1Jul/14

Como lidar com os palpiteiros de plantão

POR: MirelaCATEGORIA: Dicas, Diversos, Papo de Mãe(8) COMENTÁRIOS

Raro é o pai e a mãe que gosta de ficar recebendo pitacos o tempo todo sobre como educar e cuidar do filho mas precisamos aprender a saber lidar com isso da melhor forma, afinal de contas, eu tenho certeza que a maioria desses pitacos, são com boas intenções.
Da mesma maneira que o seu bebê é uma parte importante da sua vida, ele também é bastante importante para outras pessoas sabia? Pessoas que gostam realmente dele se sentem automaticamente convidadas a opinar e aconselhar sobre o que pode ou não ser melhor para ele.
É importante você se lembrar disso para quando escutar esses “conselhos” chatos, conseguir manter a elegância e desta forma responder delicadamente sem machucar ninguém com respostas ríspidas. Além disso, você não deve esquecer de que no fim de contas, o bebê é seu e quem vai terminar educando ele da maneira que achar melhor, é você.
Então, raramente vale a pena criar uma guerra com uma pessoa que no fundo tem boas intenções.

Mas você pode responder aos conselhos que você não pediu de várias maneiras:

Escute primeiro
É natural ser defensivo se você acha que alguém esta te julgando; mas provavelmente você não está sendo criticada, mas sim, a outra pessoa esta compartilhando contigo o que ela acha ser uma percepção valiosa.
Tente ouvir – você pode sem querer talvez aprender alguma coisa valiosa.
Seja indiferente caso você ache que não existe a mínima chance de convencer a outra pessoa a mudar de opinião.
Sorria, balance a cabeça positivamente, e faca um comentário do tipo: “Interessante!” e continue fazendo do seu jeito.

Concorde
Você pode até não concordar, mas o fato de você concordar com a pessoa vai encurtar muito a conversa. Se você ficar rebatendo, a pessoa vai ficar argumentando até você “explodir”, logo não adianta se desgastar. Concorde só pra não dar brecha para muito mais papo.

Escolha suas batalhas

Se sua sogra insiste em que seu bebe vista um chapéu na sua caminhada ao parque, vá em frente e ponha aquele chapéu na cabeça dele. Isso não vai prejudicar seu bebê e vai apaziguar a situação. Entretanto, não se renda quando o assunto é importante para você e quanto à saúde ou bem-estar da criança esta em jogo.

Evite tocar no assunto
Se alguém estiver te pressionando para que você deixe seu bebê chorar para dormir, mas você sabe que nunca vai conseguir fazer isso, então não reclame sobre seu bebê acordando cinco vezes a noite passada. Se tocarem no assunto, fuja com um “Você gostaria de um cafezinho?”

Se instrua
Conhecimento é poder! Proteja a si mesmo e seu equilíbrio mental lendo e aprendendo tudo sobre o modo que você decidiu educar seu filho. Isso vai ajudar também na hora de “argumentar” com alguém.

Cite um médico
Muitas pessoas aceitam o ponto de vista se um profissional da saúde validou isso. Se seu próprio pediatra concorda com sua posição, fale, “Meu medico falou para esperar até que ele tenha 6 meses para introduzir comidas sólidas.” Se seu próprio medico não suporta seu ponto de vista, então refira-se a outro medico, talvez o autor de algum livro sobre cuidado de bebês.

Seja vago
Você pode evitar um confronto com respostas evasivas. Por exemplo, se alguém lhe pergunta se você já começou o desfralde (mas você nem está pensando nisso no momento), você pode responder algo como “Estamos caminhando nessa direção”

Peça conselho!
O seu palpiteiro amigável é possivelmente um especialista em alguns assuntos que você concorda com ele. Tente achar esses pontos e convide-o para lhe dar alguns conselhos. Ele vai ficar tão feliz por estar te ajudando quanto você vai ficar por evitar discussões sobre os assuntos que vocês não concordam.

Decore uma resposta padrão
Aqui um comentário que pode ser dito em resposta a quase todos os tipos de conselhos: “Esse é não talvez é o jeito certo para vocês, mas é o jeito certo para mim.”

Seja honesto
Tente ser honesto sobre seus sentimentos.
Separe uma hora em que não haverá distrações, e pense cuidadosamente em suas palavras, como “Eu sei o quanto você ama o Matheus, e eu estou muito feliz por você passar muito do seu tempo com ele. Eu sei que você acha que esta me ajudando quando me dá conselhos como esses, mas de verdade, eu estou satisfeito com meu modo próprio de lidar com isso, e eu ficaria realmente feliz se você pudesse entender e respeitar isso.”

Encontre um mediador
Se a situação está colocando em risco a relação com quem está te dando conselhos, você pode pedir outra pessoa para interferir para você.

Procure amigos que pensam da mesma forma
Se associe a um grupo de apoio on-line ou clube com pessoas que tem os mesmos pontos de vista de educação de seus filhos.
Falar com outros pais que educaram seus bebês do mesmo modo pode te dar uma forca para encarar pessoas que não entendem seus pontos de vista.

Esse artigo foi extraído do livro “Gentle Baby Care” by Elizabeth Pantley. (McGraw-Hill, 2003).
http://www.pantley.com/files/UnwantedAdvice.pdf

[essb-fans style=flat cols=4]
 
TAGS , , , , , , , , , ,

8 comentários

8 Comentários

Natalie

1 de Julho de 2014 às 11:54Responder

Mirela, olá, e quanfo o palpiteiro e a madrinha???? Ela e minha cunha e moro com a minha sogra e ela sempre esta aqui??? O meu filho yem um ano e meio e eles querem que eu desfralde agora no inverno o que eu faço??? Esses dias ela vaio e ele dormiu e ela disse para minha sogra que eu nao quero ela perto, mas nao e verdade eu gosto dela e por isso que ela e madrinha o que eu faço nesse caso???? Me ajuda por favor. Obrigada

    Mirela

    2 de Julho de 2014 às 14:29Responder

    Seja sincera! Converse com ela falando que gosta muito dela e por isso a escolheu para madrinha mas que ela tem que entender que madrinha não é mãe e que graças a Deus o seu filho tem a mãe por perto para poder decidir o que é o melhor para ele. Quando achar necessário você seguirá os conselhos dela, mas a decisão final é sempre sua e do seu marido 🙂
    Boa sorte

    Bjoos

kamilabat@hotmail.com

1 de Julho de 2014 às 15:12Responder

Excelente texto muito util

Dea

1 de Julho de 2014 às 21:07Responder

Mto chato msm! O pessoal mais antigo se julga mais gabaritado a palpitar, mas eles viveram em outra época e mta coisa mudou e foi estudada de lá p/ cá. Mães e avós devem ser as campeãs em desestimular a amamentação! Frente a qualquer dificuldade, logo ficam sigerindo leite em pó na mamadeira! Se a mãe do bebê não estiver segura do que está fazendo, pode ficar balançada…

Mto bom o texto!! 

Ana

1 de Julho de 2014 às 21:29Responder

Simplismente amei!!! Eu sempre tenho que contar até 239 para evitar esses confrontos desnecessários.. Até porque "os pitacos" são para os filhos.. O marido.. O cachorro e por ai vai.. Algumas pessoas gostam de que as coisas sejam feitas da mesma forma sempre.. Passando de geração para geração e não levando em consideração que os métodos evoluem, a educação muda, as cabeças são mais abertas.. Enfim 

Otimo post 😉

Gabriela canton

2 de Julho de 2014 às 11:17Responder

Excelente!!! Acho que toda mãe sofre com isso, e quanto a escolher suas batalhas foi um tapa para mim, eu compro todas!!! rsrsrs muito obrigada Mirela. Aprendi muito lendo isso… Me deu até um alívio, pq sempre que pensamos em viajar, visitar avós, tios, primos… Me da palpitações, fico o dia anterior sem dormir, pq sempre vem alguém(principalmente mães que estão no mesmo barco que nos, mas se sentem SUPER mães, rebaixando nós, rélis mortais que tentam acertam sempre, dão o melhor de si, mas que erram muitas vezes!) 

Camilla

2 de Julho de 2014 às 19:04Responder

É qdo sua mãe antes mesmo do seu filho nascer fica dando palpites de como fazer??? Achando q os métodos q ela usou há 30 anos com seus filhos tem q ser feito da mesma maneira! Tento explicar q d lá pra ca as coisas mudaram mas não resolve mto ai ela já apela falando q nem vai pegar no meu filho! Não é fácil! Quero ver qdo nascer! Ótimo post!!!

Cherly

28 de Julho de 2015 às 16:26Responder

Ótimo post!!! Todas nós mamães passamos por isso.. e confesso que tem que contar até 1.000 várias vezes para não surtar. Obrigada pelas dicas valiosas apesar de que maior parte do que falam pra mim, simplesmente é ignorado!
Beijos

Deixe um comentário