24Fev/14

7 maneiras de evitar uma birra

POR: MirelaCATEGORIA: Dicas, Papo de Mãe(6) COMENTÁRIOS

Acho que antes mesmo de sermos mães, todas nós em algum determinado momento da nossa vida, nos vimos resolvendo facilmente a birra de uma criança filha de alguém, mas depois que passámos a ser do time das mamães, em pouco tempo descobrimos que não é assim tão fácil lidar com esses chiliques e passamos a teme-las e muito, muito mais o que imaginámos que temeríamos.

Mas afinal porque as crianças fazem birra?

Bem gente, a birra nada mais é do que uma forma que a criança tem de expressar sentimentos com os quais ela ainda não sabe lidar. Como tal, cabe a nós, pais, arrumar formas de evitar que essas crises aconteçam e assim conseguir evitar que um dia essas mesmas crises fiquem mais fortes e aconteçam com maior frequência.

Seguem então 7 dicas para você poder saber o que fazer a fim de evitar uma birra e dessa forma ir ensinando aos poucos o seu filho a lidar com os seus próprios sentimentos:

1.       Exteriorizando sentimentos

Primeiro você deve ajudar a criança a verbalizar o que ela está sentindo. Se você explicar para o seu pequeno que ele está chorando porque está frustrado ou com raiva, ele aos poucos vai entender e aprender a lidar com os seus sentimentos mais complexos. E não ache que o seu bebê não vai entender porque ele vai sim. Os pequenos entendem muito mais do que nós imaginamos, nem que seja pela entonação da nossa voz.

2.       Tenha calma

Mantenha sempre a calma e dê alternativas para que a criança se acalme. Vale o que você quiser: Um passeio, distrair com algo diferente, e vale até dar o colo, desde que não seja isso que ele esteja querendo. O importante é que você ajude o seu filho a aprender a manter a calma e a não deixar que o nervosismo tome conta.

3.       Evite os “gatilhos”

Sono, fome, cansaço… Você sabe que são gatilhos para uma crise de birra. Se você sabe que o seu filho fica mais manhoso nessas situações, tente preveni-las. Não marque nada para fazer com  pequeno nos horários que ele está acostumado a comer ou a dormir. Caso isso não seja possível e a birra aconteça, tente ser mais paciente e compreensivo. Até nós adultos ficamos abusados quando estamos com sono ou com fome né?

4.       Desvie a atenção

Sabe aquele momento em que você vê que a birra está prestes a acontecer? Pois é, é nessa hora que você precisa captar a atenção do seu filho. Por exemplo, você está numa loja com o seu filho e ele começa a insistir muito que quer alguma coisa, você sabe que dali para uma birra é um passo, certo? Então, é nessa hora que você deve chamar a atenção dele para algo que esteja acontecendo em outro ambiente ou ofereça alguma comida que ele goste. Costuma funcionar.

5.       Converse sempre

Outra tática é sempre conversar antes de sair. Se você vai ao shopping ou à casa de algum amigo seu e sabe que nessas horas ele costuma dar chilique, explique tudo para ele antes.  Diga aonde vão, o que vão fazer e que ele precisa se comportar. Se for fazer compras, diga que você precisa da ajuda dele por exemplo. Na primeira vez pode não funcionar, e aí você deve relembra-lo do que conversaram. Fazendo disso uma rotina, nas próximas vezes é bem provável que dê certo.

6.       Regras

Uma boa forma de ensinar a criança a ter regras é introduzir pequenas frustrações para crianças com mais ou menos um ano de idade. Como você pode fazer isso? Fazendo o pequeno esperar um pouco pela mamadeira, não dar colo sempre que ele pedir, ou esperar você terminar de falar com alguém. Frustrações fazem parte da vida. Se os pais forem introduzindo isso aos pouquinhos, estão ajudando a que a longo prazo o seu filho seja emocionalmente mais forte, tolerante e mais seguro. Mas lembre-se que ele não vai aprender numa única vez. Você vai precisar conversar e ensinar várias vezes. Só não esqueça que cada criança tem o seu tempo pra amadurecer tá?

7.       Limites precisam existir

8.       Crianças nascem sem qualquer noção de valores, sem saber o que é certo e errado e somos nós, pais quem devemos ensinar os nossos pequenos, o que eles podem e não podem fazer para que vivam bem em sociedade. Quando o seu filho dá um escândalo daqueles que faz todos se sentir no direito de julgar, das duas uma: Ou você está cedendo com facilidade dos desejos do pequeno, ou então ainda não conseguiram explicar claramente que a vida é feita de regras.

Eu sei que é bem mais fácil dizer “Sim” do que “Não”, mas se você não deixa claro desde cedo o que é certo e o que é errado, também não pode exigir do seu filho o controle das emoções quando ele vir o seu desejo negado, isso porque ele não entende o porquê da proibição.

Nós pais, precisamos aprender a ensinar limites de acordo com a capacidade de entendimento do nosso filhote.

 

Gostou?

Então não esquece de comentar e compartilhar o texto com as amigas.

Além de adorar a participação de vocês, dessa forma vocês ajudam o blog a crescer.

[essb-fans style=flat cols=4]
 
TAGS , , , , , , , , ,

6 comentários

6 Comentários

Raquel

24 de Fevereiro de 2014 às 10:07Responder

Muito interessante

Maria Carol

24 de Fevereiro de 2014 às 10:12Responder

Descobri seu blog a pouco tempo e já viciei! Minha baby tem 1 ano e 5 e muita coisa aqui já me salvou! Parabéns! Continua firme pq entrar aqui já virou hábito! Bjs!!

Natalia Almeida

24 de Fevereiro de 2014 às 16:32Responder

MUITO BOM!!!!!VOCE É MUITO LEGAL E ATENCIOSA.

NATI ALMEIDA.

Naya duarte

24 de Fevereiro de 2014 às 18:49Responder

De fato não eh facil educar nossos filhos..era muito mais fácil com os dos outros!!mas eh melhor que nós o façamos do que deixar a cargo do mundo pq ele não ensina com amor!!!adorei o post

lopessouza

24 de Fevereiro de 2014 às 19:07Responder

Amei as dicas, estou grávida de 32 semanas e daqui a 6 semanas vou ver o rostinho do meu principe, e educação e algo q vem me tirando o sono, sempre tive medo de nao saber lidar com as birras. E de passar vergonha com a criança caindo no chao e as pessoas de plateiaa aff… peço de Deus muita sabedoria e dicerninento.

Nataly

25 de Fevereiro de 2014 às 23:26Responder

Gostei muito!

Deixe um comentário