7Fev/14

Como era fácil educar o filho dos outros…

POR: MirelaCATEGORIA: Confessionário, Educação, Papo de Mãe(22) COMENTÁRIOS

canstockphoto12568072

Não me canso de dizer essa frase: Como era fácil educar o filho dos outros.

Nunca na minha vida achei que ia ter tanta dificuldade em educar um filho como estou tendo. Antes de ser mãe, eu sabia sempre qual a melhor forma de chamar a atenção de uma criança, qual a melhor opção para repreender, qual o melhor “castigo” a dar, qual decisão tomar. Sabia as melhores palavras e acho que até o tom de voz certo para repreender um pequeno… e para falar a verdade, eu achei que sabia de tudo isso até Matheus ter mais ou menos um ano e meio, quando ele ainda era “calmo” e não sabia que podia dizer “não” cinquenta mil vezes seguidas até me vencer pelo cansaço.

Tudo era tão tranquilo. Na minha cabeça, tudo estava sob controle, até que de repente, o meu anjinho entrou na adolescência do bebê (o famoso terrible two que você pode ler aqui) e eu passei ter a sensação de estar completamente perdida, sem saber que caminho seguir.

Matheus tem um gênio bem forte, e é de uma persistência (teimosia mesmo) bem impressionante. Quer tudo do seu jeito, e quando não é do seu jeito a casa quase cai. Grita, chuta, bate, e faz cara de muito poucos amigos. Fora os "nãoooo mãe!" ou "Saiiii mãe!" ou "Deixaaa mãe!", saindo da boca dele o tempo todo e eu tento, juro que tento "coloca-lo na linha", mas fico sempre com a sensação de que não estou dando, nem vou dar conta do “recado” e é nessa hora que eu vejo que toda aquela teoria que a gente via na TV e lia nos livros e até nos blogs não é assim tão fácil de aplicar quando temos que aplicar no nosso filho. Sei que é fase, que ele está aprendendo a se afirmar e faz parte do processo de crescimento e formação dele mesmo, mas a paciência de mãe definitivamente não é saco sem fundo, nem um poço de conhecimento e por vezes dá vontade de sair correndo.

A sensação é que tem hora que pareço "um burro olhando para um palácio" (expressão que usamos em Portugal quando queremos dizer que estamos olhando para algo e não fazemos ideia do que fazer com ela). Estou numa fase que não sei mesmo como agir. Não quero bater nele porque não acho bacana e não quero dar-lhe esse exemplo. Se mesmo sem bater,  ele já bate em quem o está contrariando, imagina se ele visse isso aqui em casa. Quero colocar ele de castigo mas ele fica rindo, e fazendo graça como se não se importasse e eu fico achando que ele não entende (e eu mantenho a cara fechada na hora que brigo). Converso com ele (tal como a teoria ensina) mas ele faz que não me escuta, e quando escuta faz um escândalo sem tamanho… É minhas amigas, o negócio por aqui não está fácil! 

Daí, quando deito na minha cama, penso no dia que terminou, em tudo o que passou e fico me perguntado onde é que eu estou errando, como posso melhorar e o que é que tenho que mudar. Termino ficando ainda mais perdida. 

Como dá medo meu Deus. Tenho tanto medo de errar na educação dele, de não conseguir fazer um bom “trabalho”. E o que mais me assusta é saber que este é só o começo.

Sempre imaginei e tive certeza da educação que queria dar a Matheus. Continuo com a mesma opinião, sei direito o homem que quero que ele se torne, os valores que quero que ele tenha, no entanto hoje eu dou por mim procurando o caminho para chegar até eles e admito que não está sendo nada fácil encontra-lo.

Quem diria que "aquele" caminho que antes me parecia tão bem asfaltado e cheio de sinalizações, é afinal uma trilha sem placas e com obstaculos que assustam qualquer trilheiro profissional.

Só me resta pensar que Deus não vai deixar de me guiar em momento algum e que isso me vai ajudar bastante, porque educar o meu filho vai ser a tarefa mais difícil que terei que cumprir na vida e só saberei que a conclui com louvor daqui a uns 25 anos.

Mas essa é das tais coisas que se te contarem antes de ser mãe, você definitivamente não vai acreditar, né?

 

[essb-fans style=flat cols=4]
 
TAGS , , , , , , , , , , , , , , ,

22 comentários

22 Comentários

Marisa

7 de Fevereiro de 2014 às 11:56Responder

Se fosse so na adolescencia dos 2 … uff .. to tendo o mesmo problema com a adolescencia dos 10 .. ufff … a resposta e sempre a mesma .. : EU JA SEI MAE !!! .. e vai e faz tudo errado de novo !! mesmo quando eu repito 1000 x … e me sinto como voce Mi … mas sempre lembro do q a minha mae disse … educa com amor … ! .. uff enfim .. e mesmo como voce diz esperar q deus nos guie… a minha irma tambem me falou .. as vezes … depois de uma grande tempestade vem a bonanca .. o q e certo e q quando a bonanca chega … logo logooooo comeca outra tempestade …kkkkkkkkkkkkkkk beijooooooo

Camila

7 de Fevereiro de 2014 às 12:10Responder

Ai ai…
Tenho uma pequena de 1 ano e 9 meses… sei bem o que é isso.
E é bem assim mesmo, quando eu via os filhos dos outros fazendo algumas coisas o sangue subia e eu logo pensava: aaaah, se fosse meu filho!!

E agora estou tendo as mesmas dificuldades.
Minha mãe sempre dizia: Não fique falando nem reparando no filho dos outros que a língua paga… ô, e como paga!

Quando descobrir a RECEITA, conta pra gente, rsrs.

Beijo

Andreia

7 de Fevereiro de 2014 às 12:16Responder

Por aqui estou exactamente igual .. Falo ele revira os olhos foge grita mas o pior é que ja tem 3 anos e tenho super vergonha de perguntar na medica se é normal se ha alguma coisa mais a tentar porque ja tentei tudo 🙁

malu

7 de Fevereiro de 2014 às 12:42Responder

Na verdade mirela todas passamos pela mesma situação, educar filhos quer dizer a todo momento que quem sera reeducada nas opniões serà nós mesma. A teoria do cantinho da disciplina nunca fui fã dela apesar de tentar aplica-la ate que saiu uma reportagem da pais e filhos criticando o método, pronto era o q prescisava pois sempre achei que com 2 anos uma crianca não tem real conciência do porque e em que pensar naqueles minutos. Dai pensei o que fazer então, cheguei a conclusão que uma palmadinha dada na hora certa é bem mais benéfica, como assim vc vai dizer isso é bater…. e eu te falo é uma palmadinha e não um espancamento, isso não vai mata-lo a não ser a nós mesma, eu aviso 3 vezes e conto até 3 ele para na hora, claro q ele insisti dai leva um tapinha no bumbum, outra coisa foi tirar os brinquedos q mais gosta tipo o tablet, meu filho NUNCA nunca mesmo bateu, mordeu ou beliscou alguem, pq sab a lei que toda ação tem uma reacão, ele só é birrento e manhoso porem não é agressivo.

Marilia

7 de Fevereiro de 2014 às 13:05Responder

Faço de suas palavras as minhas Mirela! Minha filha tbm esta passando por esta fase terrivel e tbm fico me perguntando como proceder? E onde to errando? E rezo para que possa dar a melhor educacao pra minha filha! Beijos

carla

7 de Fevereiro de 2014 às 14:05Responder

Estou nesta fase! Li este material aqui: http://conversandocombernardo.com/2013/07/11/disciplina-positiva-o-metodo-que-procuro-seguir-na-criacao-do-meu-filho/

Está difícil de aplicar, mas estou tentando…

Fernanda

7 de Fevereiro de 2014 às 14:35Responder

Manuela

7 de Fevereiro de 2014 às 14:56Responder

Nao tiro sequer uma palavra da sutuacao que descreveu, vivo e penso exatamente do mesmo jeito meu Gabriel tem a mesma idade do Matheus e tb é de março e se comporta do msm jeito! Poxa espero que passemos logo dessa fase dificil! #BoaSortePraNós Beijos Deus abençoe

Mariana Fernandes Evangelista

7 de Fevereiro de 2014 às 16:03Responder

Também tenho esse medoo, meu bebe tem 8 meses e seco trariamos ou tiramos algo que ele está mexendo já é um escândalo fico imaginando quando estiver maior.. Acho que é meu maior medo não conseguir dar a ele uma boa educação …

    Mirela

    7 de Fevereiro de 2014 às 18:20Responder

    Mas com paciencia, amor e carinho a gente vai chegar lá. Acredite =)

    Bjoos

Ellen Silva

7 de Fevereiro de 2014 às 16:18Responder

Mirela, meu filho tem alguns meses a menos, e tb estou com este dilema.

Antes dele nascer eu fiz um plano de como educaria meu filho e hoje o que vejo é dia a dia este plano ir por agua abaixo.

Espero de verdade que um dia eu possa olhar pra ele e ver realizado aquilo que idealizei, faço das tripas coração pra isto.

Que Deus nos dê entendimento e sabedoria todos os dias.

    Mirela

    7 de Fevereiro de 2014 às 18:17Responder

    Muita sabedoria mesmo rsrs porque é dificil, mas tenho certeza que chegaremos lá!

    Bjoooos

Wânia Roa

7 de Fevereiro de 2014 às 18:11Responder

OI. Tenho uma filha de três anos e com certeza todas passamos por isso. E a forma que tenho conseguido manter a calma não é a mais convencional, mas tem me ajudado. Você já parou pra pensar que ele só faz tudo isso porque tem saúde? Então, depois que a gente ve uma criança com problemas de saúde ( não estou falando de gripes, viroses…) a gente louva a Deus por esse chiliques, respira e explica tudo de novo porque que não pode. E quando o nervoso do momento passa fica mais fácil com certeza. bjo e força!

    Mirela

    7 de Fevereiro de 2014 às 18:19Responder

    Verdade… eu penso nisso, acredite! Mas lógico que tem hora que a gente se sente perdida né? =)

    Bjoos

Pamela Greco

11 de Fevereiro de 2014 às 10:04Responder

Olá Mirela! Fases difíceis, não é? Eu sei bem. Como pedagoga, parte do meu trabalho é orientar os pais que estão passando por essas situações. Elas são super desafiadoras, mas se conseguir ferramentas pra lidar com ela, verá que pode aprender muito até sobre você mesma. Eu daria algumas dicas básicas: Confie em você mesma, não se cobre tanto – você não têm que ser e nem será perfeita – e mostre para seu filho o seu processo pra lidar com a situação: Quando estiver irritada, pare na frente dele e diga “estou chateada, pensando em como podemos resolver essa situação.”. Ele, aos poucos, irá entender que é assim que agimos diante das situações difíceis ao invés de usar a ironia e o “pouco caso”. Ele precisa entender o que ele mesmo está sentindo também. Se quiser bater um papo e trocar mais figurinhas, estou por aqui no e-mail pamela@paisqueeducam.com.br. Um grande abraço;

    Mirela

    13 de Fevereiro de 2014 às 19:14Responder

    Obrigada Pamela =)

    Vou salvar teu email e qualquer coisa te chamo. 

    Bjooos

    Mirela

      A

      26 de Fevereiro de 2014 às 11:38Responder

      Oi Mirela, tudo bem? Não sou de escrever, mas hoje me deu uma vontade de falar com você. Rss! Acompanho seu blog e o instagram acredito que desde o início, nem lembro mais como te encontrei… Ainda não sou mãe e só vou estar liberada no final do ano devido a uma cirurgia para retirada de um aneurisma no ano passado. Mas, queria muito te agradecer por ser tão verdadeira e falar a realidade “nua e crua” do que é ter e educar um filho. E também por mostrar, mesmo expondo seu marido , a realidade do que é um matrimônio, principalmente nos dias de hoje onde somos cobradas à perfeição o tempo todo. Quisera eu, você já ter esse blog antes de me casar, não teria “batido tanto a cabeça”. Parabéns!! Um grande beijo!

Fernanda

2 de Março de 2014 às 16:03Responder

Uffa fico tão mais aliviada de ler isso,pois percebo que não é só eu que me sinto assim perdida em cada crise de escândalo de birra e de sapateado do meu baby…meu filho tem 3 anos e 1 mês mais tá com um gênio tbm que as vezes acho que não vou dar conta!!! Pq ser mãe realmente não é fácil…é muitoo bom mais a peleja é longa força a todas nós mamães!!!

    Cynara

    28 de Maio de 2014 às 14:49Responder

    Ola Mirela,

    Tenho te acompanhado pelo instagram e apos ver seu post sobre o aborto que sofreu (eu tbem ja sofri 2 e seguidos) resolvi vir ver seu site e me deparei com esse topico sobre educaçao. 

    Tenho dois filhos de 4 e 6 anos e ja sofri e ainda sofro muito com isso. E ja percebi que tudo sao fases que vao e vem, tem dias melhores e piores mas no fim acredito que mesmo quando erramos, estamos certas pois sempre tentamos acertar, a intençao é sempre ser o melhor possivel. 

    Aqui em casa ja adotei o cantinho da disciplina que ate deu certo por um tempo, mas depois ficou meio sem eficácia. Hj tenho usado varios métodos em conjunto. 

    Dou um aviso e explico qual será a consequencia (mas tem que ser algo que vc realmente vá cumprir pois logo eles começam a perceber qd é uma ameaça que nao irá se realizar)dou o segundo aviso e conto até 3. Geralmente no 3 eles já obedecem. Mas qd não acontece é logo aplicado a disciplina (consequencia, castigo). Aqui eu uso um metodo que tem dado muto certo: eu os coloco longe do convívio familiar (num quarto por exemplo) e aviso que eles estão livres pra voltarem quando estiverem mais calmos (quando ele estao dando birras, esperneando, gritando etc) ou qd resolverem fazer o que pedi. E tem funcionado.

    Eu vario tbem com outros tipos de disciplina como por exemplo tirar algo deles. Ex. : agora eles ganharam um album da copa pra colar figurinhas que a gente compra. Prometi que quem se comportar muito bem durante a semana ganhara 2 pacotinhos de figurinhas no fim de semana. Se comportar mais ou menos ganha só 1. E se fizer algo muito ruim, nao ganha nada. Esta sendo ótimo.

    Entao eu aprendi que temos que variar de acordo com a idade, personalidae e etc. vc vai descobrir seu metodo. Eu confesso que ja fiquei louca, gritei, esbravejei e ate dei umas palmadas, mas o que realmente funcionou aqui é essa troca, eu explico sempre que gentileza atrai gentileza, que conversar sempre traz um resultado mais positivo que gritar e bater. Por exemplo, ja aconteceu varias vezes de eu premiá-los deixando escolherem um lugar pra gente passear no fim de semana, depois de uma semana em que foram bem comportados (mas nao foi um combinado antes, foi uma surpresa). E provei pra eles que eles sao legais um com o outro, legais comigo e me deu vontade de fazer algo por eles. 

    Mas ainda sinto dificuldades…todo dia é um novo dia, com coisas a aprender e ensinar…e assim a gente vai levando…

    Outro dia meu filho mais novo nao queria tomar banho, deu birra ja dentro do chuveiro e sabe o que eu fiz? Falei "vc nao vai tomar banho? tem certeza? entao tá! agora vc vai dormir sem tomar banho". Aí ele quis ir pro chuveiro e eu nao deixei. Dormiu sem tomar banho. No outro dia qd falei pra ir pro banho ele foi sem reclamar e agora qd ele ameaça a dar trabalho pra ir pro banho basta eu perguntar "ah e, vc nao vai tomar banho?" e ele vai rapidinho…kkkk

    Vivendo e aprendendo…espero ter te dado uma luz…

    Adoro seus posts…sempre muito reais!!

    Bjo

Juliana

10 de Abril de 2014 às 0:19Responder

Olá acabei de ver um link seu no face e entrei pra ler, quando me vi deitada no sofá devorando tudo o que vc já escreveu. tenho uma menininha de 3 anos e meio e olha que a fase do Terrible Two ainda está acontecendo aqui em casa, eu não sei mais o que fazer que método usar, as vezes a vontade que tenho é de sentar e chorar ainda mais alto que ela justamente pq não sei mais o que fazer, não dá mais pra fazer uma passeio sem se se estressar, jantar fora sem perder a fome. É impressionante como ela faz tudo para que eu me sinta a pior mãe do mundo. Me desobedece em tudo e o pior é que são coisas que ela sempre fez com orgulho, como tomar banho e lavar o cabelo, ela simplesmente faz um escândalo quando vou lavar o cabelo dela. Sentar na cadeirinha do carro COM cinto de segurança. Agora são 10 minutos explicando que é pra proteção dela, que se ela não colocar o cinto a mamãe pode ser multada etc etc etc. Ela é mega mandona, autoritária ao extremo, a ponto de uma mãe na escola comentar nossa como a Alice é autoritária né? E eu fico sem reação ela é mesmo. Não quero ser aquelas mães horrorosas que batem gritam e dizem não pra tudo. Mas tbm não quero ser aquelas mães idiotas permissivas que dizem sim pra tudo. Estou desesperada!!!!Sem saber que mãe ser!!!!

    Mirela

    10 de Abril de 2014 às 21:06Responder

    Seja a mãe que o seu coração manda sere tudo vai correr bem! O seu instinto materno é sabio, ele é o seu melhor amigo. Agarre-se a ele =)

    Bjooos

    Mirela

      Cynara

      28 de Maio de 2014 às 14:50Responder

      Ola Mirela,

      Tenho te acompanhado pelo instagram e apos ver seu post sobre o aborto que sofreu (eu tbem ja sofri 2 e seguidos) resolvi vir ver seu site e me deparei com esse topico sobre educaçao. 

      Tenho dois filhos de 4 e 6 anos e ja sofri e ainda sofro muito com isso. E ja percebi que tudo sao fases que vao e vem, tem dias melhores e piores mas no fim acredito que mesmo quando erramos, estamos certas pois sempre tentamos acertar, a intençao é sempre ser o melhor possivel. 

      Aqui em casa ja adotei o cantinho da disciplina que ate deu certo por um tempo, mas depois ficou meio sem eficácia. Hj tenho usado varios métodos em conjunto. 

      Dou um aviso e explico qual será a consequencia (mas tem que ser algo que vc realmente vá cumprir pois logo eles começam a perceber qd é uma ameaça que nao irá se realizar)dou o segundo aviso e conto até 3. Geralmente no 3 eles já obedecem. Mas qd não acontece é logo aplicado a disciplina (consequencia, castigo). Aqui eu uso um metodo que tem dado muto certo: eu os coloco longe do convívio familiar (num quarto por exemplo) e aviso que eles estão livres pra voltarem quando estiverem mais calmos (quando ele estao dando birras, esperneando, gritando etc) ou qd resolverem fazer o que pedi. E tem funcionado.

      Eu vario tbem com outros tipos de disciplina como por exemplo tirar algo deles. Ex. : agora eles ganharam um album da copa pra colar figurinhas que a gente compra. Prometi que quem se comportar muito bem durante a semana ganhara 2 pacotinhos de figurinhas no fim de semana. Se comportar mais ou menos ganha só 1. E se fizer algo muito ruim, nao ganha nada. Esta sendo ótimo.

      Entao eu aprendi que temos que variar de acordo com a idade, personalidae e etc. vc vai descobrir seu metodo. Eu confesso que ja fiquei louca, gritei, esbravejei e ate dei umas palmadas, mas o que realmente funcionou aqui é essa troca, eu explico sempre que gentileza atrai gentileza, que conversar sempre traz um resultado mais positivo que gritar e bater. Por exemplo, ja aconteceu varias vezes de eu premiá-los deixando escolherem um lugar pra gente passear no fim de semana, depois de uma semana em que foram bem comportados (mas nao foi um combinado antes, foi uma surpresa). E provei pra eles que eles sao legais um com o outro, legais comigo e me deu vontade de fazer algo por eles. 

      Mas ainda sinto dificuldades…todo dia é um novo dia, com coisas a aprender e ensinar…e assim a gente vai levando…

      Outro dia meu filho mais novo nao queria tomar banho, deu birra ja dentro do chuveiro e sabe o que eu fiz? Falei "vc nao vai tomar banho? tem certeza? entao tá! agora vc vai dormir sem tomar banho". Aí ele quis ir pro chuveiro e eu nao deixei. Dormiu sem tomar banho. No outro dia qd falei pra ir pro banho ele foi sem reclamar e agora qd ele ameaça a dar trabalho pra ir pro banho basta eu perguntar "ah e, vc nao vai tomar banho?" e ele vai rapidinho…kkkk

      Vivendo e aprendendo…espero ter te dado uma luz…

      Adoro seus posts…sempre muito reais!!

      Bjo

Deixe um comentário