2Mai/14

16 Dicas para fazer o seu filho comer

            Esse é um tema que eu AMO AMO e AMO. Quando chegam crianças no consultório que são super seletivas, eu, junto com a família construímos uma confiança e passo a passo vamos mudando os hábitos da criança. Isso é mágico para mim! Me sinto realizada profissionalmente!

Só uma colherada! Se você comer a mamãe vai te dar o chocolate! Se não comer tudo você vai ficar de castigo! E por ai vão os tipos de chantagens e punições. Quantas vezes já vimos esse tipo de comportamento na hora de uma refeição? A angústia dos pais em ver que seus filhos não comem é totalmente compreensível. Mas vamos com calma, não é do dia para noite que a criança vai comer. Paciência, persistência e cooperação são palavras de ordem!

Obrigar os filhos a comer não é o certo. O fato da criança pular uma refeição esporadicamente não a torna desnutrida nem compromete o seu desenvolvimento. Mas isso não pode acontecer com frequência. Os pais devem ter em mente que a criança vai sentir fome em algum momento. NÃO estou dizendo para deixa-la com fome, apenas ofereça alimentos saudáveis. De que adianta uma criança recusar um jantar logo após chegar da escola e, os pais, algum tempo depois, oferecer uma bolacha recheada com achocolatado para a criança não dormir com fome?

Existem caminhos saudáveis que ajudam na aceitação:

1.                 Antes das refeições, pelo menos 40 minutos antes, não ofereça NENHUM tipo de líquido.

2.                 Caso a criança esteja muito resistente na hora do almoço ou no jantar, “negocie” com ela número de colheradas. v Ex 1: Gosto muito do número de colheradas da idade. Mas caso tenha 3 anos, o número é bem pouco. Ai você pede para criança somar 2 vezes a idade dela. v Ex 2: Cada colherada é uma princesa (Ariel, Bela, Cinderela, Branca de Neve, Rapunzel, etc) ou um Super Herói ( Capitão América, Homem de Ferro, Homem Aranha, Super Man, Thor, etc).

3.                 Varie sempre os alimentos e o tipo de preparação. Isso ajuda a despertar o interesse. O prato dever ter 5 cores pelo menos. A cor ajuda a atrair a criança.

4.                 Evite que a criança fique “beliscando” entre uma refeição e outra.

5.                 Mesmo que a criança não tenha o hábito de comer verduras e legumes, ofereça e coloque no prato em todas as refeições. Caso ela coma, elogie sempre!

6.                 Respeitar os gostos da criança é fundamental. Caso ela goste de carninha moída, coloque no prato carninha moída mais alguma outra coisa que você conversará com ela. Se você colocar apenas alimentos que ela não gosta, ela provavelmente rejeitará toda refeição.

7.                 Estipule metas com elas, seja semanas ou quinzenais.

8.                 Ambiente tranquilo é fundamental para uma boa refeição, sem TV  e sem discussões.

9.                 A criança com mais de 1 ano que ainda mama muitas vezes, seja no peito ou mamadeira, pode ter dificuldades de aceitar alimentos sólidos. Neste caso, diminua a frequência das mamadas. Principalmente antes das principais refeições.

10.              Não ofereça sucos, águas e refrigerantes durante as refeições, a capacidade gástrica da criança ainda é limitada.

11.              As comidas oferecidas fora de hora são um péssimo hábito. Ter horários ajuda a ter uma rotina alimentar. Uma criança que passa que passa o dia inteiro comendo fora de hora, dispensa as principais refeições pelo simples fato de não estar com fome.

12.              A criança que está começando a ter autonomia para comer, muitas vezes come com a mão. Deixe-a comer!! É um momento de prazer, descobrimento e independência.

13.              NÃO, prometa recompensas! Uma vez feita, a criança sempre usará essa tática.

14.              Não se esqueça que seu exemplo é mais forte que tudo. Não adianta pedir para seu filho tomar suco se você toma refrigerante.

15.              Seja firme! Gritos e falta de paciência só dificultam toda situação.

16.              Existem casos especiais que a criança precisa de acompanhamento psicológico e nutricional, procure um profissional capacitado.

 

 

Fernanda Monteiro

Nutricionista Infantil

CRN1 7055

     
    TAGS , , , , , , , , , , , ,

    1 comentários

    1 Comentário

    danielle

    6 de Maio de 2014 às 17:27Responder

    Olá, que tal um post sobre alimentação em viagens. Estou sentindo muita dificuldade com meu bb de um ano e quatro meses aqui nos eua. O que é pior papinha industrializada ou comida de restaurante? Aqui rudo é muito apimentado. Em casa, sempre temlegumes variados no pratinho dele, feijão, arroz e uma carne. Ficaremos em hotel por duas semanas e não tenho como cozinhar. Comprei frutas e estou oferecendo tosa hora, mas ele tem rejeitado. Está fora da rotina dele então acho que isso tb atrapalha.

    Deixe um comentário