia eu comecei a ter cólicas, no décimo acordei com sangramento e na hora da eco tive a notecia q minha gestação havia se interrompido antes das 6 semanas e eu já estava com quase 10. Meu mundo caiu! Estive grávida sem estar por todo aquele tempo, materializei aquela criança, imaginei ela usando cada uma das coisas q eu havia trazido. Entrei em choque! Me deprimi mesmo. Fui ao médico aos prantos, ele me explicou q isso é muito comum e acontece  com 40% das mulheres, mas pq comigo? E de novo… E ele disse q dessa vez havia sido diferente das outras dois e q a culpa não havia se quer sido de alguma falha no meu organismo, eu me culpando loucamente. Meu marido coitado tentando ser forte e me acalmar! O médico decidiu não fazer a curetagem pois disse q era melhor que viesse naturalmente e assim eu poderia engravidar logo, meu marido concordou com ele, mesmo eu tendo dito que queria acabar com aquilo logo não tive forças para discutir, eu só queria ir para minha casa e deitar e desaparecer. Liguei para minha mãe e pedi para ela avisar aos parentes, meu marido ligou para a Familia dele. Mas a ordem era não tocar no assunto.

    Fiquei revoltada! Tomei um porre histórico para ver se amortecia a dor, e eu nunca bebo! Demorei para reagir. Isso foi no inicio de fevereiro. 

    Antes do fim de março um pouco recuperada, mas ainda extremamente revoltada, as pessoas ainda vinham me dar parabéns pelo novo bebe, percebi q minha mestruaçao ainda nao havia descido depois da perda do bebe e já havia passado o mês, resmunguei q havia ficado toda desregulada e fui jantar com meu marido. Quando cheguei em casa vomitei muito e na hora comecei a rir, eu não podia acreditar no que estava acontecendo.

    Acordei cedo comprei 3 testes de farmacia e obviamente todos deram bem positivo, liguei para o meu medico na mesma hora. Como isso é possivel? Ele ria, e disse q não sabia também como tinha acontecido pois nunca havia visto acontecer tão rápido, na melhor das hipóteses costumava demorar 3 meses mas normalmente levava 6 meses.

    Bem, eu havia engravidado no fim do ano, perdido no inicio de fevereiro, e me descobri grávida novamente no fim de março!!!

    não sabia se ria ou se chorava, enquanto eu não ouvi o coração não contei para ninguém, depois disso contamos para a Familia mas com 10 semanas quando chegou o resultado da Sexagem fetal, pertinho do dia das mães eu tive q falar! Postei no insta e transbordei de felicidade!

    por isso eu te digo que não deixe que essa dor te consuma, viva o luto sim, é uma perda bruta de uma imensa felicidade mas o quanto antes de se a chance de recomeçar pois a vida é repleta de gratas surpresas.

    Boa sorte!

    Fernanda

    28 de Maio de 2014 às 12:01Responder

    Mirela, linda…. O meu desejo é que o Senhor conforte o seu coração e lhe dê entendimento e força para superar este momento… Você é uma querida…. Te acompanho e te sinto muito próxima…

    PS. morro de medo de animais, mas estou as portas de ceder e dar um Pepeu para meus meninos, Davi de 5 anos e Victor de 7…. Estou apaixonada com a intimidade de matheus e Pepeu

    Carol Gouveia

    28 de Maio de 2014 às 12:15Responder

    Mi querida, que coragem, que força, que grande mãe e mulher vc é! Tb já passei por essa experiência e entendo perfeitamente que essa dor é só sua! Ninguém pode vivê-la por vc… É preciso dar tempo ao tempo, para algumas de nós mais, para outras menos! Respeito sua dor e sinto muito! Rogo a Deus que acalme o seu coração! Um abraço apertado e um beijo grande

    Larissa Ratis

    28 de Maio de 2014 às 12:31Responder

    Mirela, que texto lindo…tão sincero. Consegui me colocar no seu lugar e sentir sua dor e acho que o que eu queria ouvir numa hora dessa é que vai passar. Ninguém sabe exatamente o que você será sentindo, mas sabemos que vai passar. Vou rezar por você e sei que você também reza, Ele está ouvindo. Tudo vai passar. Um abraçao. 

    Jamillie

    28 de Maio de 2014 às 12:31Responder

    Oi Mirela! Passei pelo mesmo sentimento que você! Descobri muito cedo minha gestação! Duas semanas depois perdi!!! Me senti um ser inútil, incapaz de dar continuidade em uma gestação!!!! Chorei muito por queria muito o segundo filho!!! O que fizemos para esquecer??? Uma segunda lua de mel!!! Viajem com meu marido depois dos 40 dias de resguardo! Sem segundas intenções!!! Deixamos nosso filho com as avós e fomos nos curtir um pouco!!! A surpresa veio na volta!!! Hoje estou com 11 semanas!!! Ainda com medo!!! Mais só de ter ouvido o BCF percebi que tudo estava diferente nesta gestação!!! Semana que vem retorno com meu Obstetra e  estou ansiosa para ver meu bebê novamente!!! Em brve você estará sentindo o mesmo que eu!! Te desejo toda a alegria do mundo!!! Um grande beijo!! Jami!

    Tha

    28 de Maio de 2014 às 12:38Responder

    Oi Mirela, 

    Passei pela mesma experiencia, mas na primeira gestação. Depois veio minha princesa e consegui entender melhor a situação. Senti a liberdade de te dar um conselho… Quando acontecer novamente, guarde segredo, nos três primeiros meses! Achava que isso era besteira, mas sempre escultava o Padre Marcelo falando isso e reaolvi seguir quando engravidei da minha filha! 

    Nem mesmo minha mae ficou sabendo no começo… Só eu e meu marido! E eu acho q vc deveria fazer a mesma coisa. Infelizmente, sem ñ sabemos pq, mas gravidez causa inveja em algumas pessoas… E qualquer sentimento ruim ñ e bom no inicio.

    Desejo q vc se recupere logo e espero q engravide novamente tbm! 

    Coloque nas maos de Deus e fique tranquila. 

    Beijao

     

    thayanr

    Samanta Vilar

    28 de Maio de 2014 às 12:39Responder

    Poxa Mirela.
    O que te dizer.. apenas sinto muito! Tenho muito medo disso acontecer comigo. Depois de muito relutar resolvi parar de tomar o anticoncepcional e estou com uma expectativa gigante. Meu namorado (futuro marido) pedia muito para isso e, resolvi ceder. Meu sonho é ser mãe e só em pensar em uma situação dessa fico triste por você.

    Sou espírita e acredito que algo aconteceu. Mas, que em breve se resolverá. Deus está contigo. Tudo dará certo.

    Semana passada sonhei conversando com uma mulher. Ela me dizia que eu iria engravidar de uma menina. Então vamos aguardar.

    Você é uma mãezona e merece tudo de bom. Reze. Se apegue a Jesus. Beijo no coração. Te adoro mesmo sem conhecê-la.

    Bruna

    28 de Maio de 2014 às 12:52Responder

    Oi Mirela!

    Entendo muito sua dor pq comecei a te seguir no instagran justamente por descobrir que estava gravida. Estávamos tentando a um tempo e nada e então "relaxamos", foi quando surpreendentemente no dia que fazíamos 8 anos juntos descobri a gravidez, nossa, lembro cada segundo daquele dia… Um misto de sensações passava por mim mas eu já amava demais um serzinho que nem conhecia.. Descobri a gravidez com aproximadamente 4 semanas… E logo depois começaram os primeiros sangramentos. Fui para uma das melhores maternidades do Rio de Janeiro pq como planejamos o bebê, me preparei pra isso… Sei que fui assistida pelos melhores médicos e 10 dias depois da descoberta, entre dias e vindas de emergência, numa manhã de segunda-feira eu perdi meu "bebê", exatamente assim!!! Não tinha feto, só o saco gestacional e a gestação não tinha evoluído! 

    Entendo demais o que vc está passado e nada que fale vai amenizar essa dor, sofro e penso até Hj como seria se nada disso tivesse acontecido… Como questionei Deus pelo acontecido… Pq cmg? Eu queria tanto esse bebê. Mas, com o tempo a gente aprende a lhe dar com a situação. Vc ainda tem um lindo anjinho pra te dar forças e levantar a cabeça!!!

    logo, logo Deus te contemplará com uma nova benção. Fica com Deus!

    Gessica

    28 de Maio de 2014 às 13:41Responder

    Mirela, como eu sei oq você está sentido, sou mãe de um menino que vai fazer quatro anos, então eu e o meu marido decidimos que estava na hora dele ganhar um irmazinho e ele tbm pedia muito, então eu engravidei e estava tudo correndo muito bem, já tinha feito minha primeira consulta e certo dia estava em casa assistindo tbm com meu filho e quando fui ao banheiro saiu sangue no papel, no momento já fiquei desesperada, comecei a chorar sem acreditar que aquilo estava acontecendo, procurei o meu médico e ele disse que esse sangue era normal, tive que ficar de repouso absoluto e tomando remédio, ainda fiquei uma semana assim, quando de madruga senti uma dor muito forte no pé da barriga e quando fui ao banheiro meu filho caiu  dentro do vaso, naquele momento o mundo desabou para mim. Fique muito mal não parava de chorar e até hoje fico me perguntando pq Deus levou meu bb, um ser tão amado, tão esperando que foi embora tão, já me imagina com os meu dois filho e tinha uma certeza que seria uma princesa, já amava tanto ela é por mais que me falem que um dia passa, pra me não passa não passe um dia se quer que eu não lembre do dia que meu bb foi embora sem eu ao menos conhecer. 

    Maenuela

    28 de Maio de 2014 às 15:27Responder

    Que pena minha linda… Força viu… Grande beijo

    Roberta

    28 de Maio de 2014 às 19:42Responder

    Aconteceu exatamente isso comigo Mirela, mas era a minha primeira gravidez, fiquei arrasada, não estava planejando, mas fiquei uma semana me sentindo mãe já, infelizmente isso eh muito comum, mas muitas mulheres nem ficam sabendo, pois eh muito cedo. Mas no mês seguinte tive uma surpresa, estava grávida de novo. Minha médica ficou surpresa pois disse q geralmente nem ovulamos logo em seguida, fiquei com muita medo da gestação não evoluir bem como a primeira, mas deu tudo certo e o Theo nasceu lindo cheio de saúde. Força q logo vc vai ter uma ótima notícia para comemorar :)

    Claudia

    28 de Maio de 2014 às 20:39Responder

    Oi, Mirela!

    Sei que de nada vai adiantar, mas resolvi escrever minha história.
    Me casei em 2007 e em 2008 (exatamente 1 ano depois do meu casamento) descobrimos um câncer na mamãe. Neste mesmo ano eu e meu marido resolvemos tentar engravidar. Entre 2008 e 2009 passamos por inúmeras situações extremamente difíceis com a doença da mamãe.
    Em dezembro de 2009, em um exame de sangue me descobri grávida (depois de vários negativos neste tempo).
    Me lembro que foi uma época em que a mamãe estava muito debilitada, mas foi uma alegria imensa. E como não podia deixar de ser (ela era mto feliz com os outros netos), ela saiu e comprou várias roupinhas! Dois dias depois, tive sangramento e descobri que era uma gravidez anembrionária (até então, eu sequer tinha ouvido falar).
    Em agosto de 2010, a mamãe não resitiu a um transplante de medula e desencarnou. E uma das coisas que ficou muito forte pra mim, foi que, se a gravidez tivesse evoluido, o bebê nasceria neste mês… E eu, certamente, enlouqueceria.
    Em todo este tempo, todas as amigas e a família, tiveram bebê, e só eu e Deus sabe como eu passei por tudo.
    Há quase dois anos, estamos na fila da adoção. Outro processo demoradíssimo e tão angustiante como tentar engravidar.
    E além de tudo, Deus nos deu dois imensos presente!
    Hoje, mais de 5 anos desde que comecei a tentar, estou grávida da Antônia.
    Se não tivesse acontecido isso, lá atrás, minha filha não teria uma lembrança sequer da avó (lembra das roupinhas?).
    E o outro grande presente é que, as chances de ela nascer no dia do aniversário da mamãe são imensas. E vou fazer de tudo pra isso.
    Ah, e continuamos na fila. O irmãozinho (que eu e eu marido temos certeza, será um menino, apesar de não termos escolhido o sexo) da Antônia será adotivo.
    Todo este longo texto pra te dizer que ‘Deus vê tudo mas espera’.
    Viva seu luto (eu precisei me afastar do trabalho uma semana pra chorar minhas dores qdo perdi o bebê), serene seu coração e lembre-se que ‘Coisas boas levam tempo’. Bj

    Debora

    28 de Maio de 2014 às 21:25Responder

    Mirela,

    Também perdi minha segunda gravidez aos 4 meses. Foi uma experiência terrível!! Mexeu comigo demais, me deixou revoltada. E durante alguns meses após o aborto fiquei super depressiva. Depois percebi que nessa depressão por um filho que não nasceu, eu acabei ficando tão alienada que “esqueci” do meu mais velho. Eu cuidava, dava amor e carinho, mas não estava inteira lá, com ele, sabe??
    Escrevo para te alertar: não cometa esse mesmo erro que eu!

    E na hora certa a gravidez vai vir, como vc mesma sabe! Oito meses após o aborto engravidei de uma linda fofa e perfeita menina! Meu casalzinho :)

    Mas confesso pra vc que eu so relaxei mesmo e superei a perda depois do parto dela, quando já podia carregá-la em meus braços.

    A gente supera, mas não esquece.
    Força! E continue essa linda q vc eh.
    Beijoca
    Debora
    Filhos em Quadrinhos

    Samantha

    28 de Maio de 2014 às 22:25Responder

    Mirela, sinto muito mesmo!! Li o seu relato, fui transportada para uma década atrás e senti a necessidade de te escrever! Também passei pela mesma situação. Há dez anos atrás engravidei do meu primeiro filho (uma menina, sinto) e foi uma felicidade só. La pelas 14-16 semanas marquei o ultrassom p descobrir o sexo, um dia antes do meu aniversário. Durante o ultrassom foi constatado que o feto não tinha mais batimentos cardíacos. Como assim?? Uma tristeza misturada com incompreensão, revolta até, tomou conta de mim. Eu pensava: "tanta menina engravida, não quer e eu que quero muito, acontece isso?? " Foi me dado remédios para estimular o aborto natural e fiz o parto, naturalmente. Não posso nem dizer o quanto foi doloroso, passar por todo o trabalho de parto e não levar meu filho p casa. Isso aconteceu no dia 04 de maio.  E depois nada me animava, estava muito triste e querendo desesperadamente ser mãe. Minha obstetra ate conversou comigo, dizendo que do ponto de vista fisiológico nao teria problema algum em tentar engravidar logo, visto que meu organismo já tinha se preparado p a gestação anteriormente, mas que do ponto de vista psicológico eu tinha que entender que eu havia perdido um e iria gerar outro. No dia 31 de maio engravidei novamente. Parecia uma loucura pois nem fazia um mês que tudo tinha acontecido. Passei muito medo e muito insegurança no início da gestação, mas desta vez deu tudo certo! Nasceu o meu Bernardo!! E 1 ano e 5 meses depois, nascia a minha Maria Augusta e 5 anos depois minha caçula Catarina! Contei um pouco da minha história, mas o principal, onde quero chegar é que realmente não importa a duração da gestação de uma mãe, uma mãe é sempre uma mãe, independente do tempo que gestou. Pois como vc mesma disse, quando vc tem a confirmação, uma janela se abre deixando entrar fantasias, expectativas, sentimentos diversos muito fortes!! E não importa se esteve mais tempo ou menos tempo gravida, se acontece com freqüência ou não, uma mãe que perde um filho, é sempre uma mãe que perde um filho! Não invalida sentimentos.  E só quem passou por isso, sabe e respeita. Procurei saber o que tinha havido, pq tinha acontecido, de forma espiritual até, e o que posso te dizer é que acredito que este bebe é um espírito que podia ficar um pouquinho aqui e durante este tempo, receber o amor que só uma mãe pode dar. O amor que cura, que fortalece, que transcende. Era isso que era necessário, pelo menos é o que eu acredito. Que fui parte necessária de um processo de evolução deste serzinho que tanto amei e nunca vi, que tudo o que ele precisava era amor. E não pense que vc foi culpada por ter sentimentos variados em relação a uma segunda gravidez. Todas as mamães podem falar que passaram por isso também. Principalmente quando o primeiro é pequeno. São sentimentos contraditórios, mistos, do tipo: " vou amar igual este bebe? Pq já amo o primeiro tanto!" A gente acha que vai dividir o amor, mas na verdade ele dobra! São coisas que todas sentem mas nunca falam, das inseguranças e receios de ter o segundo filho. De diminuir a atenção e o tempo dado ao primeiro e etc… Mas como vc sabe mais do que ninguém, que não é pq ninguém fala, que estas questões não existam! O seu blog aborda justamente isto! A maternidade em sua face mais honesta, mais sincera e por isso, mais bela e verdadeira. Mãe é esse bicho doido que sente medo de muita, muita coisa, que se culpa por absolutamente tudo, que fica doida se mexem com a cria dela mas que ama MUITO! E apesar de errar, erra tentando acertar, erra amando! E quando as crianças me perguntam se fico triste por ter perdido este bebe, digo que ele precisava ficar pouco tempo por aqui mas ser muito amado e que ele preparou o "terreno" para que os três viessem encher a nossa família de amor! Que fez parte do ciclo. Pois sem ele o Bernardo não seria o Bernardo, a Maria Augusta nao seria e nem a Catarina. Biologicamente falando. Então mirela, acredite que tudo vai ficar bem, vai, eu sei. Passe por seu luto, luto das fantasias e expectativas, das inseguranças, medos e ate da culpa. Que apesar de não haver motivo para te sentires culpada, és mãe, biologicamente culpada. (Rsrs) e após o luto te permita criar esperanças de novo, esperar e acreditar no melhor. Te digo de coração, que a dor vai passar. Um beijo no coração e fica bem!!!             Ps: adorooooo o seu blog, me identifico diariamente e dou altas gargalhadas!!

    Pollyana

    28 de Maio de 2014 às 22:38Responder

    Oi Mirela,

    Já passei por isso e sei que nenhuma palavra nos conforta. Nos parece muito injusto mesmo sabendo que Deus sabe o que faz. Eu também tinha certeza que o meu era um menino…coisa de mãe! Esse bebê é seu e vai voltar! Tenha o seu tempo e seu luto, faz parte, é normal e ótimo para voltar renovada.

    Beijos

    Ana Cristina

    28 de Maio de 2014 às 23:04Responder

    Passei por algo bem parecido na minha primeira gestação. Fiz um teste de farmácia q deu positivo. No dia seguinte um beta confirmando. A felicidade era extrema. Uma semana depois consegui fazer a ultra, nas a médica me alertou para q eu não contasse com essa gravidez, pois o saco gestacional estava vazio. Me desesperei na hora. Ela me deu mais uma semana, q pelos cálculos dela, seria obrigatório q tivesse batimento cardíaco. Repeti a ultra depois de uma semana, e para minha surpresa já não existia embrião, saco gestacional, nada! Mais como assim? Eu não havia tudo nenhum sangramento! Aí começa a maratona de exame. Fazia o beta e dava índices altíssimos, fazia ultra e não achavam bebe. Estava desesperada, achando estar com uma gravidez tubaria, sei lá. Os exames davam q eu estava gravida e as ultras não. Até q na terceira ultra a médica sugeriu q eu tivesse com uma gestação molar. Liguei para o meu médico q pediu minha internação pro dia seguinte. A minha "mola" estava enorme(13cm)! Fiquei arrasada! Segundo meu médico eu teria q esperar pelo menos seis meses para voltar a engravidar, mas três meses depois fui surpreendida novamente, só q agora por uma gravidez super saudável q me rendeu uma filhota linda. 

    lucyanne

    28 de Maio de 2014 às 23:49Responder

    Mirela tenho seguido seus posts e a admiro pela coragem de expor seus sentimentos mais íntimos.
    Ja tinha decidido que não seria mãe ate que engravidei sem querer em março 2013, fiquei extasiada com a felicidade do meu companheiro e familia e surgiu o tal do relogio biologico , eu tava com 37 anos…enfim fiquei gravida por 4 dias rsss e sofri aborto espontâneo com 5 semanas. Fiquei triste tentando entender mas como tudo era muito novo pra mim confiei em Deus e aceitei que ele sabe i melhor pra mim…achei que aconteceu para despertar o desejo da maternidade em mim e assim aconteceu. Em ago do mesmo ano mais uma gravidez e outro aborto com 4 semanas. Ai veio ansiedade , pouco de culpa etc… mas fui a luta…não desanimei , fiz uma bateria de exames pra tentar descobrir as causas e nada!!!
    Graças a Deus nenhum problema foi detectado , passei por exames que nem sabia existirem rsss…a ansiedade aumentava pois ja estava com 38 anos e tive duas gravidez nem espaço curto…mas não desanimei continuei acreditando no poder de Deus e confiar de que ele sabia o melhor pra mim.
    Em marco de 2013(um ano apos primeiro aborto) GRAVIDA de novo!!! Feliz e por incrivel que pareça confiante , alguma coisa me dizia que daria certo. Corri pra medica com exame de sangue nas mãos e como era numa clinica ela ja foi fazer US para ver…para nossa surpresa havia dois sacos gestacionais nem embriao ainda mas estava GRAVIDA de GEMEOS!!!! Felicidade, ansiedade , choro , susto rsss….em novembro passado nasceram minhas duas princesas cheiaa de saude apesar dos contratempos de uma gravidez gemelar e aos 39 anos…. e gravidez gemelar ESPONTÂNEA apos dois abortos…
    Força , fé, e nem sempre nossas perguntas serão respondidas…mas a vida se encarrega disso!!!
    Beijo no seu coração!!!

    Michelle Ermita

    29 de Maio de 2014 às 11:35Responder

    Oi Mirela também tive uma gestação anembrionaria… Em Janeiro de 2013… Mas era minha primeira gestação… Sei bem o que você esta sentindo e também sei que nada do que te disserem vai amenizar a dor… Só o tempo mesmo… E a certeza de ele vai voltar pra vc… Ele não estava pronto… Mas vai se preparar… E quando menos esperar estará de volta… Vá rezando e conversando com ele… Perdi o meu anjo em

    Jan/2013 em Julho/2013 ele voltou pra mim… E dia 25/04/2014… Meu menininho nasceu… No fim entendi que ele precisava desse tempo… Beijos no seu coração.

    Kelly

    29 de Maio de 2014 às 13:26Responder

    More Olha gostaria de dizer que sei o que vc está passando, pois em Fevereiro passei pela mesma coisa, e ao contrário de vc eu não tenho nenhum filho pra me consolar, era minha primeira gestação depois de 12 anos de casada resolvemos ter um BB e td deu errado, meu luto dura pra mim até hj, só não deixo que saibam, nem mesmo meu esposo, pois isso é muito meu, só eu sei o q doeu, porém não questionei Deus em nenhum momento pois sempre pedi q cuidasse de mim e hj eu tenho a resposta pra isso é acalmou meu coração prã tentar novamente, mais nunca vou sentir aquela dor novamente… Bjus

    Cris

    29 de Maio de 2014 às 20:58Responder

    Oi Mirela… Sinto muito pela sua perda e sei bem o que vc tá passando, pois já perdi varias gestações. Achei interessante o comentário que vc fez sobre se vc engravidou era pq tinha um espirito preparado pra ser gerado por vc, e seu medo de achar que assustou ele de alguma forma… Pq é isso que a doutrina espirita fala sobre o aborto. (eu ñ sei se vc acredita, mas…) O que eu sei é que um filho vem pra gente pagar uma divida de amor que temos com essa pessoa, mas ela pode sim ficar com receio de cir por varios motivos

    Cris

    29 de Maio de 2014 às 21:06Responder

    Mas o importante é que vc quer dar amor a esse neném e ele virá pra vc, tenha certeza! Também ñ se sinta culpada por achar que ñ havia espaço pra ele na sua vida, eu acho que é normal! Lembro que na gravidez de Lulu ( a caçula) morri de medo até o dia que ela nasceu de ñ conseguir ama-lá como eu amava Carol, julgava impossível caber mais amor no meu peito… Rsrsrs mas tudo se ajeita! Bjo

    Mari

    30 de Maio de 2014 às 21:25Responder

    Oi Mirela,

    Nao sei se você vai ler essa mensagem, eu nunca escrevo em blogs, mas hj senti muita vontade de te escrever. 

    Eu sei exatamente a dor que você esta sentindo. Perdi meu primeiro bebe. A dor eh inexplicavel, ninguem parece entender. Eu ouvia milhoes de coisas, mas uma me marcou profundamente: "Mari, vc tem q ficar feliz! E nao triste! Vc foi escolhida para que esse espirito cumprisse a curta missao dele! Deus escolhe mulheres fortes para isso!"

    Queria tambem te falar o que eu fiz. Eu dei um nome para o bebe e me despedi dele. Pedi para a minha madrinha que ja faleceu recebesse ele e cuidasse muito bem dele. Um dia nos encontraremos! 

    Me senti muito em Paz depois disso! 

    Viva o seu luto, chore, bote pra fora! Mas depois desse tempo saia do casulo como uma Linda borboleta! 

    Fique com Deus!

    Thais Lima

    31 de Maio de 2014 às 6:59Responder

    Comment: Mirela, você é luz!

    Valeria

    3 de Junho de 2014 às 0:00Responder

    Olha, nunca escrevo aqui, mas me emocionei, chorei. Lendo seu texto me imaginei no seu lugar, deve doer muito. Mas nao se culpe, se seu "bebe" sentiu esses pensamentos de "sera que vou dar conta?" Ele tbm sentiu seu amor, preocupacao, medo de perder, seu carinho! Fica tranquila, jaja vem um baby aí pra te deixar mais doida e sem tempo. E me escuta numa coisa,  Deus não erra. 

    Um grande beijo de uma mAe louca e apaixonada pelo filho, o Arthur, minha vida!!

    Katita

    6 de Junho de 2014 às 1:45Responder

    "Calma, que Deus está caprichando" foi excelente! Sabia que esta frase me fez sorrir e enxugar minhas lágrimas?! Senti todas as suas emoções…recordei…e estou aqui, firme e forte esperando que Deus também esteja caprichando para mandar mais um filho para minha família! Aprendo, a todo momento, a prestar atenção na minha intuição em todos os sentidos. Eu sentia e sabia que existia algo de errado. Sabia que era uma menininha. Perdi minha filha no terceiro mês de gestação. Obrigada por dividir sua história. Torço por vocês! Um grande abraço. Fiquem bem, Kátia.

    Renata

    9 de Junho de 2014 às 23:44Responder

    Oi, Mirela! Achei seu blog numa pesquisa sobre o tema aborto. Tudo pq passei por isso no mês de abril agora! Descobri no dia 27/04 que estava gravida e chorei muito de alegria. Pedia todos os dias a Deus que a criança viesse com saúde. Meu marido não conseguia ficar feliz pois dizia que tinha alguém avisando ele para que não se alegrasse (???). Assim foi. Um dia antes do dia das mães, abortei de 7 semanas. Um medo, uma dor, um Vazio imenso? Hoje, busco forças em histórias semelhantes pra recomeçar. Já perdi meu pai (há 2 anos) e agora um bebe…bem complicado, mas confio em Deus que em breve estaremos todas grávidas! Kkk!

      Mirela

      10 de Junho de 2014 às 18:20Responder

      Confie em Deus, que tudo nesta vida tem um porque!
      Logo estaremos grávidas de novo =)

      Milhoes de beijos
      Mirela

    Isabela

    14 de Maio de 2015 às 9:23Responder

    Sei que é um texto antigo, mas, meu Deus, como parece ter sido escrito por mim!! Passei por quase a mesma coisa, exceto pelo fato de ser o meu primeiro filho. De resto, tudo igual. Mesmos sentimentos, mesma opinião, mesmo modo de pensar e até a mesma visão espiritual… Como você descreveu meu momento de perda tão bem? To aqui com lágrimas nos olhos. Obrigada por esse texto, de coração, obrigada!

    Jaqueline Becker De Moraes

    15 de Julho de 2015 às 17:09Responder

    Entendo perfeitamente sua dor… tenho uma filha de 2 anos e 9 meses e no dia 15 de junho me descobri gravida! Desejei tanto, sonhei, planejei, fiz inducao de ovulacao e veio nosso tao sonhado positivo. No primeiro ultrasson nao foi visualizado nada, como possivelmente tive uma ovulacao tardia, a esperanca continuava firme. Nas semanas seguintes o pesadelo de tornou realidade, apenas o saco gestacional havia se formado. Esperamos 3 semanas, tive dois sangramentos que foram controlados e na ultima sexta feira dia 10 de julho fui submetida a uma curetagem pra retirada do saco gestacional. Embora estivesse vazio, nao era assim que eu me sentia. Me sentia mae de dois! Agora estou realmente vazia, sem saber como prosseguir, sendo obrigada a guardar os sonhos, os planos, os desejos, os presentes… Deus nos de forca pra continuar.

    Deixe um comentário