30Jan/14

Dicas para sobreviver aos primeiros dias de escolinha

POR: MirelaCATEGORIA: Dicas, Papo de Mãe(7) COMENTÁRIOS

Quando decidimos colocar nossos pequenos na escolinha, um misto de preocupação e entusiasmo invade o nosso pensamento. Por ouvirmos falar muito na dificuldade que é o processo de adaptação, ficamos preocupadas sem saber bem o que nos espera. Sabemos que o nosso pequeno pode se adaptar rápido, mas sabemos também que esse processo pode ser longo.  Ainda assim, tenho certeza que a grande maioria provavelmente está ansiosa pela chegada desse dia.

Matheus este ano vai para uma nova escolinha e estou super ansiosa para que começe logo.

Hoje de manhã fui lá no colégio para confirmar a turminha dele e comprar o resto do material que faltava e me deu um frio na barriga danado. Parece que vou ser eu que vou ter o meu primeiro dia de escolinha.

Dai saí de lá mais ansiosa do que já estava e pensei no processo de adaptação que vem por ai e resolvi vir aqui dar algumas dicas para que esse processo seja mais fácil e menos doloroso, tanto pra eles quanto pra nós. Sim porque eu acho que mãe sofre tanto ou mais que os filhos nessas horas, concordam?

Aqui estão algumas dicas

2 – Prepare a criança. Converse mas não alongue muito as explicações. Explicações demais tendem a passar insegurança e a criança precisa sentir-se o mais seguro possível.

3 – A separação custa muito, mas é necessária. Às vezes pode demorar mais tempo a passar, mas vai passar e logo o seu pequeno estará dando Xau e mandando beijo.

4 – Evite mais mudanças durante o processo de adaptação. Se não fez antes, deixe para tirar a fralda, chupeta ou o peito, por exemplo, depois que o pequeno já esteja adaptado à escola.

5 – A maioria das crianças chora na hora da separação, mas esse choro não quer dizer que o pequeno não quer ficar na escola. Seja firme, os primeiros dias costumam ser assim mesmo.

6 – Se a criança não chorar, também não pense que ela não está sofrendo com a separação. Muitas mães pensam que os filhos não se importaram com a separação, tiram conclusões erradas e ficam com medo de ter “perdido” o amor dos filhos. Lembre-se que cada criança reage de uma forma diferente e o amor entre vocês não é abalado e forma alguma por conta disso.

7 – Evite falar sobre o processo de adaptação na frente da criança.

8 – Quem deve entregar o pequeno é a mãe ao educador (ou quem está levando a criança), não é a educadora que tira a criança do colo da mãe. Evite que isso aconteça. Se o seu filho já anda, quando chegar bem pertinho da escola, coloque ele no chão e vá andando com ele até a sua sala. Encoraje-o a ir por ele mesmo.

9 – Nunca saia escondido de seu filho. Despeça-se naturalmente. Ele precisa ver que você vai, para poder entender que você volta.

10 – Incentive a criança a procurar a ajuda da tia quando necessitar de alguma coisa, para que crie laço afetivo com ela.

12 – Lembre-se que a educadora atende às crianças em grupo, procurando distribuir sua atenção, não fique achando que o seu filho vai ficar “escanteado” na escolinha. As educadoras são formadas para isso. Sabem como lidar com várias crianças numa sala só e geralmente dão conta do recado. Não se preocupe.

13 – Se os pais confiam na escola, sentirão segurança na separação e esse sentimento será transmitido à criança, que suportará melhor a nova situação;

14 – O período de adaptação varia de criança para criança. Não dá para dizer quanto tempo leva esse processo. Normalmente, em uma semana eles já começam a se acostumar, mas pode levar mais tempo. Não fique angustiada com isso. Uma hora o seu pequeno vai se acostumar. Se ele não se acostumar é ou porque tem algo de errado com a escola, ou porque você, mãe, não ajudou no processo. Isso acontece quando a mãe se culpa e sempre deixa o filho na escola com sentimento de culpa e insegurança. A criança sente e não se adaptará nunca enquanto a mãe não mudar.

16 – Poderão ocorrer algumas regressões de comportamento durante o período de adaptação, assim como alguns sintomas psicossomáticos (febre, vômitos etc.) Não se aflija e não ache logo que por isso o melhor é tirar o pequeno da escola e deixar em casa com uma babá ou com a avó. Mais uma vez, seja firme, mas aja sempre com muito amor que tudo logo vai passar.

17 – É comum verificar-se nessa fase uma ambivalência de sentimentos. O desejo de autonomia da criança e a necessidade de proteção ocorrem simultaneamente. Tente compreende-la e não a repreenda por isso. Com o tempo passa. Converse sempre com o seu pequeno. Você pode achar que ele não entende, mas ele entende sim.

18 – Cuidado com a aparente adaptação. Os pais devem respeitar o período estabelecido pela escola. Muitas escolas tem um período de adaptação onde os pais ficam junto com os filhos até que eles estejam ambientados. Muitos pais, devido a correria do dia a dia e ao trabalho, tendem a achar que a criança já se adaptou e querem-na deixar logo só. Não faça isso. Vá saindo aos pouquinhos e só saia de vez quando vir que de fato o seu pequeno está adaptado. Se você sai de cena por umas horas no meio do processo de adaptação, ele vai regredir e para voltar vai ser pior.

19 – A adaptação das crianças de período integral inicialmente deve ser feita em um turno (manhã ou tarde).

Existem crianças que já no primeiro dia se despedem da mãe e se integram com as outras crianças, neste caso não há necessidade do programa de adaptação. Reze para que o seu filhote seja assim que eu vou fazer o mesmo. Kkkk

E para o Berçário?

No Berçário é frequente surgir nas mamães os sentimentos de culpa, insegurança, ansiedade e ciúmes pelo "abandono" do filho na escola. Se você sentir que está passando por isso, procure a psicóloga da escola e converse com ela. Ela vai lhe saber orientar.

Para falar a verdade, até aos 7 meses o bebê praticamente não precisa de adaptação, isto porque ele ainda não estranha as pessoas (salvo algumas exceções claro) a adaptação é feita para a mãe. O melhor é ficar uns 3 ou 4 dias para você poder se acostumar a esta novidade.

A partir dos 8 meses os bebês já começam a estranhar. Nessa altura a adaptação pode ficar mais difícil e provavelmente vai levar alguns dias. Comece deixando-o no berçário no primeiro dia apenas por uma hora, fique por perto observando a rotina, o ambiente e vá aumentando o tempo de permanência da criança progressivamente no segundo e terceiro dia e assim por diante até a criança ficar o período normal sem a sua presença.

Lembre-se que o processo de adaptação depende muito de você também. Aliás, a sua postura é o que mais vai ajuda-lo nesse processo.

Seja firme. Tenho certeza que você pensou muito antes de decidir coloca-lo na escola, então agora não é mais hora de voltar atrás.

É quase garantido que daqui a pouco tempo você vai adorar ter tomado essa decisão e não vai se arrepender nem um pouco. Só tenha paciência e espere essa fase de adaptação passar.

Boa sorte

[essb-fans style=flat cols=4]
 
TAGS , , , , , , , ,

7 comentários

7 Comentários

Deb

30 de Janeiro de 2014 às 15:15Responder

Texto show! Dicas show!
Porem a hora q vc entrega seu pequeno pra professora e ela sai andando com seu filhote chorando com os bracinhos estendido….. so a psicologa do colégio pra segurar o choro da mae !!!! No caso eu!
Por isso a importancia de uma boa escola cpm bons profissionais….
Alguns minutos depois liga a coordenadora no meu celular dizendo q ele esta otimo e brincando com os coleguinhas….
E foi ai q eu voltei a respirar….. rs
Bjo nas mamaes que estão nessa fase como eu ….. e q fase dificil……

Erika Apolucena

30 de Janeiro de 2014 às 15:31Responder

Estou passando por essa fase, meu pequeno esta com 5 meses, e faz duas semanas que ele esta indo para a escolinha, para a minha adaptação, pq ele se adaptou super bem, graças a Deus. Ele é super calmo e realmente não estranhou as tias. agora eu fico com o coração na mão, semana que vem volto a trabalhar e realmente ele vai ficar no período integral, dai sei que pra mim será sofrido, mas sei que tudo é para o bem dele, pra seu desenvolvimento, isso é o que importa.
Seus posts sempre anima a gente, só de saber que não sou a única a passar por isso rsrsr.

bjusss

Cecilia

30 de Janeiro de 2014 às 19:41Responder

Boas dicas, estou passando por isso.

Ilana

31 de Janeiro de 2014 às 10:41Responder

Segunda meu baby começa na escola. Fomos 2 vezes com ele, e ele já reconhece, já corre pra onde vai ser a salinha e nem quer vir embora. Acho que o problema vai ser minha adaptação e não a dele. Rsrs

Cida

4 de Fevereiro de 2014 às 14:49Responder

Estou nesse dilema, meu principe tem 13meses por ser melhor para ele e para nós, optamos em colocar, mas confesso que o meu coração já começa doer…rsrs

Obrigada pelas dicas

Rachel

9 de Fevereiro de 2014 às 20:01Responder

Minha filha tem 1 ano e 4 meses e desde os 6-7 meses que estranha a tudo e a todos, morro de vergonha quando as pessoas querem pegá-la no braço e ela dá as costas ou abre o berreiro.
Desde muito cedo sonho em colocá-la na escola e agora estamos entrando na 2a semana de adaptação dela.
No primeiro dia ela ficou bem, não chorou mas passou o tempo inteiro conferindo se eu estava ali do lado dela. No 2o dia, ja chorou muito pois a professora a tirou dos meus braços, aí já sabe, mas depois ela ficou bem e eu disse que ia só beber água e que depois voltava. Ela ficou ótima, nem lembrava mais de mim. E no 3, 4o e 5o dia tambem foi ótima, só chora (não sei nem se posso chamar de choro, dá só um enjoozinho) na chegada, que eles chamam de separação, mas eu entro e passo 5 minutinhos e vem a velha história de que vou beber água e ela fica bem.
Estou super confiante que agora com ela na escola irá melhorar bastante sua socialização e parar de estranhar mais as pessoas, que me incomoda bastante!

Priscilla

27 de Março de 2014 às 8:32Responder

Minha filha tem 1 ano e 7 meses e sempre tive babá mas depois de alguns problemas resolvi colocar na creche e foi doloso e hoje esta com 7 dias que ela esta indo para escolinha, nos 03 primeiros dias muito choro e durante todo o dia desde antes de ontem ela melhorou e quando chego para busca-la ela não esta chorando e isso me deixa mais tranquila..

Deixe um comentário