3Out/13

14 Dicas de como escolher a primeira escolinha do seu filho

POR: MirelaCATEGORIA: Educação(14) COMENTÁRIOS

Sempre disse que quando Matheus completasse um ano, eu o colocaria numa escolinha durante meio período para que ele pudesse socializar e sair de dentro de casa para começar a aprender a lidar com as asas que nasceu, muito embora elas estejam longe de fazê-lo voar.

Matheus completou um ano, e eu consegui cumprir com a minha palavra. Escolhi a escolinha e fiquei feliz com a minha decisão.

Muitas mães tem que tomar essa decisão sem estarem ainda preparadas para tal. A licença de maternidade está longe de ter o tempo ideal para ficarmos com nossos filhos, mas no meu caso, eu coloquei por opção mesmo. Era algo que eu já tinha decidido antes mesmo do meu filho nascer, e depois que ele nasceu o desejo não se alterou.

Sou da opinião de que até um ano, acho extremamente importante que a criança fique com a mãe. Crie laços, seja protegida e tenha os primeiros ensinamentos dados em casa. Depois disso acho que ela deve ir para a escolinha. Ficar em casa fechada com a babá é algo que eu pessoalmente não acho muito bacana. Por muito boa que a babá seja, só o mundo lá fora poderá dar novos estímulos e ensinamentos ao seu filho. Minha opinião.

Eu sou o tipo de mãe que gosta de colocar o meu filho para descobrir o mundo, sempre protejo claro, mas protejo o necessário. Coloca-lo na escola, era sem duvida tira-lo de baixo da minha asa e deixa-lo um pouco a mercê dele mesmo. Se por um lado eu estava completamente convencida disso, por outro o coração de mãe se apertava quando começou a ver a hora chegar e a hora chegou. Eu tinha que escolher em qual escola o colocaria, pois deixei para decidir quase em cima da hora péssima mania minha. Visitei três, e não visitei mais porque na terceira visita me apaixonei pela instituição.

Matheus iria entrar para o maternalzinho.

Eu não estava sinceramente à procura da escola top, que de cara já começasse com estímulos para que ele viesse a ser o super duper dos estudos lá na frente. Se a instituição que escolhêssemos desse para ele continuar maternal, jardim, infantil e seguinte, ótimo, se não, para aquele exato momento não iria fazer diferença. Eu estava à procura de uma escola que fosse uma extensão da minha casa. Que eu visse qualidade, mas acima de tudo amor.

Na primeira que fui o ambiente era completamente fechado. As crianças quase não tinham espaço para tomar sol, brincar com terra então era impossível porque não tinha nem tanquinho, e a sala não era agradável. Tenho até hoje a imagem de um ambiente escuro, com crianças meio perdidas, sem aquele brilho natural de quem está feliz onde está.

Mas além da minha opinião, eu queria a do Matheus! Sempre o levei para visitar as escolas que visitei. Quando chegava, colocava no chão e deixava que ele descobrisse o ambiente.

Nessa primeira ele rapidamente olhou para um lado, olhou para o outro e pediu colo meio que reclamando.

Tá bom que era um ambiente estranho, mas parto do principio que uma escolinha tem que ter algo atrativo para os olhos das crianças. Eu estava ali, sentada do lado dele e ele sequer quis ver fosse o que fosse. Como eu já não tinha gostado muito, levantei, agradeceu e fui embora.

A segunda escolinha não foi muito diferente. O ambiente era mais agradável, mas tinha muita “politicagem”. Era uma escola! E como falei anteriormente, não era exatamente uma escola que eu estava em busca, e comecei a achar que aquilo que eu procurava, não existia, até que encontrei o lugar ideal.

Quando lá cheguei, Matheus viu uns degraus próprios para crianças pequenas e na mesma hora quis correr até eles. Afastei-me um pouco para conversar com a coordenadora e ele nem notou que eu tinha saído do seu campo de visão. Ficou entretido brincando.

Era uma escolinha pequena.  A unidade tinha apenas crianças com até dois anos, tinha um cheirinho caseiro, as tias (auxiliares) que ajudava na cozinha no almoço, ajudava a cuidar das crianças de tarde também, e vi um monte de crianças abraças a elas, demonstrando carinho e confiança pelas mesmas.

Pedi para voltar no dia seguinte para ver se Matheus voltava a brincar com o mesmo gosto e quando chegamos estavam fazendo atividades no tanque de areia. Na mesma hora ele sentou e brincou! Afastei-me para ver como ele reagia, e quando voltei ele estava de chupeta na boca. Achei que tinha chorado, mas não. Estava de chupeta para não colocar área na boca hahaha #ficaadica

Estava decidido. O meu coração sentia que ali o meu filho iria ficar bem e receber exatamente o que eu queria para ele naquele momento.

Para facilitar, resolvi fazer uma lista das coisas que eu achei importantes para poder escolher a escolinha (neste caso a escolha da escolinha para crianças até dois anos).

1.     Leve o seu filho junto. A escolinha é para ele e ele tem que mostrar que se sente bem nela.

2.     Procure uma escola que fique perto da sua casa ou do seu local de trabalho.

3.     Peça indicações. Veja onde as suas amigas e os seus vizinhos colocaram os filhos. É importante que você tenha boas referencias da instituição.

4.     Converse com a coordenadora sem muita formalidade. Pergunte tudo o que quiser perguntar e não tenha medo de ser chata. Elas estão acostumadas, acredite.

5.     Saiba como será o processo de adaptação da criança quando começarem as “aulinhas”.

6.     Vá com tempo. Deixe o seu filho brincar com os coleguinhas e não interfira muito. Observe.

7.     Observe tudo, veja como é a parte física, mas se ligue mais na parte emocional. Olhe as crianças, veja se estão limpas, se o ambiente é tranquilo (mesmo que tenha uma chorando) você consegue sentir se está um clima tenso ou não.

8.     Sinta a forma como conversam com você. Eu pessoalmente não gosto quando me tentar conquistar forçadamente. Tenho certeza que elas querem ter nossos filhos lá, mas quero sentir que vão gostar deles e cuidar deles com carinho acima de tudo.

9.     Observe a organização dos espaços. Mesmo que as crianças estejam brincando com brinquedos, as salas devem mostrar uma bagunça organizada, se é que me entende.

10.    Informe-se sobre o cardápio e horário de refeição.

11.    Procure uma escola que tenha o “seu estilo”.

12.    Veja quais os horários de entrada e de saída. (na que eu escolhi Matheus tanto podia ir de manha num dia, ou durante a tarde no outro. Terminou indo só de tarde por conta do cochilo da manha.)

13.    Converse com várias pessoas para saber o que elas já ouviram falar da escola, mas saiba filtrar o que escuta.

14.     Escute o seu coração. Ele raramente se engana.                  

 

Matheus esteve um ano nessa escolinha. Se adoeceu??? Ô se adoeceu, mas nada que me fizesse desistir e me levasse a arrepender da minha decisão. O que ele aprendeu e evoluiu fez tudo ter valido a pena. E ele só deixou de ir para a escolinha se tivesse com febre e molinho, caso contrario ia de todo o jeito, e depois que passaram uns 4 meses as “viroses” deixaram de ser frequentes. A minha primeira experiência com escolinha foi super positiva.

Esse ano ele vai mudar porque agora o “negocio” vai começar pra valer. Ele vai sair da escolinha que está e vai passar para um colégio e eu vou me acabar de tanto chorar com saudade.

 

Passei lá momentos inesquecíveis tais como o meu primeiro dia da mãe sendo comemorado com presentinho surpresa “feito por ele”. A primeira dancinha coordenada com os amiguinhos, os primeiros desenhos… enfim. Coisas que nenhuma mãe esquece.

 

[essb-fans style=flat cols=4]
 
TAGS , , , , , , , , , , , , , , ,

14 comentários

14 Comentários

Wyllka

3 de Outubro de 2013 às 13:55Responder

E qual foi essa escolinha?

    Mirela

    7 de Outubro de 2013 às 13:46Responder

    Wyllka querida, por uma questão de privacidade, aqui em casa decidimos que não diriamos qual a escolinha que Matheus está estudando.

    Espero que compreenda 🙂

    Bjão

    Mirela

Shirley

3 de Outubro de 2013 às 15:49Responder

E agora, qual sera o seu criterio para escolher a escola?

    Mirela

    3 de Outubro de 2013 às 17:01Responder

    Estou preparando um novo post sobre o que analisei para ecsolher a nova escolinha 🙂

    Posto em breve 

    Bjooo

    Mirela

Carol

3 de Outubro de 2013 às 18:04Responder

Adorei o post, alias adoro todos os aeus textos!!! Minha bebe tem 1 ano e 1 mes e esta na segunda semana da escolhinha estou satisfeita com minha escolha e seguiu bem proximo das suas dicas!! Ela eh mt apegada a mim ee sofreu um pouco nos primeiros dias! Mudamos, colocamos o pai pra levar e deixar na escolinha e tem dado certo! Ela esta bem melhor e sinto que tem gostado!!! Beijosss

francy

4 de Outubro de 2013 às 0:24Responder

Gostei muito das suas dicas estou procurando uma escolinha pra minha filha ela está com dois anos e seis meses ela entrará no inicio do ano que vem e já tô a procura.coloque por favor as dicas do colegio pro seu filho obrigada. bjs

    Mirela

    7 de Outubro de 2013 às 13:44Responder

    Irei colocar sim 🙂

    Fique de olho :)))

    Bjão 

    Mirela

Erika

6 de Janeiro de 2014 às 22:15Responder

Olá Mirela,
Minha filha é tem 1 ano e 8 meses e por ser neutropenica a recomendação médica é que ela não frequentasse escola até os 2 anos, mas quero voltar a trabalhar e por isso vou começar a procurar escola, queria saber pq agora vai colocar o Matheus em um colégio? É q achei q ainda fosse cedo e que pudesse esperar até os 3 anos pra isso?
Obrigada.
Erika

    Mirela

    7 de Janeiro de 2014 às 14:47Responder

    Oi Erika, ele agora vai para o maternal, e a partir de agora a turma começa a ser a mesma até o secundário, por isso optamos por ele ir para o colégio.

    Onde ele estava só ia até a primeira série. Ele só vai meio turno. A ideia continua a mesma. Socializar, sair de casa e aprender mais la fora.

    =)

     

MamãeBruna

10 de Fevereiro de 2014 às 0:47Responder

Oi Mi,
Mesmo não trabalhando, decidi colocar o baby no coleginho. Recebi inumeras criticas dizendo que absurdo eu fazer isso mas eu sinceramente, não consigo ver absurdo nenhum, acho super válido. Ele tem 1 ano e 4 meses, sempre quis colocar com 1 ano mas o coraçao da mamae aqui ainda nao estava preparado.

Vistei 2 coleginhos, gostei do primeiro mas nao achei muito ” animado”, percebi tb que enquanto uns jantavam, um ou dois ficavam em uma sala com uma tia pq nao pagam o jantar. Achei meio absurdo e já logo pensei numa criança traumatizada rs. No segundo coleginho, vi tudo colorido, crianças brincando, um pátio foooofo… O João logo foi analisar, entrou na salinha onde ficam as crianças da mesma idade que a dele, a tia logo o chamou pra brincar e lá ele ficou enquanto eu visitava o resto do colegio com a coordenadora. Depois fomos conversar e ela me disse uma coisa que foi fundamental ” o nosso diferencial é que aqui o João vai ser o João, o filho da Bruna e do Felipe, não vai ser apenas um numero” me conquistou rs! Até pedi um cafezinho pra gente conversar mais kkkk. Realmente, foi muuuito importante levar o João, me emocionei vendo meu bebezinho todo animado com os futuros amigos. Obrigada pelas dicas, vc sempre me ajuda muitoooo!!! beijos

    Mirela

    10 de Fevereiro de 2014 às 1:08Responder

    Oi querida, pois eu acho que você fez super bem.

    Tambem nao trabalho (quer dizer, trabalho em casa), mas coloquei Matheus com 1 ano e 1 mes na escola. Foi a melhor coisa que fiz. Além dele ter desenvolvido bastante, eu ganhei tempo para mim, o que foi ótimo para poder cuidar de tudo que não seja Matheus.

    Espero que a adaptação dele seja ótima. Quanto a mochila, eu comprei uma de rodinhas. Alías, Matheus ganhou de uma amiga minha. Com  rodinha é bem melhor mesmo, cabe mais coisa =)

    Bjoos

MamãeBruna

10 de Fevereiro de 2014 às 0:49Responder

Ah!! posta aqui qual a mochila que ele usa!? =)

pensei naquela da skiphop sem rodinhas mas to achando que é pequena pra colocar as coisinhas do dia+lancheira.

Dálete Carvalho

11 de Fevereiro de 2014 às 16:54Responder

Eu tenho essa dúvida… Meu Caio tem um ano e 5 meses (faz agora dia 15) e eu não sei a hora certa de colocá-lo numa escolhinha,aqui perto da minha casa tem uma.Eu não trabalho e fico sempre cismada com isso,de ficar em casa e ele na escola.
O que me diz?

    Mirela

    13 de Fevereiro de 2014 às 19:12Responder

    Dálete tudo bom?

    Pois é, eu tinha a mesma duvida, mas sabe porque coloquei Matheus com um ano e um mês? Porque eu precisava de tempo para voltar a cuidar das minhas coisas e não achava bacana ele ficar em casa fechado com estimulos de certa forma,limitados.

    Pense direito, veja as vantagens e desvantagens e se o seu orçamento permitir, pense seriamente nisso. 

    Bjos

    Mirela

Deixe um comentário